segunda-feira

Maratona de Paris - 10ª semana de preparação

Depois da Corrida do Pai e do resultado que consegui, com a motivação em alta, só podia ter saído uma semana em grande…o problema no tornozelo não me impediu de treinar, e com o passar dos dias desapareceu:
2ª – descanso
3ª – 10km descontraídos
4ª – 15km com o meu amigo Badolas – a ideia inicial era fazer 8 series de 1000m, mas tanto eu como ele não estivemos em dia sim…fizemos 4 em grande esforço e o resto foi a rolar.
 
5ª – 21km com o Zé Miguel
6ª – descanso
Sábado – 31,5kms de treino longo com o Zé Miguel – média 5,29min/km – um percurso com algumas subidas bem complicadas.
Domingos – descanso
No total fiz 77,5kms, o que corresponde à semana com mais kms nesta preparação para Paris.
Estou na Suiça até 4ª feira, e embora vá reduzir um pouco esta semana penso fazer no mínimo 50kms até domingo. Para o próximo sábado estou inscrito no Free Trail do Castelo Sta.Maria da Feira – 15kms de um treino que irá contar com a presença do Armando Teixeira – ainda não sei se posso ir.
Faltam agora 2 semanas para Paris.

sexta-feira

O que são Corridas de 10km para mim?

A marca que consegui no domingo passado na Corrida do Pai no Porto deixou-me muito satisfeito, mas ao mesmo tempo a reflectir sobre o assunto.

Eu sou lento por natureza, sempre fui e tenho consciência disso…na escola (andei em desporto), no futebol (joguei 20 anos federado) sempre fui dos mais lentos em distâncias curtas, sprints, etc, perdia com toda a gente e muitas vezes por larga margem. Conseguia compensar nas distâncias mais longas, pois tenho um coração grande e muito resistente, onde era sempre dos melhores.

É essa a explicação que encontro por nunca me ter interessado muito por corridas de 10km desde que comecei a correr há ca.3 anos – neste tempo todo fiz apenas 10 corridas de 10km (durante este tempo fiz o mesmo nr. de Meias Maratonas) e quase todas inseridas em planos de preparação para provas mais longas (Meias Maratonas e Maratonas) – em quase todas as provas tinha conseguido tempos entre os 42 e 45 minutos o que considerava já muito bom para um gajo com a minha “rapidez” e estava satisfeito com as marcas. Pelo meio fiz 39,17min nos 10km de Avintes (que pelo que se diz só tinham 9,7), ou seja, não conta verdadeiramente para este rosário – é oficial mas não corresponde à verdade. Baixar os 40 minutos estava para mim a uma distância tão grande como baixar as 3h numa Maratona – impossível (pensava eu).
Então como é que de repente, sem treinar especificamente para 10km, cansado de semanas e semanas de preparação para uma Maratona, chego tão perto da marca dos 40min (ok – tirar ainda 29 segundos é muita fruta, mas olhando como acabei a prova, em que poderia ter dado mais um pouco, agora já não me parece impossível)?

Pois não sei…só encontro explicação por ter aumentado muito a minha resistência no último ano, com as preparações e consequentes participações em provas de distâncias longas (Maratonas e Meias Maratonas) – consigo agora correr no meu máximo durante mais tempo – só pode ser isso.

Nunca conseguirei correr um km que seja a 3min/km (nem a sprintar consigo chegar a essa velocidade), mas talvez consiga fazer 10kms a 3,59min/km se treinar para isso. Sempre me disseram que a velocidade não se consegue treinar, que é algo que tens ou não – podes melhorar mudando a forma de correr, aumentando a massa muscular mas não passas de lento a rápido por muita vontade que tenhas. Já a resistência é outra coisa, aqui sim a força de vontade, a persistência e treino fazem toda a diferença.

Neste momento os meus objectivos são claramente outros, mas sem dúvida que a corrida de domingo acabou por acrescentar mais um objectivo à minha longa lista – um dia destes vou tentar baixar os 40min/km aos 10.000m.

quarta-feira

A minha Corrida do Pai 2013

A Corrida do Pai é uma das provas que gosto muito de correr, pelo significado da corrida claro, mas também por ser uma festa popular que reúne milhares de pessoas no Porto e percorre algumas das zonas mais bonitas da cidade.


Foi pelos motivos acima que há uns meses atrás, confirmei ao Sr.Dias (nosso presidente do CAL) a minha participação nesta 10ª edição da prova. Já sabia que estaria na recta final da preparação para a Maratona de Paris, e que nestas alturas, em vez de andar a fazer corridas de 10kms deveria era estar a fazer treinos longos, mas pronto.
 
Já andava com saudades de participar numa prova, a última tinha sido em início de Fevereiro no Trail Sta.Luzia. O objectivo para esta prova seria fazer um treino rápido, dar o meu melhor sem no entanto exagerar – não me queria colocar metas, mas eu achava que um tempo no minuto 41/42 seria já muito bom.
No domingo de manhã, quando me levantei, estava um tempo desagradável, com chuva e frio, e como sempre em dias de prova, lá me desloquei até Fiães City para me encontrar com o Gil e o Zé Alexandre. Dos habitués desta paragem faltavam o Badolas e Zé Miguel (que não se inscreveram) e o Bruno Pinho e Bruno Maia que não apareceram (um pq se deitou tarde e outro porque teve medo da chuva). A caminho em Grijó, ainda nos juntamos ao Sr.Dias e ao Sr.Constantino e pusemo-nos a caminho do Porto. Chegamos cedo e conseguimos um lugar de estacionamento a 100m da zona de partida/chegada….maravilha. Lá encontramos mais alguns elementos do Clube e fomos até ao café ocupar o nosso cantinho – sempre que existe uma prova por ali, ocupamos uma sala de um café ali na zona (é o que faz chegar cedinho)…..entre amena cavaqueira, discutir alguns assuntos do clube e cumprimentar os rivais que tb iam aparecendo por ali, o tempo passou depressa e estava na hora do aquecimento. De salientar que pelo CAL estavam inscritos 25 elementos, distribuídos pela corrida principal e pela caminhada que se realizou em paralelo – um recorde para o nosso ainda jovem clube, que está a crescer a olhos vistos.
 


 
 O aquecimento foi feito com o Gil e o Zé Alexandre – sentia-me bem com excepção do tornozelo direito onde sentia uma dor que me estava a incomodar. No dia antes tinha feito uma corridinha descontraída de 7kms onde esta dor tinha aparecido do nada - mas pronto, não havia de ser nada.
 
 
Faltavam pouco menos de 10 minutos e fomos para o local de partida – o cenário era fantástico, o sol tinha aparecido (grande S.Pedro) e 12.000 pessoas em festa estavam distribuídas entre as várias zonas de partida, ocupando uma grande parte do sentido descendente da Avenida da Boavista. Desta vez estava inscrito nos atletas dos 40min o que fazia com que à minha frente estivessem muito menos pessoas do que o habitual. Mesmo assim, vi muita gente claramente deslocada naquele sector, até um senhor com um filho de 10 anos que acho ser uma irresponsabilidade. Quero acreditar que estas pessoas se tenham enganado na altura da inscrição ou que o tenham feito por inexperiência.

Não demorou muito, deu-se o tiro de partida, e mesmo estando ali na frente demoramos 30 segundos a passar o pórtico de Partida. O Gil fugiu logo no inicio (ele ia com o objectivo de baixar os 40min) e eu comecei a bom ritmo – enquanto descíamos até ao Castelo do Queijo comprovei que muitos iam ali só por ir, obrigando quem ia com objectivos a travagens e zigue-zagues constantes – havia um grupo grande (de T-Shirts verdes – penso que eram dum ginásio) que ocupava toda a faixa da estrada, iam a fazer a festa mas obrigavam-nos a ultrapassar pelos passeios…enfim. O primeiro km foi feito a ca.4,30min/Km e no 2º já ia bem mais rápido ca.4min/km….sentia-me muito bem e leve pelo que deixei-me ir….retorno no edifico transparente em Matosinhos e voltamos a passar na retunda do Castelo do Queijo, entrando na plana mas infindável Avenida Brasilia (tantos kms de sofrimento já passei ali, nas 2 Maratonas, lembro-me de uma Corridas de S.joão com 35ºC onde passei um sufoco autêntico)… continuava bem….5kms em 20min55seg (muito bom), retorno, abastecimento, e mais uma dose de Avenida Brasilia mas desta vez com vento contra a dificultar um pouco….aqui senti pela primeira vez algumas dificuldades, as pernas iam bem mas a caixa dava algum sinal de cansaço…lembro-me de ter feito umas contas de cabeça e mesmo se baixasse um pouco poderia chegar no minuto 41…. conseguia manter o ritmo (algumas vezes até abaixo dos 4min/km), embora agora já com esforço adicional, tentava não perder muito tempo pq sabia que o pior estava para vir….ca. do km 6,5 chegamos novamente à rotunda do Castelo do Queijo e viramos à direita entrando no sentido ascendente da Avenida da Boavista….até ao km 9 seria sempre a subir (umas vezes mais outras vezes menos) – até ao km 8 fui mantendo o ritmo (ca.4min/km)…incrível, mesmo a subir….mas do 8 ao 9km tive que reduzir um pouco para ganhar fôlego, mais um retorno para receber o Bónus do percurso, que é um último km sempre a descer em que andei a 3,45min/km com direito a sprint final nos últimos metros….acabei os 10km com uns incríveis (para mim) 40,29min, muito melhor do que estava à espera…os 5kms finais foram em 19,34min...fantástico….toca a receber a medalha (bem bonita) e o saquinho das lembranças e a sair da zona de chegada.
 
Mais à frente encontrei o Gil que tinha conseguido atingir o objectivo dele (39,50min – parabéns por isso) e o Artur Rodrigues (do NAC), 3º classificado com 31,07min, com quem estivemos um pouco na conversa (antes da prova tinha-lhe dito que hoje ia deixar que ele ficasse à minha frente:D) – o impressionante é que ele estava como se nada fosse, fresquinho como uma alface – grande Artur.
 
 
Depois foi esperar que chegassem todos, reunir juntos dos carros para tirar uma fotografia de grupo no fim – nem todos aparecem na foto, pq alguns tiveram que ir logo para casa e outros tinham os carros noutras zonas do Porto. Da próxima a fotografia de grupo tem que ser antes da partida.
 



Aqui os resultados e classificações da malta do CAL, com destaque para as marcas do Gil (baixou os 40min) e do Zé Alexandre que bateu o seu recorde pessoal na distância – destaco tb dois colegas de trabalho que participaram individualmente - O Marco Santos (que ficou no minuto 50 na sua 2ª corrida) e do Tony que fez uns incriveis 43min na sua estreia a correr na estrada (só treinou meia duzia de vezes em passadeira) - parabéns aos dois - no total finalizaram a prova 3775 atletas:

Class. geral
Escalão
Class. Escal.
Dorsal
Nome
M/F
Tempo Chip
48
M35
9
402
Nuno Silva
M
100
M45
17
400
Miguel Barbosa
M
134
M35
24
395
Gil Correia
M
175
M40
32
392
Carlos Cardoso
M
641
M55
24
390
Alberto Silva
M
760
M60
18
398
Lucidio Dias
M
865
M60
25
393
Constantino Santos
M
1132
M60
39
397
Joaquim Paulino
M
1292
M20
411
7691
Jose Moreira
M
1920
M60
73
394
Ernesto Carvalho
M
1965
M35
413
401
Miguel Matos
M
2515
F20
124
396
Janete Brandao
F
2517
M35
508
403
Pedro Lino
M


Quanto à minha prestação, e olhando ao meu nível, foi mesmo muito boa – ficar em 175º na geral e 32º no meu escalão é provavelmente o meu melhor registo classificativo de sempre - eu tenho um recorde pessoal oficial dos 10km com 39,17min, conseguido em Avintes em início de 2012 – nessa prova segundo a maior parte dos participantes a prova só tinha 9,7-9,8km….por isso, e embora oficialmente sejam 10.000m, nunca o senti como uma marca verdadeira.
Aqui umas fotos do pessoal, não encontrei fotos do Sr.Constantino, do Pedro Lino, da Janete Brandão nem do Tony:




 
Foi mais uma bela manhã desportiva, em família, numa prova (mais uma) organizada de forma irrepreensível pela Runporto, abrilhantada por um mar de gente cheia de vontade por passar um bom tempo ao ar livre.
A dor no tornozelo aumentou (durante a prova não senti, talvez por estar concentrado na corrida), domingo de tarde andei a gelo e pomadinhas, 2ª feira não treinei por precaução e ontem já voltei aos treinos para fazer 10kms – estive para desistir aos 3km pq parecia que a dor estava a voltar e a aumentar, mas decidi forçar e ainda bem. Hoje já não sinto nada e posso voltar aos treinos em força.

domingo

Maratona de Paris - 9ª semana de preparação


A semana começou com uma viagem até à Alemanha, onde sabia que me esperaria frio e neve. Tinha confirmado junto do Hotel onde iria ficar, que tinham ginásio com passadeira, pelo que tinha planeado correr todos os dias (2ª a 5ª) 10kms. Quando cheguei na 2ª ao Hotel fui logo espreitar o ginásio, para ver como era….horror….um cubículo no -2, com uma bicicleta estática, um banco com pesos e um solário…nem sinal da passadeira…fiquei pior que estragado mas logo decidi que iria correr lá fora estivesse o tempo que estivesse. E assim foi:
2ª – cheguei demasiado tarde pelo que não deu para treinar
3ª – 10,2km à noite com o meu colega Marco Santos a 5,11min/km
4ª – 10,2km – de manhãzinha com 10x400m a 4min/km – média 4,47min/km
5ª – 20km – o treino das “mãos nas nádegas” relatado no meu post anterior
6ª – descanso
Sábado – 7kms de corrida descontraída
Domingos – 2,5kms de aquecimento + 10km na Corrida do Pai no Porto, onde consegui um tempo fantástico para as minhas capacidades (40,29min) – sobre isto farei um post à parte nos próximos dias.

No total acabei por fazer ca.60kms.
Faltam agora 3 semanas para Paris.

sábado

Treino no gelo e "mãos nas nádegas"


É 5ª feira desta semana, estou na Alemanha, levantei-me cedinho e saí para dar uma corridinha matinal de 20km – até aqui nada de muito especial – quem acompanha os noticiários de certeza que teve conhecimento das vagas de frio e neve que se abateram sobre a europa central estes dias, e consequente caos que provocaram, desde fechos de aeroportos, cortes de estradas, acidentes, etc, etc e tal. Pois, a zona onde estive (no sul da Alemanha, numa cidade chamada Sindelfingen, mais conhecida por ser a cidade da Mercedes) foi um pouco poupada a este caos, embora o frio e alguma neve estivessem presentes. Mas não iria ser isso que me ia impedir de dar as minhas corridas, não é? Pois, calças cardadas, T-Shirt + camisola térmica, corta-vento, protecção para o pescoço e luvas…para ser perfeito só faltava um gorro.

O início custa sempre mais um pouco, os -3ºC sem sol (mas felizmente sem vento), prende-me os movimentos, gelam-me a cara e as orelhas (ai gorro, gorro…), e o ar que inspiro congela-me os pulmões. Mas passado uns 2 ou 3kms, já vou bem quentinho, mesmo o ar que meto nos pulmões já parece normal. São ca.7 da manhã, saio da cidade enfio-me por uns caminhos que circundam uns campos agrícolas enormes, que piso com cuidados redobrados com receio de escorregar devido à fina camada de neve que os cobre – este receio desaparece à medida que vou correndo e ganhando confiança – afinal a aderência da minha sapatilha ao chão é quase total.

No caminho que percorro, tenho apenas a companhia das músicas que o meu mp3 vai debitando e de vez um quando uns corvos pretos, de penas muito brilhantes que apenas se afastam quando estou quase em cima deles – são enormes - tinha uma ideia que este animal era mais pequeno - e ainda de umas pegadas marcadas na neve, que me dizem que alguém antes mim tinha passado por aqui a correr (são solas de sapatilhas, e a distância entre pegadas só podem ser de passos de corrida) – e eu que achava que me levantava cedo para correr..…de resto são campos e campos até perder de vista, com caminhos a serpentear entre eles, e uma ou outra pequena floresta pelo meio, tudo bastante plano.

Frio já não sinto, vou quentinho com excepção dos dedos das mãos que vão gelados….as minhas luvas são demasiado finas para uma temperatura destas, e ao contrário do resto do corpo, à medida que vou avançando a situação vai piorando. Tento exercitar os dedos, abro e fecho as mãos, aperto com força…nada…coloco as mãos na zona dos sovacos, numa espécie de abraço a mim próprio, mas não adianta muito, nada funciona e agora já é dor que sinto parecendo que os dedos vão explodir a qualquer momento.

Ao km 7 ou 8 vou completamente desesperado e lembro-me de uns pensos que comprei há umas semanas (mas que deixei em Portugal) para aquecer as mãos em situações extremas – fonix. Começo a pensar em outras partes do corpo onde pudesse aquecer as mãos – as partes “intimas” coloquei de lado para já (o desespero ainda não chegou a tanto), além de que não deve dar muito jeito para correr com as mãos no “material”, ainda me vêem e sou acusado por atentado ao pudor. De repente uma ideia original – pq não aquecer as mãos nas nádegas??? Dito e feito, mão direita por dentro das calças, colocada na nádega direita com os dedos bem abertos…aaaaahhhhhhh….maravilha…..o calorzinho da minha nádega direita a passar para a minha mão direita….efeito quase imediato....que alivio….e o melhor é que dava para continuar a correr sem grandes problemas….agora o mesmo com a mão esquerda na nádega esquerda…..uiiiiiiii….maravilha……repeti isto umas 2 ou 3 vezes e resolvi o meu problema….10km….é melhor dar a volta e regressar pelo mesmo caminho não vá me perder….agora totalmente bem começo a pensar na figurinha que tinha acabado de fazer….será que alguém me viu? Se viu o que terão pensado?....começo a rir-me como um perdido a imaginar a cena….um fulano a correr, a colocar as mãos por dentro das calças no traseiro e a fazer cara de satisfeito… que se lixe, resolvi o meu problema e isso é que interessa.

Agora no regresso até ao Hotel, sem problemas, posso usufruir novamente de toda esta paisagem magnífica, já com uns raios de sol a passar as nuvens….belo treino sem dúvida, com o bónus de ter aprendido uma forma efectiva de aquecer as mãos quando precisar ….sou um autodidacta :D

Aqui uns vídeos deste treininho…..
antes do desespero...
video

depois do desespero....
 
video
 
 Se um dia tiverem o mesmo problema não hesitem….mãos nas nádegas!!!

domingo

Maratona de Paris - 8ª semana de preparação


Mais uma semana boa de preparação embora só tenha treinado 3 vezes - gostava de ter treinado mais uma vez pelo menos, mas por diversos motivos não foi possível. No entanto qualquer um dos 3 treinos foram fantásticos à sua maneira e acabei por fazer os kms semanais que tinha previsto.

2ª, 4ª, 6ª e domingo – descanso

3ª feira – 19,2km com o meu amigo Badolas – a ideia inicial era de fazer um treino de series (8x1000m) mas à última da hora decidimos fazer um treino mais longo e ritmado. Fizemos Canedo, Fiães, Caldas e Canedo – para quem conhece, este percurso tem algumas subidas fortes, com destaque para duas (Ribeiras a S.Domingos em Fiães – 700-800m de subida ingreme) e das Caldas de S.Jorge para Lobão (2,5kms seguidos a subir bem)….aos 10kms íamos com 5,07min/km de média e mesmo com a subida das Caldas na 2ª parte do treino, chegamos ao fim com uma média de 4,59min/km. São este tipo de treinos que nos sobem a auto-estima (e nos dão cabo das pernas).

5ª feira – 16,15km – saí de casa para fazer uma corrida descontraída, depois dos 2kms, e como me sentia muito bem, decidi-me a fazer um treino de Fartlek….acabei por fazer um grande treino chegando ao fim com uma média de 4,55min/km.

Sábado – 36km de longo com os meus amigos Badolas e Zé Miguel. Fomos para a zona de Esmoriz-Cortegaça-Maceda-Furadouro-Ovar, terreno completamente plano para fazer um teste para a Maratona. E correu muito bem…fizemos os 36kms a uma média de 5,32min/km e senti-me bem….acho que ontem faria uma Maratona abaixo das 4h à vontade. Embora faltem 4 semanas acho que estou pronto para Paris.
Os 3 da vida airada depois da empreitada:
 
No total fiz um pouco mais de 71km esta semana. Amanhã vou para a Alemanha e só regresso na 6ª feira – vou participar numa feira de um cliente meu, e isto das feiras não deixa muito espaço para outras actividades – mas vou arranjar um tempinho para treinar – se não for na rua há-de ser na passadeira do Hotel (sim, já confirmei, e eles tem ginásio com passadeira). A semana acaba com o meu regresso às provas – confesso que já andava com saudades – com a minha participação, no domingo, na Corrida do Pai no Porto – não devo estar com grande ritmo para provas de 10kms, nem sei bem se vou só treinar ou tentar fazer uma boa marca – na hora decido.

Faltam 4 semanas para Paris.

sábado

Falta menos de 1 mês......Maratona de Paris 2013

....pouco me interessa o tempo que possa fazer, quero curtir cada passo dos 42,195km que vou percorrer pela Cidade Luz.....

Fantástico........

terça-feira

Estamos muito felizes :D

desta vez não tem nada a ver com corrida, mas tinha que partilhar aqui....a Inês, a Maria e eu estamos muito felizes....

domingo

Maratona de Paris - 7ª semana de preparação

Esta semana confirmou-se como complicada para dar seguimento aos meus treinos – estive na Alemanha, e tanto o tempo frio e neve como um programa de trabalho apertado fizeram com que 2ª, 3ª e 4ª feira não pudesse correr. Apenas na 5ª feira à noite, num Hotel em Nürnberg apanhei um ginásio no Hotel com uma passadeira e não perdoei – já andava a ficar nervoso – já nem me lembro de ter estado 3 dias sem correr. Regressei a Portugal na 6ª feira (um dia inteiro para chegar) e ontem e hoje compensei como poderão ver no resumo a seguir:
- 2ª, 3ª e 4ª feira – descanso
- 5ª feira – 12,5km passadeira (6 series de 1000m abaixo de 4,20min/km)
- 6ª feira – descanso
- Sábado – 30km de treino longo – desta vez sozinho, levantei-me às 5.45h e pouco depois estava na estrada – teve que ser assim, pois tinha que estar em casa pouco depois das 9h. O percurso mais uma vez teve muitas subidas, e fui aumentando os ritmos gradualmente (1ºs 10km a 5,31min/km, 2ºs 10km a 5,24min/km e 3ºs 10km a 5,15min/km) – senti-me bem e estou a recuperar tb bem.
- Domingo – 7,5km de corrida descontraída.
No total fiz 50km esta semana, que olhando aos poucos treinos até que foi muito bom. Na próxima semana quero voltar a aumentar os kms, tendo como meta no mínimo 70kms.
Faltam 5 semanas para Paris.
 
Não quero deixar passar em claro a excelente participação da Sara Moreira nos campeonatos europeus de pista coberta, ao sagrar-se campeã nos 3000m….que bem que sabe um título para Portugal. Parabéns grande campeã!!! És um orgulho para Portugal!!!
 
 
Acho que Portugal tem actualmente em femininos, uma excelente fornada de atletas que nos vão dar muitas alegrias nos próximos anos.