terça-feira

A ressacar ...

 

Estou a ressacar!!! Já lá vai quase um mês desde que me lesionei e deixei de correr. Acho que não preciso de explicar o que um gajo “viciado” em corrida sente quando o deixa de o poder fazer. Quem lê este cantinho percebe isso.

Pensava que a compra da bicicleta me iria fazer atenuar o facto de não poder correr … pensando bem, até faz um pouco. Mas só aquela parte em que me consigo manter activo, colocar o coração a bater mais rápido durante 1 horinha, umas 3 ou 4x por semana.

vai dando para acompanhar os outros nas corridas também

Tenho tido alguns amigos a dizer-me que agora vou passar para a bicicleta, que vou viciar nisto, vou ver o que é bom, etc, etc e tal. Muito sinceramente não me parece … gosto de andar de bicicleta, faz-me lembrar quando era miúdo e ia de bicicleta para todo lado, gosto de poder ir ver o mar e voltar a casa numa horita, gosto do desafio de vencer uma boa rampa a dar aos pedais sem colocar o pézinho no chão, gosto de tentar bater o meu recorde de maior nr. de km numa hora (por falar nisso está em 22,8  - eu sei, é pouco, mas é feito ao sobe e desce e num cavalo de pau 😊), gosto de chegar a casa e ao saltar da bicla sentir as pernas a tremer … gosto disso tudo, é verdade. Mas uma coisa é gostar, outra é adorar ou “amar” … e isso para mim é correr!!! Como sei isso?

Quando vou de bicicleta numa rampa bem inclinada e dou comigo a pensar “a correr é que era, e conseguia ser mais rápido”

Quando passo a grande velocidade por um corredor e o “invejo”

Andei a experimentar uns trilhos e só pensava “tenho que cá voltar e fazer isto a correr”

A verdade é que enquanto ando a treinar de bicicleta a minha mente foge muitas vezes para o desejo de andar ali, mas a correr. Essa é que é a verdade. Amor ou Vicio? Talvez as duas coisas … o que eu sei é que faz-me muita falta correr. Consigo imaginar-me uns meses sem andar de bicicleta logo que possa correr … mas não me consigo imaginar uns meses sem correr mesmo que possa andar de bicicleta … bem, acho que consegui passar a mensagem 😉

Passeios de Bicicleta sem grandes stresses com o tempo, como ir ver o mar e cenas assim eu adoro ... e acho que vai fazer parte da rotina familiar porque a Pikinita tb gosta



Podem ficar descansados que este blogue continuará a ser um blogue de corrida, alguma comida, muita parvoíce e agora tb um bocadinho de bicicleta 😊

Este mês tenho tentado manter-me activo e tenho feito alguma coisa todos os dias. Além da bicicleta (3 a 4x por semana) tenho feito muitas caminhadas e algum reforço, core e alongamentos (bhlecs para estes 3 últimos, é como arrancar um dente a sangue frio …) … vamos ver como vai ser agora com a chuva … é que correr à chuva não é problema para mim, agora andar de bicla ou caminhar já não é bem assim.

Quem tb gosta de dar uns passeios de bicicleta é a mai nova, temos dados uns passeios todas as semanas e a aumentar a distância ... no sábado fomos até ao Europarque e voltamos de bicicleta ... quase 9km numa bicicleta de roda pequena, sem mudanças, e com uns valentes sobes e desces ... a Bé teve que saltar abaixo umas duas vezes, mas digo-vos uma coisa ... a miúda é das rijas ...


está prometida a bicicleta nova, maior e com mudanças para o Natal 

esta está conquistada ...falta conquistar a mais velha, a Maria

No domingo passado regressei ao Quintal dos Pernetas … desde início de Março que não acontecia. Fiz um percurso de 13km com 600m D+ a caminhar que é qualquer coisa de espectacular … duro para quem quiser fazer um bom treino de corrida, desafiante quem o quiser fazer em caminhada, sem deixar de ser muito bonito. Vamos chamar-lhe de “Raide ao Camouco” e vai merecer um post à parte … fiquem atentos 😊

Andava com umas saudades do Camouco ...

sexta-feira

Kaputt ...

 



Ontem tive ordem de soltura do Rui ... já não tinha dores e estava confiante que estava em condições de voltar a correr. Cheguei cedo a casa do trabalho, mas entre as miúdas e o gajo da Vodafone que veio lá a casa instalar o serviço eram quase 22h quando finalmente pude sair para os 30 minutinhos para por a perna à prova. 

E vesti-me a rigor para um momento tão solene ... esta semana recebi a camisola #fazfumo que é bem catita e com ela espero que o meu mestre/guru/treinador louco tenha pena de mim de futuro e não me queira matar com os treinos ... o material da Compresport é caro mas é muito bom. 

Ó pra ele todo catita ...


Saí para a rua, estava a chover e a começar a ventar ... e eu de camisolinha de manga curta ... que se lixe, é só meia hora. E toca a abrir ... 500m a medos, nada ... 500m a acelarar ... nada ... 4,50/km ... segundo km a 4,40 e nada ... impecável ... a chuvinha e o frio já não incomodava, sentia-me soltinho ... 3º km a 4,30 ... e nada ... siga para casa ... 200m depois a dor voltou de repente e eu parei imediatamente ... fui até casa a caminhar, de vez um quando um trote só para ver se não tinha sido apenas impressão ... mas infelizmente não foi. Cheguei a casa encharcado, cheio de frio e com a moral em baixo.

Agora é parar mais algum tempo ... a Maratona do Porto já foi, tb já era quase impossivel chegar à data em condições de fazer o que pretendia. Nos próximos tempos dedico-me à bicicleta e aos exercicios de força e alongamentos (bhlec ... detesto mas vai ter que ser).

Há coisas piores .... sigaaa... 

quarta-feira

Perneta de Bicla ...

Ando caladito porque ainda não voltei a correr. Vai para duas semanas em que tive que parar … estou muito melhor, já não sinto dor mas ainda não tenho ordem de soltura. Talvez amanhã possa finalmente testar a coisa e se não me ressentir voltar aos treinos.

O objectivo Maratona abaixo das 3h10 (para mim e 3h05 para o gajo que me quer levar aos jogos olímpicos 😊) deve estar definitivamente comprometido para a data da Maratona do Porto. Tenho que ser honesto e mesmo que amanhã voltasse ao treino e não tivesse recaída só teria 3 semanas de treino a sério. Depois da PT281 já tinha recomeçado mais tarde do que previsto e agora mais estas duas semanas parado quando a coisa ia ficar mais séria … mas pronto. Primeiro que tudo é ficar bom e retomar os treinos … depois logo se vê.

Entretanto comprei uma bicla … e a Pikinita tb 😊 … já andamos para comprar umas biclas para dar uns passeios há muito tempo mas é uma daquelas coisas que se foi adiando. Ou porque não era a altura ideal, ou porque não tínhamos um bom sítio para as guardar, pelo cú ou pelas calças. Sempre que me lesionava a ideia voltava com mais força, porque há situações em que embora não possas correr, andar de bicicleta é possível e ajuda a manter alguma rotina de treino e evita que a tua forma vá pelo cano abaixo assim de repente.

E esta lesão actual trouxe mais uma vez a história das bicicletas à baila e desta vez a coisa foi mesmo avante … devidamente aconselhado pelo meu guru das bikes lá compramos umas de BTT simples, para principiantes. Foi no sábado e mal cheguei a casa fui experimentar … João Sousa … crias-te uma monstro 😊😊😊

e minha nova amiga ... simples mas serve muito bem

Eu quando era jovem andava muito de bicicleta, mas acho que já não tinha uma bicicleta desde o meus 18 anos, ou seja, há …cof, cof, cof … meia dúzia de anos. Desde essa altura que não dava uma voltinha “maior” em duas rodas movidas a força de pernas.

E o que é que um Perneta vai fazer logo assim para começar? 1h30 de voltinha … primeiro uma volta ao quarteirão para ver como funcionava a cena das mudanças que nada tem a ver com a última bicicleta que tive … era uma bela de um Órbitra de Corrida, branca … um maquinão.

Foi relativamente fácil compreender a cena das mudanças e como a destreza a manusear a menina tb estava no ponto, toca a pedalar por esse mundo fora … quem quiser que se arrume.

O velho ditado que diz “que nunca se desaprende a andar de bicicleta” é verdade, eu comprovei-o. Senti-me completamente à vontade.

Estão a ver aquele entusiasmo inicial … sempre acima dos 20km/h? Sou o maior cralhes … com a primeira subida mais longa e inclinada esse sentimento de ser o maior já esmoreceu um pouco … cum caraças, não há mudanças mais leves??? Pedalar e pedalar e não sair do sítio??? Não tenho dúvidas que a correr fazia a subida mais depressa e sem me cansar metade … mas logo a seguir a coisa ficou plana e voltou às “altas velocidades” … depois decidi ir experimentar uns estradões em terra que tinha descoberto na minha última corrida, afinal é uma BTT caraças …

sou o maior, cralhes ...

… foram apenas uns 2km e maioritariamente a descer … além de ficar a saber o que um doente de Parkinson deve sentir com tamanha tremeliqueira, o pouco de cerébro que tenho andar a bater nas bordas do crânio, as mãos e braços ficarem a doer tb senti a primeira vez que devia ter investido nuns calções de ciclismo, daqueles amaricados e almofadados que a malta usa … não comprei porque estava muita gente na Decathlon e eu estava com pressa.

Depois tive pela frente uma subida com uns 500m e uns 25% de inclinação, em Travanca. Ainda ia na descida antes e já a pensar em que desculpa é que ia dar a quem me visse a saltar da bicicleta para subir aquilo a pé … mais uma vez desejei que tivesse mudanças ainda mais leves, pedalei e pedalei com vigor com uma progressão em que se fosse a pé de certeza que seria mais rápido 😊 … mas apelei ao meu orgulho de Perneta, ferrei-me todo mas consegui chegar lá acima sem colocar um pézinho no chão … só não fiquei orgulhoso logo na altura porque toda a minha atenção estava focada em abrir a boca e tentar apanhar o máximo de ar possível 😊😊😊

Olhei para o relógio … ainda vou a meio … fonix … e o que acontece quando já não oxigenamos bem e nos dói o rabo? Pois, temos ideias idiotas … “e se fosse subir ao Castelo da Feira?” … e dizem vocês, os que conhecem a coisa … “e? isso é alguma coisa de especial?” … não subi pela parte velha da Feira, subi pelo outro lado, aquela “subidinha” da Escola Fernando Pessoa em direcção a Fornos (ufaaa) pela parte de trás do Castelo … ai, ai …. as pernocas já pediam clemência, a média à muito que já tinha baixado os 20km/h … afinal não sou o maior …

ai o meu traseiroooooo ...

Do Castelo voltei a casa … ainda dei uma volta ao quarteirão antes de voltar a colocar a minha nova amiga na garagem. Quando saltei abaixo e voltei a colocar os pezinhos no chão em pé nem sei se foi bom ou mau … se por um lado foi um alivio para o meu traseiro por outro lado parece que já não sabia caminhar …

25km em 1h24 para experimentar a minha nova amiga a quem ainda tenho que dar um nome… alguma ideia por aí? Foi fácil adaptar-me à bicicleta, faltam pernas porque não estou habituado, ainda não sei optimizar as mudanças para cada situação, os pés saltam dos pedais de vez em quando, mas tenho margem para melhorar 😊  

fraquinho, mas foi o possivel ...

Desde sábado ando mais atento às publicações das voltas de bicicleta da malta conhecida e confirma-se… tenho muita broa para comer ainda … nem sei como é possível o XXXX ou a YYYY andarem assim … deve ser sempre a descer, só pode 😉

Entretanto ontem voltei a testar a bicicleta … tinha apenas 1h30 entre ter deixado uns clientes no hotel e ir jantar com eles. Para pedalar 1h!!! E fui com ideia firme de fazer 20km/h … e não pensem que escolhi um percurso “planinho” … Feira, SJ Vêr, Lamas, Rio Meão, Feira …

ahhh ... já tá a melhorar ...

Acho que futuro vai dar para fazer umas belas de umas aventuras com a minha Pikinita (leia-se passeios)… vai dar igualmente para usar para uns treinos de recuperação das corridas e assim poupar as minhas articulações que já não vão para novas apesar dos meus trinta e picos anos 😉

Estou a gostar destas voltinhas mas o que eu quero mesmo é voltar a correr … estou a ressacar …

Em Pausa

 

É domingo, estou a acabar o treino de 20k previsto para hoje ... estou a 200m de casa e preparo-me para as 8 rectas de 100m que estão na prescrição de hoje. Foi uma corrida muito tranquila com a companhia da Pikinita, num percurso circular saimos de casa, subimos ao Lusoparque, exploramos umas estradas florestais que nos levaram por Espargo até à Zona Industrial do Roligo, fomos por Fornos, subimos ao Castelo da Feira e viemos até casa ... de repente vindo do nada uma dor abaixo do gémeo da perna direita ... parei imediatamente ... fui a caminhar até casa, gelo.

Á tarde tinha já alguma dificuldade em caminhar. Na 2ª feira estava pior ... é lógico que parei com os treinos. Na 3ª estava ligeiramente melhor e tinha a vistoria marcada com o Rui, que é quem me trata da saúde (ou falta dela). Apalpa aqui, apalpa ali ... "tens o Solear inflamado" ... resultado ... parar de correr, reavaliação na 6a feira.

Desde domingo que ando com azia por causa disto ... eu sei que não deve ser nada de muito especial, que podia ser pior, mas foda-se ... agora que tinha passado aquela fase em que me sentia uma "arrastadeira", que estava a motivar, em que os treinos começavam a fluir melhor e que ia entrar numa semana com mais treinos especificos que me dão aquela pica extra ... mas é como é. Vamos ver se a coisa vai numa semana ... se não for lá terei que reagendar o objectivo da Maratona sub 3h10 (para mim) e sub 3h05 (para o gajo que me quer matar) ... é que inicio de Novembro está aí ao virar da esquina.

Para já estou em Pause!!!

sexta-feira

Correr de madrugada

“Txiiii … vou correr 1h? … faço 7 ou 8 km e já é bem bom” … é este o pensamento que me assola ao mesmo tempo que dou os primeiros passos de corrida no treino de hoje.

Passam poucos minutos das 6 da manhã … levantei-me há pouco, o despertador tocou eram 5h50 … entre o “levanto-me” e o “csafoda o treino, fico a dormir” é uma luta que dura 1 ou 2 minutos apenas. Vence o primeiro porque ontem cheguei muito tarde e cansado a casa e não treinei e sei que hoje não vou ter outro tempo livre para correr.

Já tenho o equipamento na sala … levanto-me devagar, pezinhos de lã, fecho a porta que dá acesso à zona dos quartos e tento fazer o mínimo de barulho possível para não acordar ninguém. Xixizinho da manhã, bebo um copo de água e equipo-me ainda meio a dormir. “Isto vai custar …”

Desço de elevador … o tempo está fresquinho, não chove, mas está ainda noite cerrada. Pensava que  às 6h já haveria os primeiros raios de luz … enganei-me. Ligo o GPS do relógio … uns poucos segundos depois o som que me diz que encontrou sinal … está pronto … hoje é o dia em que podia demorar 1 minutinho ou mais que não me importava nada … mas isso só acontece quando tenho pressa. A vontade não era muita, tinha sono … vamos lá, tem que ser.

Ainda antes de arrancar passa um moço a correr com uma mochila enorme às costas … estranho … treino longo? Peso às costas? Será que vai para o trabalho a correr? … vá Perneta … chega de ronha … oupas …

Aquelas primeiras centenas de metros custam bué … ainda ando com dores de costas, especialmente quando acordo e até me começar a mexer … uns 500m depois já me habituei aos movimentos e aos impactos.

O percurso decidido enquanto descia de elevador contempla uma ida ao Castelo da Feira, num percurso que tem uns 8km … decido fazer em sentido contrário ao habitual. Nos primeiros km a coisa não anda … a média anda nos 5,40m/km. Tenho as ruas quase só para mim … apenas um carro de longe a longe.

A descer a zona velha da Feira a coisa já vai mais solta e começo a apreciar a corrida … olha que isto de correr de madrugada afinal é capaz de ser bom, já me tinha esquecido como era … vem a subida ao Castelo, uns 500m em paralelo bem inclinados feitas com facilidade a um ritmo bem moderado.


A zona do Castelo está às escuras … os horários das luzes públicas ainda devem estar adaptados aos meses de Junho, Julho e Agosto em que a esta hora já seria de dia. Sigo para Souto … sei que aquele piso tem muitos buracos e não vejo onde coloco os pés (nota: próxima vez trazer frontal) … cuidados redobrados. São apenas algumas poucas centenas de metros antes de colocar os pezinhos num tapete de alcatrão novo em folha … sigaaa ….


A partir daqui é a descer, o tempo está excelente a vontade em correr também … o ritmo aumenta naturalmente, mas sem exageros que isto hoje é para rolar. Maravilha …

… e é assim, todo feliz da vida a desfrutar da corrida que faço o regresso a casa, não de forma directa para os tais 7 ou 8km no máximo como estabeleci na minha cabeça quando isto começou, mas metendo mais umas voltas pelo caminho de forma a cumprir o estabelecido para hoje … 1h + 8x100.



Muito bom!!!

Há uns anos era habitual eu treinar muitas vezes assim cedo. Não tinha alternativa. Não é fácil para mim porque começo a trabalhar às 8h (vá … 8h05 ou 8h10 😊) … o gajo que me orienta (leia-se, me quer matar) já me tem dito que preferia que treinasse de manhã em vez do fim da tarde ou mesmo durante a noite. Eu deito-me tarde e depois custa levantar. Aqueles treinos mais específicos ou demorados como series ou longos não são viáveis … entre início e fim de treino necessito de 2h no mínimo, mas estes treinos de 1h ou pouco mais porque não?

Só custa mesmo levantar e começar … é tentar não ligar ao que o teu cérebro te diz e ir em frente … quando tiveres os primeiros 300m feitos acredita que já vais todo contente por teres tido a força em sair para treinar.

Feito ... maravilha

E as vantagens são muitas … chegas a casa desperto e bem-disposto. Haviam de ver a Pikinita cheia de sono a aturar um gajo bem-disposto 😊 … um banhinho, pequeno-almoço e lá vou eu cheio de energia a cantarolar até ao trabalho. Já não me “preocupo” com o treino de hoje … está feito … venham os imprevistos do dia 😉

A experiência correu bem … com os horários das miúdas, actividades extra, etc, etc, o tempo para correr será ainda mais apertado. Os treinos madrugadores deverão entrar novamente na minha vida, pelo menos os de rolar como o de hoje.

Veremos … vem aí a chuva e o frio, factores que tornam os treinos madrugadores mais difíceis. Mas eu tb gosto … só custa começar 😊


segunda-feira

Correr por Prazer - fiz a meia

 


“Ó Gil, isto não está fácil…”

A barriga inchada, a boca seca e a respiração descontrolada ainda durante o pequeno aquecimento que fizemos não deixava antever nada de bom. Paciência, a culpa é toda minha e de não me saber controlar quando entre excelente companhia há boa comida e bebida na mesa, mesmo que seja véspera de “prova”.

O jantar ideal para a véspera de uma prova ...





foi uma razia ...

elas não me largam .. é normal :)

No sábado passado voltei a sentir aquele “nervosinho” de prova de estrada, que diverge muito do que sinto quando faço uma prova de trail. Na estrada sou competitivo, normalmente levo comigo um objectivo de tempo para o qual terei que lutar bastante. Era o caso … ia participar na primeira prova virtual de forma mais “séria”, os 21km do Correr por Prazer Virtual do Vitor Dias. Tinha desafiado a Pernetada que iria na sua grande maioria fazer a prova no domingo (ontem) … eu só podia no sábado e a mim juntou-se o Gil.

Decidimos por fazer grande parte do percurso da Meia Maratona de Cortegaça, por ser bastante perto para ambos, pelo percurso com pouca confusão e o ar de maresia misturada com o cheiro dos pinheiros da mata da zona que é uma maravilha. Além disso a mata oferece algumas sombras o que neste fim de semana onde se previa sol e tempo abafado iria dar jeito. O percurso seria feito ao contrário, com partida no Furadouro e ida e volta a Cortegaça/Esmoriz, não pela estrada, mas pelo caminho asfaltado na berma.

Voltando ao aquecimento, estava a suar muito, estava perro … e deu-me aquele pikinho ao fundo das costas que não engana … depois de duas idas à casa de banho ainda em casa, ainda havia algum último javali que teria ficado a dormir e agora desperto se lembrou de andar às cabeçadas às paredes para sair. Antes agora do que durante a corrida. Uma última ida ao carro … bebi um litro de água com isotónico … da maneira como estava com a boca seca tinha que ser, tinha que tentar criar alguma reserva para a prova visto que não tínhamos previsto nenhum abastecimento a meio. Levava apenas 500ml de água com Dyoralite e dois géis para gerir. Vamos a isso … um trotezinho até ao limite da estrada da mata … ir largar o javali que tinha ficado cá dentro (afinal eram dois 😊), dois sprints e estava pronto …

Tenho a dizer que o Gil tinha como objectivo 1h30 o que para mim nesta altura do campeonato é demasiado rápido. Eu já ficava satisfeito se conseguisse 1h34 o que dá uma média a rondar os 4,30m/km, assim muito satisfeito ficaria com uma média de 4,24min/km (que é a média que preciso fazer para 3h05 à Maratona). Tinha dito ao Gil que o iria acompanhar nos primeiros km e depois logo se viria … ficou claro desde o inicio que amigo não empata amigo …


E lá se deu o tiro de partida …. o primeiro km foi feito a 4,13m/km … demasiado rápido mas é apenas o primeiro. Senti-me bem, as pernas estavam mais soltas, a respiração controlada … o segundo km baixou um pouco para as 4,18m/km mas as sensações continuavas estranhamente boas … mas ao 3º km, mantendo os 4,18m/km a respiração começou a descontrolar um pouco e comecei a sentir as pernas a ficar pesadas, sinal claro que estava a andar demasiado rápido para as condições em que estava … decidi que iria forçar até aos 5km e depois deixava o Gil ir à vida dele e geria a minha prova como pudesse. E assim foi … dos 4,4km aos 5km demorou uma eternidade … estava ansioso que chegasse aos 5km para me “libertar” da pressão de acompanhar o Gil que ia na boa, a conversar … finalmente os 5km com uma média de 4,18m/km.  

“Gil, tenho que abrandar se não não chego ao fim … vai à tua vida” … e lá foi ele … até aos 8km curiosamente não baixei o ritmo, ele é que acelerou um pouco e depois estabilizou … ia ali uns 80 a 100m à minha frente. Dos 8 aos 9km é que baixei um pouco, naquele troço entre o corte para a entrada da Base Aérea até à Rotunda do Barco (ca.1km) faltou-me força nas pernocas e foi um esforço grande para chegar lá … esta parte sobe um bocadinho … quem conhece a estrada da mata sabe que o percurso é ondulado, nunca muito inclinado, as subidas e descidas são ligeiras mas praticamente no redline a coisa custa… continuava com a boca seca, só tinha 500ml de água e geria bebendo um golito de vez em quando para enganar a sede. A vontade era beber tudo de uma vez 😊


Na rotunda em vez de cortarmos à esquerda fazendo a recta que leva à praça onde se dá a partida/chegada da MM Cortegaça, fomos em frente até à entrada de Esmoriz e com 10km demos a volta. Do Barco até lá é ca.1km a descer ligeiramente. Aproveitei para recuperar o fôlego e estabilizar a respiração … passa o Gil já a regressar, tem agora uns 150m de vantagem … faço o retorno com 4,19m/km de média … muito muito bom. Estou cansado, estou com muita sede mas estou com vontade de fazer os tais 1h32,30 que seria à partida o “muito bom” para mim … ainda consigo fazer contas de cabeça e sei que se fizer cada km que falta a 4,28 chego lá … começo a encarar a prova 1km de cada vez, sendo o objectivo não passar os 4,28m em cada um deles.

Mas primeiro tenho que vencer a “subida” de volta, de Esmoriz até ao Barco … saco de um gel … está calor, esta zona é exposta ao sol apesar das árvores. Custou-me mesmo muito este km mas fiz 4,27km … boa 😊

Numa prova normal com outros atletas tu tens várias hipóteses de tentar distrair a tua mente como ver quem vem em sentido contrário ou procurar um companheiro de ocasião para apanhar uma “boleia”. Aqui, sozinho, não tens essas ferramentas. Tens que ser criativo e arranjar outras artimanhas …a mim deu-me para as contas de cabeça, ou para me premiar com um golito de água se conseguisse não baixar o ritmo até àquela árvore ali ao fundo. Tácticas … nem sempre funciona, mas enquanto vais tentando o tempo vai passando.

4,17 … 4,28 …4.21 …4.25 …4.21…4.25 … olhando para os parciais há um padrão, um km mais rápido, um mais lento … acho que tem a ver com o traçado ondulado do percurso …. Mais rápido quando apanhava as descidas e mais lento quando apanhava mais subidas … facto era que estava a ficar mesmo bastante cansado e a ter que lutar cada vez mais para não baixar os tais 4,28m/km … sei que tinha alguma vantagem que me permitia fazer alguns mais lentos mas 4 km ainda é muito km.

E os últimos 4km foram mesmo muito duros … o calor apertava, as pernas pesavam o dobro e a respiração não havia forma de ser controlada. Acho que também o psicológico de já não faltar muito ajuda … na mesma situação se a prova tivesse 25km talvez ainda não entrasse nesta “ansiedade” de estar prestes a acabar. É normal.

Km 18 a 4,28 … umas contas de cabeça rápidas … “ainda consigo entrar no 1h31…” e acelero

Km 19 a 4,23 … paguei o preço por ter andado mais rápido na primeira parte deste km ... na parte final do km19 entrei morto …

Km 20 a 4,30 … 1h31 fora de hipótese, já não tinha força para lutar … é aguentar … ali vem o Gil no retorno para fazer o último km … “então Gil??’…” … nem respondeu, pareceu-me nas últimas tb … retorno aos 20km …

… a primeira metade do último km é a arrastar … tenho a respiração completamente descontrolada e as pernas não andam … olho para o relógio e vejo a velocidade a uns perigosos 4,50 que podem inviabilizar o meu objectivo. Aos 500m dou a volta e acelero o possível … lembro-me de ver 4,13 no ecrã, depois já só me lembro de olhar para a distância total à espera que o 21,1km apareça o mais depressa possível.

Feito caralho … 1h32,20s … 4,22m/km de média. Muito muito bom 😊 … fiz um pequeno filme logo após ter terminado a prova … a forma como estava a respirar é real … dei o que tinha …


Fui procurar o Gil … fez 1h30,04 … foi pena aqueles 5 segundos mas foi excelente tb para ele, que anda a treinar certinho há uns meses o que já se nota. Daqui a menos de 2 meses vai alinhar comigo na aventura de tentar bater o meu (e o dele tb) recorde da Maratona.

Ainda deu para mandar um mergulho nas águas frias do Atlântico … estava destruído das minhas costas que ainda não andam bem. Cheguei a casa a custo, mas um banhinho, uma horita de descanso e um bom almoço fizeram maravilhas. Durante a tarde já me senti bem melhor. 2ª feira voltam os treinos ruma à Maratona.

uma horinha de caminha fez maravilhas ...

Estou mesmo muito satisfeito com este teste … fui ver os registos das minhas Meias Maratonas … fiquei a quase 5min do meu recorde, mas em todas estes anos apenas por 4 vezes fiz melhor. Ou seja, no sábado, com apenas 2 semanas de treinos fiz o meu 5º melhor tempo de sempre. Acho que é caso para me sentir satisfeito e um bom indicador para o que verdadeiramente interessa … a Maratona do dia 8 de Novembro.

Parabéns Gil, grande tempo, estás a ficar afinadinho. Obrigado pela companhia 😊

Parabéns a toda a malta do CAL que ontem tb alinhou neste desafio … enquanto que uns se afundaram completamente durante estes últimos meses de pandemia (e especialmente férias) há outros que estão em grande forma como o meu primo Elisio que se estreou na distância logo com uma média abaixo dos 5m/km … parabéns a todos.

que grande inkipa com a Pikinita infiltrada na malta do CAL

e como sempre organização TOP ... abastecimento assegurado pelas nossas meninas e acompanhamento dos atletas de bicla pelo Bruno que está gordo que nem um chino ...

Nota final para estas provas virtuais … andei estes meses todos sem ligar nenhuma, até nem achava piada. Talvez por andar entretido com outro projecto, não sei. Mas gostei … como escrevi ao inicio, mesmo não sendo a mesma coisa de uma prova a sério, tem algumas coisas parecidas … o “nervosinho” pré-prova é um deles … acho que vou repetir mais algumas no futuro. Obrigado à Correr Por Prazer e ao Vitor Dias por este bocadinho.

Estou curioso para ver como recupero do esforço … durante a semana já vou saber.