sexta-feira

Trilhos dos Pernetas 3.6


Só para dizer que os Trilhos dos Pernetas vão voltar em 2019, desta vez com a edição 3.6.

A primeira reunião foi esta 3ª feira e como sempre foi muito dura. Resultado:

42 minis
1/2 garrafa de Coca Cola
5 cafés
1 quiche e meia
1 Queijo
1 Paio
Padinhas q.b.

1 caixa de sortido húngaro

Isto entre as 21.30h e as 23h … e com a malta toda jantada antes.







A coisa promete … podem seguir as peripécias na nossa página do Facebook … 




Coloquem dia 1 de Maio 2019 na vossa agenda!!! 

ahhh… e antes que esqueça … os 50km já esgotaram, ficam os 30, os 18, os 10km ou então a caminhada. Inscrições abrem no inicio de 2019

terça-feira

Meia Maratona de Ovar 2018 - um longo para o Porto


No domingo corri a minha 5ª Meia Maratona de Ovar, aquela que eu considero a melhor (das que conheço, talvez em conjunto com a de Cortegaça mesmo ali ao lado). E a organização voltou a fazer tudo impecavelmente bem … são já 30 as edições - pelo que ouvi dizer (não fui confirmar) houve um grande decréscimo de participantes na Meia, mas não foi por isso que a festa não foi rija … muita gente a correr (a introdução da Corrida do Azulejo no ano passado ajuda) e a sempre muita adesão à já clássica Caminhada ao qual se junta o muito público dentro de Ovar e na zona junta à praia do Furadouro – tudo junto faz com que o ambiente seja excelente. Este ano o tempo voltou a ajudar e como já disse mais acima esta organização não brinca em serviço … pelo que me toca, nada falhou mais uma vez. Por pouco dinheiro somos excelentemente tratados, corremos 21km por um percurso diversificado e bonito, de forma segura, e no fim ainda levamos não só o prato típico que dá gosto coleccionar, como ainda um pão-de-ló típico e um saco cheio daquelas coisitas boas que a malta gosta (barras, queijos, sumos, leite chocolatado, etc). Impec!!! Parabéns à malta que organiza.
Quando planeei a minha participação nesta prova, há uns largos meses atrás, imaginava-me num pico da preparação da Maratona do Porto, com muitas centenas de km nas pernas a tentar fazer o melhor tempo possível como teste para o dia 4 de Novembro. Não vale a pena estar sempre a falar no mesmo, estava e estou muito longe disto. Mas estou melhor.
Depois da Maratona de Berlim, e de alguns dias de descanso comecei a treinar várias vezes por semana. Há duas semanas em Itália voltei a correr 5 vezes numa semana e na semana passada dei-lhe seguimento – depois de muitos meses sem correr de forma constante, levo agora duas semanas seguidas com mais de 60km semanais. Bem bom!!!!
Voltando a Ovar, o CAL teve uma participação maciça como sempre … poderia dizer que tinha a ver com a estreia dos equipamentos novos (sobre isto haverá uma posta à parte), mas isso seria mentira porque sempre fomos muitos a correr em Ovar.

ainda faltam aqui alguns...

e por causa dos equipamentos lindos passamos a ter um atleta de Guimarães a representar-nos … assinou sem pestanejar … bem-vindo Bruno e como te disse … "não sabes onde te meteste"  


A minha ideia era fazer um treino longo para a Maratona – repetir o esquema do ano passado. Arranjei alguns compinchas para alinhar na coisa e lá fizemos uns 6km antes de nos colocarmos na zona de partida.


 

Tiro de partida … como sempre no fim do pelotão e com tanta gente pela frente e o percurso inicial a levar-nos pelas ruas estreitas do centro de Ovar, a dificuldade habitual em começar a “correr” … nesta fase vou com o Gil (que voltou às provas ao fim de muito tempo sem aparecer) .. aparece o Américo e o Jorge. Gosto muito da voltinha de 3 a 4km por Ovar para voltar a passar na zona da partida … tudo bem, ritmo controlado … tenho como objectivo rolar a 5min/km para chegar “bem” ao fim … esta primeira voltinha foi bem mais lenta por causa do amontoado de gente … sem stress nenhum … é um treino. 


Na 2ª volta em Ovar, ali a partir dos 5km a coisa começa a acelerar … não sei se fui eu, se foi o Gil … o que sei é que já se corria a 4,40m/km … disse ao Gil para se ir embora e ele não foi … e eu fui aguentando ... e o ritmo aumentou para perto do 4,30m/km na subidinha até aos 7/8km … ia bastante bem de “caixa” mas as pernas já a pesar dos km feitos nos dias anteriores. Pode ser que a descer até ao Furadouro dê para recuperar …


… não deu … a descer os ritmos aumentaram um pouco mais, quando olhei para o relógio e vi que se estava a correr a 4,20-4,25m/km pensei em abrandar … estávamos nos 10km, sentia os músculos das coxas a esticar e ainda faltava muito … 
Apanhamos o Badolas e o Nuno Silva e logo de seguida a placa dos 11km … e foi a minha sorte.
A paragem para a foto da praxe fez com que as lebres fossem à vida e eu ficasse apenas com o Badolas que vinha pior que eu J … o Nuno que vinha a fazer um treininho descontraído estava a “obriga-lo” a ritmos a que ele já não estava habituado e eu fui uma espécie de "anjo“ que lhe apareci J … deves-me esta Badolas, safei-te de boa!!! 

O ritmo foi adaptado a uns 4,50-5min/km e como era a descer senti-me melhor. Este baixar de ritmo fez com que por volta dos 12km ouvisse umas vozes familiares atrás de mim … “cum caralho” … eles vêem aí L … ainda tentei fugir mas o Badolas não acompanhou … entre fazer o resto da prova “sozinho” ou levar com o mau feitio dos Pernetas Zé e Américo escolhi a segunda hipótese … um gajo às vezes faz escolhas que ninguém percebe J 
E pronto estava formada a “equipinha” que iria até ao fim … 4 Pernetas até à marginal da praia do Furadouro – uma das minhas partes preferidas, sempre com um monte de gente a apoiar – e depois a 3 até final – o Badolas deu-lhe a malandrice (o Nuno matou-o nos primeiros 10km J) e deixou-se ficar para trás.
Fizemos os últimos 5/6km sempre a um ritmo certinho os 3 … as pernas (especialmente as coxas) iam pesadinhas, mas de resto ia bem. Teria dado para aumentar o ritmo mais um pouco mas não valia a pena … já sabia que ia conseguir os 5m/km de média e chegar com 1h40 ou 1h45 ou ainda com 1h42,58 (que foi o que marcou o meu relógio) era completamente indiferente.
A última subidinha até aos Bombeiros para depois entrar a descer até à recta da meta é normalmente a parte mais difícil. Desta vez nem por isso .. sempre imaginei que tivesse ca.de 1km mas afinal tem praticamente 2km.
E lá cortamos a meta com o objectivo cumprido. Acabei por fazer quase 27km no total, tendo feito a Meia abaixo com uma média de 4,51m/km o que olhando aos dias que correm, para mim é excelente.

Ahhh … e ganhei ao Kipsombrachoge … vai buscar!!!!

Até à Maratona do Porto faltam ainda 3 semanas (a última não conta). Vou apostar em colocar km nas pernas – o objectivo para o Porto é correr a Maratona de principio ao fim.
E no fim houve Pic-Nic de Pernetas no Buçaquinho … 










Entretanto voltei a correr ontem … 5,5km apenas e uns alongamentos. Estou a melhorar, a recuperar melhor. Vamos a ver se desta vez tenho mais juízo e dou tempo ao tempo.
Por falar em juízo … 4ª feira vou fazer um treininho longo de estrada e no domingo regresso aos Trails, mais precisamente ao Trail Broa de Avintes para fazer os 22km. Tem que ser J

quinta-feira

Meia Maratona de Bologna Fiere - luta titânica


Na semana passada estive em Bologna – já lhe perdi a conta há quantos anos é que me desloco a esta terra por esta altura do ano. E desde que comecei a correr que raro é o dia em que não calço as sapatilhas e vou treinar. E de há 3 anos para cá que participo na Meia Maratona de Bologna Fiere, que se realiza sempre no final da semana, só variando o dia e a hora conforme a minha vontade.
Isto porque eu era o grande vencedor das duas primeiras edições, e esse estatuto de estrela permite estes pequenos luxos.
Mas antes da Maratona estive em estágio … uma semana inteira. Há que preparar bem a defesa do titulo. 
Treinei corrida 4 vezes antes da prova … sempre por volta dos 10km e sempre abaixo dos 5min/km, o que nos dias de hoje é qualquer coisa de extraordinário para mim J. Destaco o treino de 2ª feira em que regressei às series … 15x400m a uma média de 4,15min/km. Senti-me muito bem … estou a voltar aos poucos J

 
  

Tb treinei a força nas pernocas … fiz questão de me manter de pé durante 10 horas de 2ª a 6ª feira … vá, de vez em quando lá me sentava por uns breves minutos. Isto fez com que chegasse ao dia da prova como o aço J
devidamente equipado para treinos de resistência …

Ahhh … e antes que me esqueça e fiquem preocupados comigo … como treinei muito também comi e bebi muito … já dizia a minha rica avozinha que "quem não é para comer não é para trabalhar". Sempre muito saudável, claro.










Já chegava não??? Pronto … só mais as da noite anterior à prova ….

carregar as baterias com hidratos... 

cereais líquidos… 

legumes saudáveis que me deram cá uns gases … 

a proteína não podia faltar … 

e para acabar o melhor Mascarpone do mundo … com chocolate quente para quem quiser … eu quis experimentar das duas maneiras … 

eu tinha dito para acabar? Referia-me à comidinha … era precisa acelerar a digestão … 

e antes de ir dormir passei gelo pelo corpo (por dentro que dizem ser mais eficaz) … ajuda a desiflamar as pequenas mazelas que se vão criando ... 

E chegou o grande dia … sábado, dia 29/09 … seriam umas 7h e picos e lá estava eu à porta do Hotel Cosmopolitan. Estava muito confiante, mesmo completamente convencido que a vitória não me iria fugir. Partida …
… corri 60m e parei. Volei para trás … subi ao quarto e fui buscar a garrafinha de Powerade que me tinha esquecido. A malta espera, porque afinal eu sou a estrela da companhia J … 3, 2, 1 …. Puuuuuummmm …
Desde os primeiros metros que imprimi um ritmo forte (era a descer ligeiramente) … o meu objectivo, além de fazer o “tri”, era chegar abaixo da 1h45min … e rapidamente fiquei isolado, sozinho, sem ninguém … fácil, fácil … “tá no papo” J


Estava uma manhã linda com uma luz espectacular, provocada por um nascer do sol radioso … ia distraído com isso, a forçar um pouco o andamento, a sentir bem … e assim foi durante uns bons 4km até que … apareceu este gajo …

Fodaice … é o Kipsombrachoge!!! … o único atleta capaz de me derrotar nos dias que correm … há umas semanas tinha-me ganho por uma unha negra na Maratona de Berlim e hoje não me tinha apercebido que ele estava na Startlist … afinal não vai ser fácil … mas como dizia um colega de trabalho dos antigamentes…  “o mais difícil é para os mais capazes” … cerrei os dentes e fui à luta … uma luta que foi titânica … 
o gajo passou para a frente e andou a puxar durante quase 5km …

ainda me chegou a ganhar alguma vantagem mas eu não desisti …

rebentou … já fostes óh Kipsombrachoge :)

fodaice … passou para a frente ...

onde anda o gajo?

ficou para trás :)

tá no papo … quem é o maior quem é???

por altura da "Maratona de Roma" estava tranquilo … deve ter desistido

3 em 3 … sou mesmo o maior caralho!!! 

uiiii…. de onde é que ele apareceu??? 

a partir dos 13km a luta foi gigante … aumentei o ritmo com a esperança de o deixar para trás definitivamente ….

estava confiante … as pernas a responder mas o gajo não largava...

a partir dos 16km comecei a fraquejar e a corrida entrou numa fase mais táctica … lado a lado nenhum queria arriscar ...

nos últimos 3km as pernas já não queriam mas forcei e forcei para aguentar o ritmo … o gajo nunca desarmou ….

e a coisa decidiu-se nos últimos metros, centímetros milímetros … foi preciso recorrer ao Photo-Finish … perdi …, mais uma vez para o Kipsombrachoge ...

objectivo de tempo cumprido … abaixo dos 5min/km ...


Fiquei desiludido L … o cabrãozito do Kipsombrachoge voltou a ganhar-me. Em Ovar no próximo domingo será diferente … nem que a vaca tussa o gajo fica à minha frente J
E fechei-me o resto do dia no quarto do Hotel, às escuras, a “amarrar a burra” até à hora de um avião da Ryanair me trazer de volta ao Porto, a tempo e horas. 


Festival da Francesinha em Bologna???








Para o ano regresso a esta Meia Maratona e é para ganhar … escrevam J