quinta-feira

Corridas destas dispenso...


..mas quando for preciso estarei preparado.

Na 2ª feira quando chego a casa depois do trabalho, vejo a Inês a pé pelas ruas de Canedo. “Então? O que andas aqui a fazer?” ….”a Tucha fugiu de casa!!!”….

A Tucha é a nossa cadela. Foi a “prenda” da Maria, que a escolheu num canil da zona quando fez 6 anos, em finais de 2011.

“é de raça pequena” dizia o veterinário do Canil…sim, sim, e eu não sou Perneta! …a raça pequenina deu numa cadela de dimensões bem grandes e umas poucas dezenas de kg….pequenina portanto!!! Como todos os animais lá de casa, também a Tucha é um membro de pleno direito da família, vive solta entre o terreno da casa e a casa (onde dorme)…além de ser lindíssima, é dócil e medricas até dizer chega…então quando há foguetes ou trovoada entra em pânico e só está bem dentro de casa e com pessoas por perto….acontece que na 2ª ao fim da tarde começou a trovejar, e talvez por isso ela tenha feito algo que nunca faz…sair pelo portão e afastar-se de casa sozinha.

Conseguem imaginar, chegar a casa e ver a Maria a chorar, destroçada L … “não te preocupes, que a gente encontra a Tucha”. A “fuga” tinha acontecido à pouco tempo, pelo que não poderia estar longe. A Inês e o meu sogro saíram de carro e eu, equipei-me e sai a correr – a pé sempre é mais fácil por certas ruelas, trilhos, mato…palmilhei tudo o que havia para palmilhar ali nas redondezas da casa, falei com dezenas de pessoas que ia encontrando e nada…ninguém tinha visto a Tucha. O mesmo aconteceu com a Inês e o meu Sogro. Estranho!! Cheguei a casa bastante cansado, tomei banho jantei e voltei a sair, primeiro a pé para mais umas voltas e depois com a Inês de carro. Zero. “Pode ser que volte durante a noite” … levantei-me várias vezes para vir cá fora ver se ela tinha regressado mas infelizmente não.

De manhã, antes de vir trabalhar fui dar mais umas voltas de carro, com o mesmo resultado do dia anterior. Nem sinal, ninguém a viu….comecei a ficar preocupado. Entretanto tivemos a ajuda de muitas pessoas amigas, publicações no facebook, cartazes colados pelos cafés e lojas da zona, policia e veterinário de sobreaviso. Muita gente ajudou como pode na procura da Tucha, mas ao fim do dia quando voltei a casa do trabalho, zero de resultados. Havia uma ou outra indicação que a tinham visto, mas eram em polos tão opostos e distantes que era difícil de acreditar que todos seriam sobre a Tucha. Mas seguimos todas as pistas…eu voltei a equipar-me e sai a correr e a caminhar com a esperança de a encontrar…subia aos pontos mais altos para ter uma visão mais ampla dos vales, falei com dezenas de pessoas que ia encontrando, mas zero de resultados. Cheguei estafado a casa, banho, jantar e fiquei a tomar conta da Isabel, enquanto que o resto da família saia de carro para mais uma procura sem resultado. A Maria continuava tristíssima, aliás como todos nós. Mais uma noite e nada a não ser mais um ou outro a dizer que tinham visto um cão parecido…só para terem uma ideia, uma das indicações ficava a mais de 5km de casa e outra ali perto a 500m…naturalmente que seguimos ambas as pistas.

Na manhã de ontem, a Inês levantou-se cedo e foi a pé dar uma volta, e eu em vez de vir a direito para o escritório decidi percorrer de carro uma zona por onde a Inês tinha andado na noite anterior, zona de estradas secundárias, com casas mas também muito mato…quando já estou mesmo para voltar à estrada principal para vir trabalhar, num cruzamento em Gião (a 5km de casa), entro à direita e ali está ela, a 100m…sou meio cegueta, mas não tive dúvida nenhuma, era a Tucha com mais dois cães….parei o carro, saltei para a rua e chamei “TUCHAAAA”… ela veio logo a correr…e não sei quem estaria mais contente…vejam bem, que nem foi preciso metê-la no carro, ela saltou por vontade própria para a mala da carrinha e foi a choramingar (de contente) até casa…não sei quem choramingou mais, se ela se eu J … agora imaginem chegar a casa, chamar a Maria e dizer-lhe “vai ali abrir a mala do carro”….pois JJJ

Foi uma história com final feliz, aproveito para agradecer a todos que de forma directa e indirecta ajudaram a recuperar a nossa Tuchinha.
Agora que já passou, posso dizer que à custa disto fiz uns belos de uns treinos entre corrida e caminhadas vigorosas, com bastante desnível. Resultado – empeno e dores nas costas. O empeno passa, e das dores nas costas trata a minha Inês J Mas também vos digo….corridas destas não obrigado, dispenso!!!  
Ouviste menina Tucha!!!...espero que não haja próxima...
Vejo-me negrinho para aturar o mulherio lá de casa J

 

18 comentários:

  1. Caramba!
    Estava mesmo preocupado!
    Só quem já teve um cão sabe o que isso doí e a aflição que isso é!
    Estou mesmo aliviado!
    Ela deve-se ter desorientado com o susto do trovões aqui o meu "sobrinho" Bitoque também se assusta muito com os foguetes e trovoada.
    Já tive um cão que corria 20 km nas calmas comigo e se o andamento fosse muito lento chateava-se e vinha para sozinho!!! Mas depois tive um cadela que tive de desistir de a levar para o treino porque só fazia um percurso e não admitia variações do mesmo!
    Um vez optei por outro caminho numa encruzilhada e ela em vez de me seguir não senhora.! Como era uma zona de estradas de terra batida sem quase transito e não havia perigo pensei: ela acaba por vir atrás de mim.
    Fiz o treino e ela nada de aparecer! Apanhei um belo susto, fui buscar a motorizada e fui procura-la!
    Acabei por a encontrar no caminho que ela costumava fazer comigo no treino, sentada à minha espera! Ela "pensou" sento-me e espero que o meu dono acaba por passar por aqui! :))))
    Abraço e au, aus para a Tucha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São situações complicadas....é que foi quase dois dias sem saber dela, mas no fim ficou tudo bem que é o que interessa. Os cães são um espectáculo e adoro o nome do teu "sobrinho"...Bitoque...hehehe
      Grande abraço e uma festinha ao Bitoque

      Excluir
  2. Bolas...e ler isto sem saber como vai acabar? Li à pressa para chegar depressa ao fim e ...ainda bem que foi encontrada. Felizmente, e até hoje, não sei o que é isso nem quero imaginar. A nossa Molly (Golden Retriever) é uma 2ª filha para mim, é MESMO um membro da família bem chegado, mais amado que alguns outros da mesma especie que nós humanos e que diz o sangue que são "familia". Todos os cuidados são poucos e por segundos... tudo pode acontecer! Cuidado com essa menina! Beijinhos e festinhas para todos aí de casa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mil cuidados é pouco...correu bem desta vez.
      Beijinhos

      Excluir
  3. Este amor é incondicional !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma grande verdade Ivana.
      Beijinhos

      Excluir
  4. Ai o mulherio, o mulherio... :))
    Também fiz como a "Maria": admito que não li a parte do meio, fiz logo scroll-down para saber se a bichana tinha aparecido ou não!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gajas é o que é...umas tolas :):)
      Beijinhos

      Excluir
  5. Vê lá se ela foi namorar... e vais ter mais umas Tuchinhas :)

    Ainda bem que acabou bem!

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Naaa...é muito novinha para saber essas coisas...só tem 4 aninhos :) ....mas se por acaso a coisa tiver acontecido não queres um canito aí para casa :)
      Abraço

      Excluir
  6. Ihihih "o mulherio"... :) Vais ficar cheio de cabelos brancos depressa! :P
    Mas ufa, ainda bem que correu bem! Tadinha, devia andar assustada e com fome. Mas ela estava era a pensar no teu bem, sabendo que precisas de preparar esses 100km para Mamede! ;)
    Beijinhos e força para Geira! Diverte-te, que eu depois quero ler tudo! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gajas...ou isso ou careca :)
      Correu tudo bem é o que interessa, o resto cura-se ;)
      Obrigado...na Geira correu bem.
      Beijinhos

      Excluir
  7. As mulheres são danadas!!!! eheheh
    Nem imagino a vossa aflição enquanto vocês não sabiam dela!!!
    Aconteceu-me uma vez com o São bernardo... apenas por umas horas... fui dar com ele nas hortas cheio de lama até ao pescoço e todo feliz da vida no meio das alfaces e batatas do vizinho.
    :)
    Ainda bem que esta história teve um final feliz :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O gaijedo é terrivel ....hehehe...foi mau mas teve um final feliz.
      Beijinhos

      Excluir
  8. Sei o susto que é pois já passei o mesmo com uma das minhas gatas. Felizmente que o desfecho foi igual ao teu. Ufa!

    E que querida é a tua Tucha, bem o pude comprovar na véspera da Maratona do Porto.

    Um abraço :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felizmente correu tudo bem...quem tem animais e gosta deles como nós sabe o que isto custa.
      Abraço

      Excluir
  9. Ainda bem que acabou tudo bem Carlos.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, felizmente.
      Abraço Maratonista ;)

      Excluir