segunda-feira

Ganda treino


Este texto começou a ser escrito vai fazer quase duas semanas. Entretanto já estive uma semana na Suíça em trabalho e ajudei a organizar os Trilhos do Marco dos 4 Concelhos, etapa do Circuito de Trail de Santa Maria da Feira em Canedo organizada pelos Pernetas - mas isso fica para segundas núpcias.

Hoje quero registar aqui um treininho que fiz e que me soube pela vida. Como sabem, vou algumas vezes correr junto das margens do Douro no Porto e Gaia à noite. Umas vezes mais pelas marginais bastante planas e outras aproveitando os desníveis brutais de subidas e descidas das colinas e pontes que ligam as duas margens. E há assim um ou outro percurso que se vai repetindo com ligeiras nuances. E foi um desses habitués que eu fiz.

Sempre fiz este percurso com companhia, na maior parte das vezes num grupo de várias pessoas e sempre em ritmo descontraído e na conversa. Desta vez seria diferente … 

Vinha a conduzir, com o saco do equipamento no carro … não me apetece muito correr, choveu o dia todo, está frio e desagradável … começo a pensar no que falta esta semana, em que dias posso treinar para ver se arranjo uma alternativa mas não está fácil, diria que está impossível … vai ter mesmo que ser … eram perto das 21h quando me equipei no carro e saí para a rua … tirando uma senhora num carro estacionado entretida a olhar para o telemóvel nem vivalma … a explicação era fácil … ali a menos de 1km estava a jogar o "meu" FCP a tentar despachar a Roma.

Vamos lá começar isto …pelo menos agora não chove …  ainda estava a dar os primeiros passos e dei comigo a pensar … será que consegues dar esta volta com uma média abaixo dos 5min/km? Não deve ser nada fácil mas podemos tentar… foi o suficiente para me motivar …



Saída do lado do Porto, do Freixo para a Ponte D.Luís, subir a Corticeira para a Ponte do Infante (1) … fodaice, a média já vai em 5,15m/km ... passar para o lado de Gaia a tentar meter ar nos pulmões, descendo pelos morros até quase ao rio conseguindo baixar para os 5min/km. Depois é voltar a subir até ao tabuleiro de cima da ponte D.Luis (2) onde chego novamente bem acima do pretendido - 5,14m/km. Atravesso o jardim do Morro a forçar para descer novamente até à tabuleiro inferior da Ponte D.Luís onde chego com 5,04m/km.

Depois são alguns km bem conhecidos de quem corre a Maratona do Porto … da zona da meia maratona até à Ponte Arrábida, muito planinho onde tento um ritmo mais alto mas constante e finalmente consigo baixar ligeiramente os 5m/km já a chegar à Ponte da Arrábida - mas é preciso a atacar uma subida daquelas para conquista-la (3) - não é nada fácil, pois a subida começa a inclinar cada vez mais á medida que vamos avançando e ficando sem ar … como se não bastasse ainda tens que vencer uma escadaria e a parte final é uma picada em trilho de terra onde quase bates com o nariz no chão - pelo menos parece. Voltei a estar acima do objectivo … 5,07min/km. 

Passo novamente para o lado do Porto, aproveitando passagem da ponte para tentar recuperar o folego e esperando que as pernas parem de latejar. Estou de regresso que agora é sempre do lado do Porto. Campo Alegre, Pavilhão Rosa Mota, Hospital Santo António, Torre dos Clérigos, Avenida da Liberdade … muito sobe e desce, algumas partes empedradas que por estarem húmidas são perigosas (as solas das Quantum tem fraca aderência nestas situações) estou novamente abaixo dos 5m/km mas falta subir a 31 de Janeiro (4) que parece fácil mas nunca mais acaba, Batalha, e descer à margem do rio pelas escadarias dos Guindais (que sempre me massacra os joelhos de forma impiedosa pelo que desta vez desci pela Corticeira o que não foi muito melhor pela inclinação e pelo piso super escorregadio) - chego á marginal do Douro com 4,58min/km … faltam os últimos 2,5km planos para voltar ao Freixo… tá feito … ainda tenho energia, sinto-me cansado mas bem pelo que ainda consigo imprimir um ritmo forte mas confortável até ao carro. 

4,55m/km de ritmo médio

Foram 15,6km com apenas 250m D+ que parecem muito mas muito mais por serem feitos quase na totalidade em 3 subidas com inclinações brutais.


Cheguei ao carro todo satisfeito pelo excelente treino - liguei o rádio do carro enquanto alongava … estava no prolongamento, 2-1 para o FCP … falha enorme do Dzeko, uma bola tirada em cima da linha pelo Pepe … aguenta coração (no relato sofre-se bem mais) e logo depois penalti para o Porto e golo devidamente festejado, sozinho no parque de estacionamento. Logo de seguida possível penalti para a Roma … o VAR vai decidir … 30 segundos que parecem um eternidade … não é penalti … passamos!!! … afinal ainda sofro um bocado com o futebol. Mas não troco por uma boa corrida, acreditem :)

Um dia destes volto para fazer melhor!!!

Rumo ao GTPE


Aviso já que esta posta vai criar uma inveja daquelas boas a todos os meus amigos e malta de gosto duvidoso que continua a visitar este tasquinho J

Começou a aventura “GTPE” (Grande Trail Picos da Europa)!!!
Esta semana corri (e caminhei) quase 75km, divididos por 6 treinos. Nada de muito especial não fossem cada uma destas 6 corridas tão diferentes, todas elas excepcionalmente lindas em locais diferentes. Quero mostrar como foi cada uma delas:
2ªfeira, dia 25/02/2019, Klingenberg am Main – Corrida 18km, 520D+
Depois de me ter levantado às 3 da manhã, feito 2500km até Frankfurt de avião seguido de mais 100km de carro cheguei a Klingenberg am Main, uma localidade na fronteira norte da Baviera junto ao rio Main. Conheço esta zona razoavelmente bem … costumo vir cá 2 ou 3 vezes por ano. O tempo está muito bonito, primaveril, solzinho bom e quando chego à rotunda de entrada na localidade os meus olhos esbarram nas encostas de vinhas com declives impossíveis do outro lado do rio. “se despachar o trabalho cedo ainda vou ali acima ao Castelo e à Torre”. Havia uma reunião importante para preparar para o dia seguinte – almoço uma sandocha para não perder muito tempo. Depois há treino de reforço muscular pela frente com o carregar de umas amostras (numa próxima vida não quero vender calhaus, vou optar por lingerie feminina ou algo do género, algo mais levezinho J) para um primeiro andar onde se realizará a reunião do dia seguinte – nada de mais, uns 200 ou 300kg apenas J. Depois certificar-me que tudo está a funcionar e rever a apresentação do dia seguinte – correu tudo maravilhosamente bem de forma que eram 16.30 e estava equipado, na rua a ligar o meu relógio GPS. Os dias estão mais longos, tenho um compromisso para jantar com a equipa de vendas às 19h – tenho duas horas e uns trocos para gastar J


Apenas dizer que fui para zonas que conhecia, tentando intercalar com alguns troços novos para mim. Foi muito diversificado … floresta, single-tracks, alcatrão, corta-mato, castelo, vinhas, estradas florestais, grutas, pontes, pontões, torre, terra, relva, pedra, trilho geológico, escadarias … deixe-mos as fotos falar …


isto começou logo logo a subir … não se brinca 


Torre bem no alto conquistada

Castelo conquistado também

Klingenberg am Main visto de cima 

Viver a Geologia ...



aqui já lo lado das vinhas


pronto … tinha que ser ...

uma curiosidade … no meio da Floresta, bem no alto do monte encontrei esta coisa que é nada mais nada menos que a forca onde eram executados os condenados à morte aqui da zona até ao inicio do século 19 … ser enforcado não deve ser nada meigo mas aqui pelo menos é um sitio recatado, bonito e solarengo com vista para o rio Main … mesmo assim eu dispenso :):):)

no regresso ao hotel … os dias estão a ficar mais longos … maravilha


3ª feira, 26/02/2019, Klingenberg am Main – Recuperar as Pernas e a Cabeça - 8km com 21m D+
A reunião de vendas começou mais cedo do que a hora marcada – estavam todos e porquê esperar? Alemães J … foi o dia enfiado numa sala de reuniões com apresentações, discussões, planos, estratégias. Eram 16h e estava tudo acabado … e eram 17h estava a chegar ao Hotel, cansado da mente e das pernas também. Tinha combinado sair para jantar às 18,30h com um colega e a ideia era ir correr antes – só que não apetecia mesmo nada, nadinha mesmo. Forcei-me a vestir o equipamento – havia uma força estranha a puxar-me para não ir – o sol tinha desaparecido, o fim do dia estava frio … “vais fazer 5km Perneta!!” .. e a muito custo lá fui. Liguei o relógio e fui para beira Rio onde é planinho … as pernas estão muito perras mas à medida que vou aquecendo os músculos começam a soltar-se e ainda antes do primeiro km já ao lado do rio esqueço tudo … que maravilha … foi aqui que há uns 3 anitos fiz um treino longo para a Maratona do Porto que foi um espectáculo … 30km em 2h17m o que na altura me deixou nas nuvens e todo empenado J  … voltando ao treininho de hoje, foram 8km descontraídos que me deixaram as pernas em melhores condições que antes de correr e a mente limpa J
larguei uma manada de "javalis furiosos" naquele arbusto do lado direito a seguir a essas árvores despidas … foi mesmo mesmo a tempo de evitar uma desgraça … levava menos de 2km


já corri aqui uma dezena de vezes e foi a primeira vez que vi uma praia fluvial … 

tb na Alemanha anda a chover pouco e os caudais dos rios estão baixos 

 


4ª feira, 27/02/2019, Klingenberg am Main – Corrida das Árvores - 15km com 350m D+
Dia para regressar a Portugal, mas isso era só no último voo do dia. Antes ainda havia trabalho e correr só se fosse logo de manhãzinha. Ainda não eram 7h30 e já estava na rua … estava muito frio e eu de calções … estariam um grau negativo. As amplitudes térmicas nestes dias eram enormes, passavam de 20 graus positivos durante o dia para temperaturas ligeiramente negativas durante a noite.


todos os dias tive que raspar gelo dos vidros do meu carro..

Siga para os montes. Desta vez em vez de ir para esquerda vou para a direita … tudo novo para mim, à descoberta do desconhecido como eu tanto gosto. E não defraudou nadinha … foi ida e volta … na ida tudo nas calmas, tirei as minhas fotos, apreciei os pormenores … o foco estava nas árvores que estavam lindas … a volta foi a abrir, mas sem exageros … sentia-me bem e fiz tudo com uma média abaixo dos 5m/km. Maravilha!!! Senti-me excelentemente bem para atacar um dia muito longo que acabou com o regresso a casa já perto da meia-noite.


nascer do dia gelado 

os primeiros km foram pela floresta onde vi árvores lindíssimas





à saída da floresta ...

encontrei um caminho da Maria que nos levava por entre campos 


sinalética engraçada para identificar as casas de banho :) … desta vez não foi preciso, tinha deixado o javali na sanita do hotel :)

5ªfeira, 28/02/2019, Porto – O Puorto é lindooooo carago – 10km com 200m D+
O GTPE é a dois … estou inscrito com a Pikinita que por questões de saúde está ainda mais atrasada que eu na preparação. Estando em patamares diferentes não quer dizer que não possamos treinar juntos. E foi isso que fizemos. Não é quando se quer, é quando se pode … eram quase 22h e hoje custou mesmo sair de casa, estivemos mesmo para não o fazer. Os dias tem sido cansativos, chega-se tarde a casa, há coisas em casa que estão por fazer e é preciso optar. Ainda bem que acabamos por optar por ir correr hoje… fomos para as margens do Douro no Porto e fizemos um percurso de 10km pelas colinas de Porto e Gaia, zona histórica, bairro da Sé, etc, etc, etc … as águas do Douro estavam a libertar um vapor que dava um ar mágico ao quadro que se deparava à nossa frente. É curioso … corro muitas vezes por estas bandas e basta um pormenor de luz, um nevoeiro outro pormenor desses para tornar o mesmo quadro completamente diferente mas sempre espectacularmente belo J
 




e prontos … é isto








Sábado, 02/03/2019, Lisboa – Experimentar Monsanto – 13km com 450mD+
Fomos passar o fim de semana à Amadora – fomos na 6ª à noite. Na bagagem levamos equipamento. Temos que fazer um treino pelo menos. A agenda era apertada – a primeira opção para uma corrida por trilhos era a Serra de Sintra que ficou de fora por nos “roubar” demasiado tempo em viagens de ida e volta. Alternativa era Monsanto que desconhecia completamente. Andei perdido na net a tentar encontrar PR que estivessem marcados – sem sucesso. Achei muito estranho tão pouca informação - havia tracks para descarregar mas não tinha trazido computador e cabo para carregar o meu relógio que estava com muito pouca bateria. Vamos para lá e com certeza havemos de encontrar trilhos marcados. Não há … pelo menos não encontramos nos 13km que percorremos entre estradões florestais e single-tracks em que nos aventuramos. Foi bem giro, gostei bastante .. mas gostava de ter tido percursos marcados que funcionassem como visitas guiadas a quem não conhece. Achei muito estranho o pulmão de Lisboa não ter mas alguma razão lógica deve haver para isso não acontecer. Uma nota muito positiva para algo que cada vez é mais raro – 99,9% das pessoas com quem nos cruzamos, corredores, btt’s, caminheiros, etc disseram “Bom dia” J … não custa nada e fica tão bem J
Saímos da Serafina


a única marcação que vi foi esta dos pontos azuis … mas não sabia para onde ia, quantos kms, etc


a pikinita tá voltar à forma


obrigadinhos pelo abastecimento D.Maria José 

dá-lhe … rissóis e água … faltou a bela da mini ..


NOTA IMPORTANTE: 1 visita a Monsanto = 1 largada de javalis furiosos … posso afirmar categoricamente que adubei a Capital :P


 Domingo, 03/03/2019, Amadora – Corrida das Flores Campestres – 10km com 140mD+
Fomos até ao Parque de Arte e Desporto da Amadora que ficava apenas a 1km de casa. Fica bem no alto e oferece vistas espectaculares. Demos primeiro uma volta por fora ao Parque que dá quase 3km, que não é plano … tem umas subidas e descidas que upa upa … depois andamos a explorar a parte de cima do monte onde existem tudo o que se pode imaginar para praticar desporto – campos de futebol, ténis, squash, parque infantil, banquinhos, máquinas de exercícios diversos em circuito, pista para bicicletas, etc, etc, etc. Muito boas condições para passar tempo com toda a família, desde os mais pequenos aos mais velhos. Tudo em ambiente rural … muito bom mesmo.
muito bom … aconselho uma visita..
e é isto …
 
 
 os rebanhos de ovelhas a aproveitar os prados verdes deste parque..
 
 tem umas belas rampas … dá cá uns treinos como eu gosto
 
 
olhem a quantidade de flores campestres diferentes só neste parque
 
  
 
E foi assim a minha semana. De um lado para o outro, sempre com a agenda muito preenchida mas não esquecendo de incluir a corrida no programa. Dormiu-se menos para poder fazer tudo … são opções J … também deixei de fora ver o clássico no dragão e ainda bem – não (só) pelo facto de o Porto ter levado no pêlo mas muito mais porque fui conhecer o Bairro Alto onde nunca tinha estado à noite – sim, trabalhei 2 anos em Lisboa e nunca tinha ido ao Bairro Alto à noite. É que nessa altura, à 6ª feira acontecia o ponto alto da semana … entrar na auto-estrada seguindo as indicações A1 Norte JJJ … tou a brincar/ou talvez não J … 
Uma semana excelente como inicio de preparação para o GTPE … a Pikinita tb está a melhorar. Agora é começar a aumentar as distâncias.
Assim não custa nada correr!!!