quinta-feira

Agora é a sério - o Perneta pifou de vez

“Há um espaço e tempo para tudo.
São 281km de muito tempo e muitas coisas. São as aldeias e a ausência delas. As pessoas e o completo isolamento. São as paisagens nuas e outras completamente vestidas de verde e flores. São os rios, as montanhas e as histórias do antigamente. São as emoções.
PT.281 Ultramarathon - Além do mais.” 
(Texto directamente gamado da página do FB da PT281) 

Pois é meus amigos, o Perneta pifou de vez. Inscrevi-me hoje na edição PT281 de 2020. Desde a primeira edição que a sigo de olho suadito, sempre a (muita) distância e a cada ano que passa com mais vontade de me inscrever e participar. O mais perto que isso esteve para acontecer foi na edição deste ano, cheguei a ter a ficha de inscrição aberta no PC e depois não tive os “tomates” necessários para avançar… e tb achei o valor da inscrição na altura muito elevado. Mas desta vez tive aquele empurrãozito que faltava … o apoio e a confiança da Pikinita foi fulcral nesta decisão.
(foto do Matias Novo)

Vai ser em 2020!!! Inscrito e pago!!! Mas não vou sozinho!!! Há outro Perneta maluco que vai embarcar comigo nesta aventura – nem é preciso dizer qual deles, é fácil – o gajo que diz que distâncias longas não são para ele – o Nuno Lima. Nem sei o que vai ser mais difícil, a distância a percorrer, o calor ou aturar este velho casmurro e chato durante 66 horas J … logo se vê.

Ainda falta muito tempo mas já estou com aquele nervoso miudinho, aquela excitação de ter dado o passo mais importante, de ter tido finalmente a coragem de me chegar à frente e ao mesmo tempo com aquela incerteza de não saber bem em que me meti. A maior distância que percorri até hoje foram os 146km dos Caminhos do Tejo. É só o dobro J
(foto Matias Novo)

Para já era só isto que queria partilhar com vocês. Peço-vos muita paciência nos próximos meses porque vão ter que me aturar com isto, vai ser PT281 prali, PT 281 pracolá … sei que vou ser chato mas pronto, é como é e no fundo no fundo vocês já estão habituados J J J
(Foto Matias Novo)

O caminho até lá vai ser giro … como se prepara uma prova destas? Não faço a mínima … vai ser preparação Perneta … tenho umas ideias giras para colocar em prática, e com a companhia da Pikinita e da família Perneta com certeza os treinos irão ser mais fáceis J … conto com todos vocês, incentivos, bitaites, brincadeiras … tudo será bem-vindo … em todas as grandes aventuras em que me meti todo esse apoio foi fulcral … 
Quero uma dose destas, se possível a dose toda J 


Venham connosco nesta aventura!!!

segunda-feira

Fui apanhar uma Broa ao Trail de Avintes



Ontem fui até Avintes apanhar um Broa … que dizer, apanhei duas J. Ser padrinho duma prova tem que ter alguns privilégios, certo? Certo!!!

Há uns meses atrás o Rui Filipe convidou-me para padrinho da edição deste ano do Trail Broa de Avintes.  Não sei lá de onde lhe surgiu esta ideia estapafúrdia, será que eles não querem malta a participar? Será que querem acabar com a prova? … mas prontos, lá me deixei seduzir pelo cachet e aceitei o convite que muito me honrou J … aquela malta é fixe, por isso aceitei mas deixei bem claro … “nada de folares na páscoa” … é que já me bastam os 5 afilhados que tenho espalhados por esse mundo fora J

O que na altura em que aceitei eu não me apercebi foi que o TBA era no mesmo dia da Meia Maratona de Ovar, que este ano foi uma semana mais tarde que o habitual. Num mundo ideal, em que eu não tivesse tido o azar de me lesionar, a meia de Ovar estava no meu plano de treinos para a Maratona como sendo aquele momento em que atestas a tua forma … mas como o mundo não é perfeito e os planos raramente se concretizam, até deu jeito estar inscrito no TBA nesta altura do campeonato.

Até há duas semanas estava completamente fora de questão participar … mas a coisa melhorou e o teste na semana anterior por serras de Valongo foi positivo. Decisão tomada … vou com a Pikinita até Avintes aos 25km … nas minhas calminhas faço aquilo, ou então se vir que ainda não dá, paro. Durante a semana fiz dois treinos curtos de 30min de estrada e no sábado lá estava na marquesa do Rui para ser avaliado – o gémeo esquerdo está ainda contracturado mas muito melhor – tinha autorização para tentar. E  fui …

No sábado choveu toda à noite, e ventou muito … estes gajos tem azar. No ano passado foi o furacão Leslie a fazer das suas antes da prova. De manhã ainda chovia bem, mas o vento tinha acalmado. Refugiamo-nos num café com a restante família Perneta … 6 para correr e mais 3 como apoio J

Equipa maravilha, 5 Pernetas, um Pernetinha e uma Montemorrow


Ás 9h em ponto partimos para a prova dos 25km … eu, o Flávio e a Pikinita … um pelotão com 6 ou 7 dezenas de atletas. No total a prova teve 500 inscritos e pelos vistos a chuva afugentou uns 100 segundo a organização. Mesmo assim, bem bom para quem tem um padrinho como eu J e sabendo que além da Meia de Ovar e de Ermesinde estava a decorrer ali um bocadinho mais a norte outro Trail já com algum nome na região (o da Trofa).

Começamos muito comedidos, de tal forma que o pelotão nos fugiu e atrás de nós apenas as simpáticas vassouras. Mesmo assim o primeiro km foi feito a 5,20m/km o que digamos é bastante rápido. Este é um trail muito rápido, muito corrivel se não mesmo corrivel por completo para quem tiver um pouco de pernas o que não era o meu caso e da Pikinita.

A Pikinita tb esteve lesionada e está a regressar aos poucos – deve sofrer de influências J - mas ela gosta de competir, e neste trail com poucas participantes ela teria algumas hipóteses de subir ao pódio, pelo menos no escalão. Tive que lhe refrear a mota algumas vezes … é que ela já não fazia mais de 12km há muito tempo … acho que fizemos 18km uma ou duas vezes em Agosto.

Mesmo a controlar o ritmo começamos a passar gente … sempre sem forçar muito, porque havia que guardar forças para a segunda metade da prova. Íamos contanto a mulheres e sabíamos que se todas estivessem em prova ela estaria em 4ª ou 5ª da geral.

Desde o primeiro metro que ia mais atento ao que a minha perna me “dizia” e nos primeiros 2km a coisa esteve bastante bem até que na primeira descida começo a reseentir na zona da contractura. Disse logo à Pikinita e ao Flávio que iria ficar no primeiro abastecimento, se quisessem que seguissem porque não ia forçar nada. Mas fui andando e a coisa estabilizou e não passou daquele pequeno desconforto nada impeditivo de correr.

Chegamos ao 1º abastecimento (ca.7km) com uma média bem abaixo dos 7m/km o que era bem bom, olhando ao cuidado com que vínhamos e aos 300mD+ já acumulado. É como digo, este trail é muito corrivel, pouco técnico, sem grande subidas ou descidas o que engana porque quem não se souber controlar leva um “estouro” que nem é bonito. Até ao próximo abastecimento iriam ser 10km.


Outra característica do Trail Broa de Avintes é que pelo meio vais tendo algum alcatrão, seja o da zona industrial de Avintes onde é uma espécie de “retorno”, ou pelas entradas por algumas partes mais periféricas de Avintes, ruelas estreitas típicas de aldeia e ainda mais de 1km pela zona ribeirinha ao lado do Rio Douro no regresso a Avintes. E nessas zonas corre-se sempre.




Antes da zona ribeirinha, ainda nos montes perdemo-nos por culpa própria. A Pikinita tinha ganho alguma vantagem e ia na “luta” com uma outra mulher, a Maria Vilar, super simpática corredora de estrada que estava a fazer a estreia em trails e a preparar a estreia na Maratona do Porto daqui a menos de um mês. Á frente delas um outro atleta que elas seguiram por uma longa descida em terra batida. Eu e o Flávio vinhamos na conversa e também não reparamos num corte à esquerda, inclusivamente saltamos por cima de um eucalipto com uma fita a “barrar” a estrada sem que nos tenhamos apercebido de tão distraídos que íamos.

No fundo da descida as duas mulheres e o gajo que ia na frente parados tipo baratas tontas – encontramos fitas numa pequena picada mas todos reconhecemos que ainda há pouco tempo atrás tínhamos passado ali. Toca a voltar para trás, fizemos toda a subida em amena cavaqueira até encontrar a tal árvore e o corte que falhamos. Enfim … a culpa foi nossa.

Um pouco mais frente uma bifurcação e um grupo do Gaia Trail de frente .. mas??? Quem está errado? Comparamos relógios … nós tínhamos mais 1km do que eles, mas eles afirmavam que estavam 100% certos. Que se lixe … tínhamos mais km do que eles … sigaaaa… com esta confusão toda ficamos sem saber em que posição a Pikinita estaria.

fodaice, que a Pikinita não pára

Flávio a fazer jús ao seu "não é para me gabar, mas tou todo fodido"


E passado algum tempo o Flávio começou a ficar para trás, especialmente na zonas mais corriveis como na zona ribeirinha onde voltamos a passar algum pessoal que já tínhamos passado no inicio da prova. 



O meu gémeo continuava com aquele piquinho que não desenvolvia … convenci-me que poderia ser pisado da massagem do dia anterior. De resto tudo bem, pouco ou nada cansado, muito tranquilo. A Pikinita dizia já estar a sentir algum cansaço mas continuava a aguentar-se bastante bem, era ela que imprimia o ritmo.



E assim chegamos ao 2º e último abastecimento, pouco passava dos 17km. Paramos, comemos e bebemos, enchemos as garrafas e siga, agora pelo PR Rio de Febros. Mal recomeço a correr parece que levo uma bola de ténis no gémeo esquerdo, aviso a Pikinita, e corro mais duas centenas de metros para ver se alivia o que não é o caso … “vou ficar por aqui” … beijoca na Pikinita “força nisso e até já” … e regresso ao abastecimento para me declarar como desistente e apanhar boleia até à meta.

Estava tranquilo, tinha sido bem bom e senti que não era nada de especial … cheguei à meta e lá estava o Perneta Bruno com o microfone na mão a dar uma ajuda à organização como speaker, além das 3 meninas da nossa equipa todas bem dispostas por mais 15km de trail divertido … giraças J
Pernetas no feminino … são mais doidas que os Pernetas machos, só vos digo isso :)

o melhor Speaker do mundo e arredores deu uma mãozinha


Depois foi esperar pela Pikinita, com esperança que conseguisse primeiro aguentar-se sem se magoar e porque não, conseguir mais um pódio. E assim foi … lá vinha ela toda contente … cansadita mas a correr a bom ritmo. Fez 27km com quase 1000m D+ a uma média de 7,35m/km … sem treinar nada de jeito há algumas semanas, então distâncias mais longas nem se fala. Uma maquina, das giras J

tá feita e bem feita :)




Depois foi aguardar a entrega dos prémios, tomar um banhito e seguir para um almoço de família.

toda contente a Pikinita 



e vão duas ;)

o padrinho tem que fazer alguma coisa 

aproveitei que o 3º não estava e pumbas ...

Foi uma manhã bem passada a fazer o que gostamos. O tempo podia ter ajudado, mas olhando ao que se tinha passado durante a noite até que nem foi assim tão mau. A chuva parou antes da partida e só voltou a aparecer já se levava mais de duas horas de prova.

Quanto à prova só posso dizer que fazem a omelete com os ovos que tem, é o possível para uma zona que não tem verdadeiramente serras. Estamos em Avintes, junto a Gaia,  ao Douro e o percurso obrigatoriamente tem que passar as zonas habitadas. Este ano acho que melhorou com a introdução daqueles km extras a meio da prova – é um sobe e desce constante, com inclinações pouco acentuadas e curtas e pouco ou nada técnica, mas que quando dás por ela te moem as pernocas. Eu gosto deste tipo de provas e acho que até eu, o maior trambolho a descer do trail nacional conseguia fazer uma boa prova aqui – isto se tivesse um mínimo de treinos e 3kg a menos J

Parabéns à organização – há pequenos melhoramentos que podem fazer , mas são pormenores. No geral só posso dizer que gostei muito, e não é só pela broa de avintes que é divinal, pela sandes de porco e pela cerveja no fim J E obrigado por me terem convidado para apadrinhar a prova! 

não é qualquer um que faz 18km numa prova de 25 :P

Maratona do Porto por um canudo

 

Ontem fiz a minha primeira corrida em mais de 3 meses sem que durante ou após tivesse sentido algum restício da  lesão no gémeo esquerdo. Não sei se é para valer, espero mesmo que sim porque já chega.


Tinha grandes planos para a 2ª metade do ano – queria mesmo dedicar-me mais a sério à Maratona, queria bater o meu recorde pessoal no Porto em início de Novembro. Mas aquela queda estúpida em final de Junho lixou-me os planos. Fez-me perder a UTDP e acompanhar a Pikinita nessa aventura e fez-me perder a forma completamente, a base que estava construída para a partir de Agosto centrar as atenções na Maratona do Porto.

Ainda cheguei a pensar que ia a tempo quando estive de férias pelo Algarve e Alentejo, mas uma recaída levou-me a réstia de esperança que ainda tinha. Paciência!!! Deve dar para participar.

Há duas semanas levei uma mala cheia de equipamento para Bologna, viagem de trabalho – queria correr todos os dias, mas logo no primeiro dia parei logo após apenas 1,5km de corrida – ainda sentia desconforto. No resto da semana limitei-me a bicicleta e remo no ginásio e a ver os outros a correr. Tenho mesmo que parar mais algum tempo – está decidido.

a minha sala de treino pelas 6.30h da matina

40 a 45min de treino para colocar os bpm nos picos

chegava para suar em bica 

Parei completamente quase duas semanas com excepção da Espinho Beach Run em que não havia como não participar. Senti uma picada logo aos 300m, mas aguentei-me até ao fim – depois até que nem ficou grande mazela, um pequeno desconforto mas nada de especial. Não tinha como não correr esta prova – tinha o “desafio” com o Fumo – felizmente para mim, o Trail da Truta não se realizou na data prevista – não tinha qualquer hipótese de participar.  

Foi na semana passada que tomei uma decisão muito difícil. 

Este ano não vou fazer a Maratona do Porto!!! 

É difícil porque é a minha prova preferida, foi no Porto que me estriei nesta distância e que indirectamente viria a dar vida ao Papa Kilometros,  é no Porto que tenho omeu RP, é nesta festa que encontro reunidos todos os anos um monte de amigos de norte a sul para celebrar a prova rainha e já participo na Maratona do Porto desde 2011, 8 presenças consecutivas tendo assistido ao crescimento de ano para ano por dentro. 

Podia participar na mesma, fazendo o tempo que fosse, tipo Berlin 2018 por exemplo? Podia … mas tinha uma grande probabilidade de me lixar novamente e sinceramente já chega. Não é que eu não tenha tido juízo nos últimos anos, mas de vez em quando ainda me esqueço que já não vou para novo e mesmo a corrinhar é preciso uma base mínima e essa não existe.

Por isso, este ano o Perneta não vai fazer os 42,195km da Maratona do Porto. Mas vai lá estar a dar-vos na cabeça … se tudo continuar a evoluir como está, deverá correr uns km com o pelotão e depois ficará a incentivar a malta numa berma de estrada qualquer J … uma Maratona do Porto diferente este ano J

Que bem que me soube o treino de ontem pelas serras de Valongo … 2 horinhas no monte com a Pikinita … hoje tenho as pernas massacradas, estão a ver aquela cena dos músculos doridos do esforço? É apenas isso … e sabe tão bem J

já tinha saudades das serras e dos montes

de me meter em aventuras

"queres mel minha abelhinha?"


a companhia ajudou… como sempre … maravilha

Por falar em andar muito ajuizado … no próximo domingo vou participar no Trail Broa de Avintes, onde sou padrinho da prova … estou inscrito nos 25km … nem sei se altere a minha inscrição para os 15 - acho que não … é passeio pelos montes … caminha-se J

terça-feira

Espinho Beach Run 2019 - Duelo do Ano ou Como quase Morri


„Vocês não aquecem?“ ... „Não, não precisamos disso”

Consigo imaginar o que ia na cabeça do Fumaça. Esta malta só pode ser de uma raça superior de atleta, um espécime tão evoluído que basta pensar em aquecimento e pimba, já estavam a ferver, com os motores a carburar, os sentidos em sentido (J e esta chalaça hein?, .. ahh pois é bebé … isto é literatura da mais fina estirpe), no ponto para levar tudo à frente. Os olhos aterrorizados do moço diziam o resto … “onde me vim meter” … “com quem me vim meter, meu Deus*” … “e agora?”

*é quando já não sabemos mais o que fazer para nos safarmos que apelamos a Deus – o rapazola estava nessa fase. Tarde demais - temos pena.

esta família é topo do topo

óh pra ele todo contente ...

Foi nesse momento que tive pena … sou um coração de manteiga como todos sabem, um banana. O rapaz ali quase a desfalecer, pálido (esta é piada fina) quase quase a  borrar-se (não me ocorreu outro termo, desculpem) e eu do alto do meu 1,85cm esqueci tudo o que se tinha passado até ali. Esqueci as provocações dos últimos meses, esqueci o gozo de que fui alvo, esqueci o desaforo de ele me ter desafiado, esqueci-me que aquela carga de ossos ali à minha frente queria o meu lugar de Gorila de Dorso Prateado e assumir os Pernetas. É verdade … sou um Banana!!!

Reparem na diferença de tratamento … #fazfumo em letras grandes, bold e Carlos Cardoso em letra pequena, quase imperceptivel … enfim...

“Ó Fumaças, não fiques assim páh … não te preocupes … não te posso deixar ganhar mas prometo que não ficas mal, ganho-te apenas por uns 10 ou 20 metros … não é nenhuma desonra … como é?”

Haviam de ver a alegria do carga de ossos … aquilo era só dentes … vi-me negrinho para ele desgrudar de tanto abraço de alegria … arrependi-me logo, mas pronto… o gajo é afectuoso … só achei que a partir de certa altura já se estava a aproveitar … Fuminho, eu não sou desses, daqui não levas nada, mas respeito …

E estava na hora de entrar na arena que estava bem composta … eu entrei primeiro com a minha família Perneta … ele todo contente sempre atrás de mim tipo central de marcação. Já lhe disse mil vezes que ainda não é Perneta a 100% … é apenas pretendente a Perneta … quando estrelar 1000 ovos nos próximos Trilhos dos Pernetas fica definitivamente na família – ou isso, ou vencer-me na corrida.



E partida … saímos os dois de trás do pelotão. Eu podia facilmente ter vencido a prova com larga margem mas não queria humilhar o moço … no fundo, bem lá no fundinho não é má rés … meti um ritmo tranquilo para ele me poder acompanhar e fui-lhe dando umas dicas… “respira bem” … “não exageres logo ao inicio que isto é duro e não aguentas” … “passos curtos mas vigorosos” … “gostas mais de bolas com creme ou sem creme?” … “não olhes para o relógio” … “concentra-te” … “topa-me aquela licra ali à frente” …

Vamos deixar as fotos da prova falar …

como se pode ver perfeitamente, vou sempre a puxar por ele ..


a caminho do retorno, tudo sobre controle embora ele já comece a acusar o esforço

 retorno feito … ainda se está a rir é porque pode forçar mais um bocadinho não é?

neste vídeo vemos o moço já completamente estafado a berrar de desespero e dor

a 200m da meta o Ivan já a querer entrevistar-me como vencedor da prova … não respondi porque não me pagou um exclusivo … reparem no Fumaça, a dificuldade em que ele vai

o momento do jogo, a 30m da meta acelero, o gajo não aguenta e simula uma lesão

aqui o momento captado de outro ângulo, o esgar de esforço, as dores insuportáveis nos músculos .. mete pena só de olhar ...

decidi esperar na meta por ele … deu para tirar uma soneca de 30min

até que o selecionador de Portugal me veio acordar e pedir por tudo que não lhe ganhasse, se não ia ficar deprimido e que não havia mais nenhum atleta de trail nacional mais moreno para dar um bocado de cor à selecção … como sou um Banana, acedi ao pedido..

ao mesmo tempo passavam-se cenas dramáticas na meta … dores insuportáveis, o não estar habituado a perder, choro compulsivo … veio ao de cima o melhor espirito Perneta com o Bruno a saltar para a Arena para "apoiar" o Fumo colocando todas as rivalidades de parte … acalmou-o, fez-lhe ver que perder com o Perneta-Mor é normal e contou-lhe a história do lobo mau e dos 3 porquinhos e o Ali Babá e os 40 ladrões 

a cena foi filmada para que não restem dúvidas...



lá fui buscar o rapaz e disse-lhe "anda lá, cortamos a meta os dois juntos" … vejam a alegria dele e o meu pipo que está maior que nunca fruto do estágio em Itália da semana passada

foi preciso recorrer ao foto finish, mas eu como tenho o nariz mais comprido ganhei … se corrêssemos nus era ele que ganhava com certeza, pelo menos por uns bons 20 a 30cm … atenção que nunca vi, mas é o que se diz por aí e sei o que tenho...

Foi um bom duelo que não defraudou as espectativas. O Fumeiro é bom rapaz, a malta gosta dele e não vai ser este episódio que vai fazer com que deixemos de acreditar no potencial dele. Acreditamos piamente que está ali um atleta para seguir as minhas pisadas … se engordar uns 50kg vai ser um caso sério no trail nacional e mundial (Lourosa já é mais complicado, mas não se pode ter tudo).

A minha prestação foi excelente … voltei a ficar em 2º nos velhos M45 tal como no ano passado. A diferença é que este ano tirei quase minuto e meio, mesmo tendo dormido uma sesta na meta à espera que o menino acabasse de chorar ..



a princesa mais nova foi toda contente comigo ao pódio :)

vinhaça boa :)

houve mais prémios cá para casa … é que a Pikinita, mesmo em fase final de recuperação de lesão, não deixou escapar a oportunidade de mais um pódio no escalão

e em vez do vinho do Porto arrecadou um belo de um par de sapatos para quando sair à noite eu saber sempre onde ela anda … além de finalmente cumprir o sonho de passar os 1,60m

Fuminho, rapaz …não desanimes, continua o teu caminho e fá-lo passar dia 1 de Maio 2020 por Canedo … isto se resolvermos realizar os Trilhos dos Pernetas para o ano … trás um avental porque é chato o óleo de fritar te estragar as camisolas catitas que usas. O que são fritar 1300 ovos para um moço como tu? Tás habituado a fazer bolachas de manhã à noite, não tás? Fácil … assim conquistarás o titulo de Perneta-raso. Para chegar a Perneta depois só tens que partir um joelho como eu, rasgar um Aquiles como o Zé ou sofreres de hemorroides  crónicas como o Badolas (ele diz que é por isso que anda sempre a arranjar uns moços que lhos metam outra vez para dentro)… isto foi mau, não foi? Como não sei apagar as coisas que escrevo, paciência .. ficam … tb ninguém lê esta merda, muito menos o Badolas.

Que fique bem claro que isto foi a minha visão deste duelo, a minha realidade da coisa que é paralela à realidade real (cá está mais uma chalaça, mais este momento de literatura de recorte fenomenal, qual Saramago, qual Marquez, qual Gustavo Santos … um Nobel para mim é pouco).

Na verdade a coisa resume-se ao facto de eu ter levado uma coça daquelas. O Hélio puxou por mim de inicio ao fim, e de tal forma que a 200m da meta já nem conseguia emitir um som que fosse, a não ser o som estridente do tentar meter ar nos meus pulmões que ardiam como só eu sei e do coração aos saltos a bater-me no cérebro que não tenho J … acabei com o sabor metálico do sangue na boca e andei a tossir até meio da tarde … e o gajo a rir-se, a filmar, a tirar fotos e a dizer-me … “se te esforçasses ganhávamos isto” … vai pró car@&%%&, gozar os teus … JJJ … vi-me “negrinho” para o aturar e ainda bem J.

Gosto do gajo … admiro o Fumo pelo atleta que é, todos nós vibramos com os seus resultados neste desporto que tanto gostamos … mas admiro ainda mais pela boa onda, pela pessoa que é … vejam os vídeos fora das corridas (é só pesquisar no Youtube), a história de vida, os  projectos solidários, o extra corrida … para quem ainda não teve o privilégio de o conhecer garanto … aquele sorriso contagiante é genuíno. Obrigado pela brincadeira campeão! Foi um privilégio!

Queria deixar a minha opinião sobre a prova … amigo Albquerque, Sandra, Rui e todos os demais envolvidos do Sporting Clube de Espinho – Atletismo e não só. Estão todos de parabéns!!! Foi uma verdadeira manhã de festa que conseguiu agregar pessoas de todas as idades – eu levei a minha mais nova e o meu pai (3 gerações) – houve espaço para todos participar, desde corridas para crianças, vários escalões juvenis, desporto adaptado, além da tradicional caminhada que antecedeu a milha e a légua. Tudo isto com partida e chegada na principal praia de Espinho (a Praia da Baía). Muita gente também a assistir num ambiente 5 estrelas. Aurora Cunha, Hélio Fumo entre outras personalidades a ajudar no evento … tudo por um valor de inscrição bastante em conta. E ainda foram solidários. Espectáculo!!! 

Podem ver aqui um excelente vídeo resumo do meu amigo Carlos Oliveira do JN.

a minha mai nova adorou … pode ser que a convença a correr para o ano … e é grande fã do Fumaças, só o conhecia dos vídeos e fotografias … ficou admirada que tb existia em carne e osso … querem um lenço do Fumo? Falem com ele directamente no Messenger que ele diz-vos como fazer … 

não largou os lenços durante toda a tarde

Só tenho uma reclamação a fazer … não comi nenhuma bola de Berlim L … deram-me uma no fim como a todos, mas minha mai nova comeu tudo e nem uma trinca me deu … deviam ter-me dado outra :) … ficam a dever-me essa para o ano J

nham… nham … nem vê-las :(


Um agradecimento também a todos os conhecidos e desconhecidos que entraram nesta brincadeira. As vossas “bocas”, incentivos e afins tornaram tudo ainda mais divertido JJJ

Ahh .. e continuo a ser o Gorila Dorso Prateado aqui do pedaço J