sábado

Maratona do Porto 2015 - 2ª semana de preparação feita

 
Está concluída a 2ª semana de preparação para a Maratona do Porto deste ano. Amanhã será dia de descanso (ainda devo fazer uma sessão de reforço muscular, a 4ª desta semana J .. sim, leram bem … mandem-me internar J).
Tal como na semana passada, no geral fiz (quase) tudo o que estava no plano .. um treino de corrida a menos, mas ligeiramente mais km do que previsto.

Mas nem tudo foram rosas … ao contrário da 1ª semana, esta ficou marcada por vários problemas físicos.
Logo na 2ª de manhã, ca.6h saio de casa para uma 1 horinha a ritmo de recuperação … ainda não tinha corrido 100m e dá-me uma “fisgada” no joelho direito …. paro um pouco e tento novamente … nem 100m depois nova “fisgada” … mau … não acredito … caminho um pouco, sem problema e tento mais uma vez correr em passo muito lento… záaaassss …  uiiii…. parou … conheço o fenómeno e não adianta insistir … de longe a longe tenho este problema (a última que me lembro, foi em Maio/Junho na Suiça) … ainda dei uma voltinha de 3km a caminhar (a caminhar não dói nadinha) e fiz uma sessão de reforço muscular – já que me tinha levantado cedo –  sempre que me dá este fenómeno, no dia a seguir já vou correr normalmente … mas de todas as as vezes fico preocupado, com receio que desta vez não passe como habitualmente. No dia seguinte, levantei-me cedinho novamente e fui correr … zero problemas J
O treino de séries na 4ª feira custou-me mesmo muito …. O percurso foi igual ao da semana anterior, mas como as series eram mais curtas (800m em vez de 1000m), tal como os intervalos (400m em vez de 500m) apanhei muitas subidas durante a fase de dar gás, o que além de tornar o treino mais duro não me “deixou” atingir o ritmo que queria … mesmo assim deu 3,58min/km de média …. a discrepância entre series é enorme … tive series entre 3,43 e 4,16min/km J … mas tb neste treino tive um problema físico … do problema no joelho nem sinal … a 5ª serie acabou numa subida (10%) com ca.200m … quando a acabei senti a perna esquerda presa, ao estica-la ficava com uma dor no músculo posterior da coxa esquerda e isso prendia a perna … parei, fiz uns alongamentos e pensei em acabar com as series e voltar a casa… como me senti melhor, lá continuei com o treino previsto … no fim, ao rolar até casa voltei a sentir o problema no mesmo sitio… era muscular, nada de grave, mas bastante incómodo ...
No dia seguinte tinha na ementa uma corrida ligeira de 40min … mas entretanto combinei um treininho com o Badolas .. ele não vem de Fiães a Canedo para correr 8km, por isso fomos fazer 14,5km em ritmo descontraído para colocar a conversa em dia … a minha coxa esquerda que parecia estar melhor, deu sinal ao fim de poucos km … insisti e levei o treino até ao fim, com algum esforço J ... Na 6ª não estava melhor, e decidi descansar e fazer uma visita ao Rui Tavares para uma massagem … embora não ficasse a 100%, fiquei melhor e deixei para hoje de manhã a decisão de embarcar no longo desta semana ou não…
… hoje quando acordei, ainda sentia uma dor ligeira na coxa esquerda, mas estava muito melhor … decidi arriscar, se a dor voltasse forte eu parava e voltava para casa. Mas foi o contrário, depois de um inicio em que ainda senti a perna presa, com o passar dos km melhorou e acabei os 27km bastante bem. Mas não foi fácil … tentei novamente seguir o plano, correndo lentamente para manter os bpm entre 126 e 135 … impossível …. Por muito devagar que eu ande, nas rectas e descidas ainda vou consegindo, mas nas subidas nem a passo … ainda por cima hoje, nos primeiros 10km os meus bpm andavam completamente doidos … cheguei a ter mais de 160bpm a descer a 5.30min/km … até que decidi ignorar este pormenor, mantendo um ritmo baixo, sempre de forma a que me fosse possível manter uma conversa ou até cantar … por isso, se alguém me tiver visto por aí hoje de manhã, a correr e a falar sozinho ou a cantarolar, não liguem … o gajo tá doído de todo mas é mesmo assim J
A plano para a semana que vem é diferente das duas primeiras –prevê novo aumento de km semanais, não tem series, mas prevê um treino de fartlek e outro de ritmo, além do longo que aumenta para 28km – vamos lá ver se consigo tempo para o longo, porque no sábado vou estar o dia todo ocupado com o nosso 1º GP de Lamas e no domingo a Inês vai trabalhar o dia todo e eu vou ficar com as nossas meninas. Alguma maneira há-de arranjar-se. Importante mesmo é não voltar a ter problemas físicos além dos empenos  normais de alguns treinos...

segunda-feira

Maratona do Porto 2015 - a minha já começou



Esta selfie marca o arranque da minha preparação para a Maratona do Porto 2015. Vamos lá ver se na selfie final, daqui a sensivelmente 12 semanas, terei uma medalha ao pescoço e um sorriso rasgado de satisfação pela 8ª Maratona de estrada concluída, se for com o ego quase a rebentar com um RP novo, tanto melhor J … já estou a tentar fazer por isso…
 
O plano que tenho é apenas uma linha mestra, que vou tentar seguir o máximo que puder, sabendo de antemão que não o irei conseguir … o deste ano é o mesmo que o ano passado, feito para quem quer chegar em 3h15min ao fim dos 42,195km … a diferença é que este ano decidi tentar respeitar os intervalos de bpm que a Runners World alemã aconselha, o que implica corridas lentas (nos anos anteriores estive a borrifar-me para este "pormenor")… esta semana foi assim …
 
… de uma forma geral fiz o que estava estipulado para a primeira semana … ultrapassei ligeiramente os km previstos, mesmo com menos um treino de corrida (4 em vez de 5). Não fiz a natação, porque na 3ª feira, à hora de almoço, bati com o nariz na porta da Piscina Municipal de Fiães – fechada para férias até final de Agosto L … Reforço muscular foram duas sessões, uma pequena viagem de 15-20min entre agachamentos, flexões de braços, abdominais e um circuito de pranchas … estou orgulhoso de mim mesmo J … das corridas destaco duas …
 
As series de 5ª feira – no plano estavam 15km no total, pelo meio 6x1000m a 4min/km … estava um pouco apreensivo – na semana anterior tinha feito um treino parecido, embora a ritmo mais lento … as series a 4,15min/km tinham custado pra caraças pelo que não estava muito confiante em conseguir faze-las a 4min/km. Ainda por cima às 6 da manhã, com o corpo ainda a pedir caminha J … depois de 3km de aquecimento a rolar lá dei “lume” nas sapatilhas e correu tudo lindamente …. Fiz as 6 series de 1000m a uma média de 3,58min/km, havendo series a 3,50min/km (quando apanhava descidas) e series a 4,03min/km (quando levei com subidas) … muito bom J
Longo de sábado – fazer 25km não é nenhum bicho de 7 cabeças para mim neste momento. A questão estava em faze-los num ritmo lento, tentando que os bpm/min andassem entre 126-135. O treino correu bem, na medida em que o fiz sem grandes dificuldades … fiz Canedo, Vila Maior, Sanguedo, Passadiços, Fiães, Caldas S.Jorge, Lobão Canedo … o problema foi mesmo andar no intervalo de bpm que o plano indica … é quase impossível, pois não tenho zonas planas na minha terra (não tenho um 1km plano para fazer series sequer), muitas subidas que faziam disparar os bpm, e descidas onde recuperava alguma coisa mas não chegava … conclusão, cheguei ao fim com uma média de 142bpm. No total fiz 26,3km e os quase 1000m D acumulado não deixaram que tivesse um ritmo cardíaco constante.
Outra novidade é que voltei a correr com música, o que já não acontecia à uns meses valentes … desenterrei o meu velhinho mp3, carreguei-o com montes de música “nova” que me acompanhou nos meus treinos madrugadores. Soube muito bem, especialmente nas series, em que uma boa “malha” ajuda a acelerar a passada J
Por falar em treinos madrugadores,  na semana que passou  treinei (quase) sempre às 6 da manhã – custa sair da caminha, mas depois é um maravilha … o tempo está óptimo para correr, e as cores estão absolutamente maravilhosas a esta hora … vejam como é que um simples nascer do sol, transforma uma rua deserta, feia e cinzenta num  quadro que me encheu a alma (é pena que a foto tirada com o tlm não faça justiça ao que vi) … é também por momentos destes que saio da cama assim cedo J
 
O plano da próxima semana é muito parecido com o desta, prevê um aumento ligeiro de km mas a base é muito idêntica. Vamos lá, aproveitar que a motivação está em alta… ahh... e para todos que já iniciaram ou vão iniciar a preparação da Maratona do porto deste ano, FORÇA nessas canetas J

 

sábado

1º GP de Lamas - 5 Setembro 2015, 16.00h

Ainda estão a tempo de se inscreverem no nosso Grande Prémio - falta uma semana para fechar as inscrições que podem ser feitas aqui.

Para os 10km entramos na 2ª fase de inscrições, custando agora € 5,-.

Haverá prémios de participação (Medalha, T-Shirt técnica), sorteio de prémios entre todos e troféus para os 3 primeiros de cada escalão.

Bora lá...

 

quinta-feira

Mais um Cartoon (desculpem) - Papa Kilómetros vai voltar ao dentista

Está na hora de visitar um dentista para um check-up de rotina ... da última vez experimentei um dentista novo, fui bem atendido mas não sei porquê, houve ali qualquer coisinha que não funcionou, não houve aquela empatia, não sei explicar ... ando aqui às voltas à procura de uma razão para isto mas não a encontro ... na altura foi assim ...
 
Uns amigos meus deram-me o nr. de um dentista que dizem ser muita bom ... e ontem lá liguei para a clinica para marcar consulta....




 
 Perneta prevenido vale por dois ... ;)
 

quarta-feira

Diga lá 43 ... entrei na idade Ultra


Aqui o Perneta chegou à idade “Ultra” … são 43 aninhos em cima deste físico invejável … não parece, eu sei J  … o ano passado, com o chegar à idade da Maratona fiz um treino especial para comemorar o número mágico para nós corredores, abri o coração e contei aqui algumas peripécias da minha vida.

E este ano? Para ser coerente deveria ter corrido uma Ultra não era? Tá bem abelha, e começava uma tradição difícil de manter … até aos 99 anos não vejo problema nenhum, mas e depois? … nunca fiz 3 dígitos, nem sei o que isso é (não é Gangue dos Pernetas??? J) …. aos 100 teria que os fazer … e se nesse dia não me apetecer??? … o melhor foi nem começar, cortar a dita tradição pela raiz e pura e simplesmente nem calçar as sapatilhas … sim … zero de corrida este ano … e por opção minha … pumbaaa J

Estive de férias uns (poucos) dias no Algarve … no meu dia de anos não corri, mas durante a semana ainda fiz 3 corriditas. Costumo ficar nas Açoteias com a famosa praia da Falésia, e enquanto a maior parte do pessoal corre na praia, aqui o Perneta prefere o topo da Falésia e os seus trilhos, com pisos muito variados, arribas curtas mas ingremes … o percurso que habitualmente faço vai das Açoteias até Vilamoura (ca.5km) e é um autêntico mói-pernas … mas dá um gozo enorme, e as vistas??? Meu Deus … Just like Heaven … venham lá comigo…
 
 
… o regresso pode ser pelos mesmos trilhos, por dentro (estradas em terra, campos) ou então pela praia (foi o caso desta vez – não há filme porque a Gopro decidiu pifar… mas descansem, que tenho fotos J)





 
… no fim para voltar a casa tenho uma escadaria com quase 100 degraus para subir, logo seguido de outra subida em alcatrão (são apenas ca. 150m, mas com 20m D+) … ufa … ainda fui dar uma voltinha à pista de cross das açoteias para fazer horas e ir buscar o pão fresco à padaria para o pequeno-almoço. 13km no total, as pernas massacradas mas a alma lavada e pronto para enfrentar um dia de praia.
 
... além das corridas fiz isto 2 vezes por dia (2 a descer e 2 a subir), a caminhar, com uma Isabelita ao colo (13kg) e uma mochila às costas .... quem disse que eu não faço reforço muscular :P



 
 
 Fiz mais dois treininhos durante a semana, um de 7km na praia, e um de 15km com series 8x800 a 4,16min/km para que as minhas pernas não se esqueçam desta componente de treino, que a partir de 17/8 será obrigatória uma vez por semana até à Maratona do Porto. Acabou-se a malandrice e a brincadeira … agora é a sério J

... o levantar cedo custa, mas depois estas cores que a natureza nos oferece compensam todo o esforço... tirada no dia do treino de series, campos algarvios por volta das 6.30h da manhã ...
 
 

segunda-feira

III Trail da Pampilhosa - pela SPEM e não só


Apetece-me mandar o telemóvel longe … são 4 da manhã e o despertador está a tocar … está na hora de me levantar para ir para Pampilhosa da Serra … a noite foi má, dormi apenas 3 horas não consecutivas … como sempre nestas situações coloco a cabeça de baixo de água fria e fico logo desperto … pequeno-almoço habitual (leite de soja + aveia + banana + frutos secos) … equipo-mo e siga para Santa Maria de Feira … o ponto de encontro é junto á casa do Filipe Fontes … já lá estão o Bruno, o Filipe e o Américo que será o motorista de serviço …. 5 minutos depois chega o Nuno Silva e está completa a equipa que vai no próprio dia. De véspera já lá estavam o Nuno Lima, o Zé Alexandre, Badolas, Andreia, Filipe Moreira e Susana. 11 no total o que é recorde de participação.

A viagem foi tranquila, fui com o Bruno que levou carro pois teria que regressar mais cedo. O GPS do carro dele levou-nos por Coimbra, menos alguns km mas muito mais curvas e contra-curvas …  no regresso com o Américo não iríamos repetir o erro, viríamos via Condeixa…

Chegamos  a Pampilhosa ainda não eram 8 horas, tudo calmo, a organização a montar o “staminé” e já alguns atletas a aguardar a abertura do secretariado  para levantar os dorsais. Fomos tomar o 2º café da manhã e eu e o Bruno ainda aproveitamos para enfardar um mil-folhas cheio de creme … não resisti .. ainda bem que a Drª Angela Henriques não lê o PK J

Regressamos à zona de partida, levantamos os dorsais e ficamos um pouco por ali na converseta com quem ia chegando, entre outros com o Carlos Teixeira responsável pelo facto de todos envergarmos a camisola da SPEM nesta prova, para correr pelo projecto EM força …. muitas camisolas da SPEM andavam por ali o que era bom .. a tal onda vermelha que esperávamos ia concretizar-se J … entretanto chegam a Anabela e o Paulo, entre mais alguns (poucos J) Run Baby Run, nossos anfitriões em mais uma edição do Trail da Pampilhosa – é da responsabilidade deles o facto de os Pernetas se deslocarem ano após ano a Pampilhosa da Serra para participar neste Trail – eu sou totalista, estive nas 3 edições J … beijos, abraços, conversa fiada, risota e uma caixa transparente da SPEM para angariação de fundos para o projecto … e não tardou a cair as primeiras doações… equipar, jogar à bola na estrada (sim, o nosso aquecimento deste ano foi uma jogatana de bola no centro de Pampilhosa J) e toca a regressar à zona de Partida.

O ambiente estava óptimo, a tribo do trail bem disposta, um grupo de concertinas a animar a malta, e tudo pronto para arrancar a horas… quer dizer, tudo tudo não?!?! Faltava o Badolas, que como sempre teve que ir fazer uma “largada de javalis” e chegou mesmo mesmo em cima do apito inicial da coisa … não há como desmentir, está gravado em vídeo (podem ver o vídeo no final desta posta) … com este gajo é sempre a mesma merda (literalmente J).

depois da partida já só o vi na meta, todo fresco ... fonix ... ;)
Ali estava eu, no primeiro terço da zona de partida na companhia do enorme Paulo Reis (é o maior e mai nada J)… o percurso grande deste ano tinha a mesma distância do ano passado (30km), mas era completamente diferente a nível do percurso. O Paulo disse-me que este ano seria mesmo trail, algum estradão, mas muito trilho, levadas, etc, e tal …. Óptimo, é isto que a malta quer … eu tinha estudado o mapa de altimetria … o percurso tinha ca.800m D+, feitos quase na totalidade até aos 12,5km, divididos em 3 subidas mais íngremes … depois seria quase sempre a descer e plano, últimos 15km muito corriveis … na minha opinião um traçado que me favorecia … desta vez ia vestir o meu fato de competição J … não conhecendo o percurso, mas ouvindo da boca de quem sabe, que não era dos mais difíceis coloquei a fasquia alta … 3 horas para acabar isto, nem mais um minuto J … a estratégia era simples … controlar até as 12,5km, para depois rolar uns km e dar o máximo nos 10km finais… fácil J

3,2,1 e PARTIDA … saí a rolar a um ritmo bem razoável, mesmo assim muita gente a passar por mim … estavam inscritos ca.400 atletas, divididos entre 3 distâncias 30, 17 e 7km .. os dos 30 e dos 17km saíram juntos … duzentos metros depois de partir o percurso em alcatrão começa logo a subir … faço-o a correr, tal como a maioria dos outros atletas … ca.1km depois, entramos por uma escadaria a subir a pique onde caminho pela primeira vez, por causa do afunilamento de atletas mas tb porque a inclinação assim o obriga … vamos entrar em estradões de terra, sempre a subir durante 3km, umas vezes mais outras menos …. faço uma grande parte a correr e só mesmo quando inclina mesmo muito é que vou a passo, tal como a maioria que vão ali comigo … uns 200m à minha frente vai o Paulo Reis e o Filipe Fontes, distância que vou manter quase até aos 10km …. dos 3 aos 9km o percurso torna-se plano, interrompido por uma ou outra subida (por exemplo dos 7 aos 8km subimos quase 150m D+)… antes, aos 7km primeiro abastecimento, onde bebo apenas água … o grupo de concertinas está lá a tocar para animar o pessoal, é também aqui que se dá a separação entre os 30km e os 17km … (… os ritmos vão altos … a pernas muito bem …. Lembro-me de ir a pensar que hoje é das poucas vezes em que corro em que não me dói nada, nem mesmo o joelho direito (não bati na madeira, vou pagar caro mais lá para a frente o “abuso”) … não fosse o calor que se faz sentir seria perfeito … aproveito todas as sombras que me vão aparecendo, mesmo que isso me custe mais alguns metros …. Continuam os estradões em terra, largos, mas as vistas em redor são do melhor …. Serras verdes a perder de vista … lindo !!! …  normalmente faço provas de trás para a frente, desta vez sou mais ultrapassado do que passo gente … tb vou mais à frente do que o habitual J … mesmo tendo força para acompanhar alguns que me passam, continuo a resguardar-me … é a minha táctica e estou a cumprir religiosamente …”lá mais para a frente eu aponho-vos” J … o ritmo médio, anda ali por volta dos 6,30min/km o que é excelente … afinal terei 18km a descer e planos para recuperar para uma média de 6min/km … fácil J

… antes de atacar a última grande subida tivemos uma descida acentuada mais longa em estradão de terra com alguma pedra … ainda não sei se empolgado pelas magnificas vistas das serras, encarnado por algum espírito das montanhas ou por um ataque de fanfarronice aguda… apenas sei que desci a uma velocidade estonteante (ok… estou a exagerar um bocadinho, mas para o habitual em mim até foi mesmo) J … imaginem que fui buscar 3 marmanjos que iam uma centena de metros mais à frente … eu, Perneta dos Pernetas … é hoje que isto vai tudo à minha frente cara…go … “tas a ver? Fácil…” J

A última subida mais acentuada é em alcatrão e feita sempre a correr … lá no alto o primeiro e único controle dos dorsais por parte da organização … agora será a descer durante uns bons 2 ou 3 km … a média vai em 6,40min/km … bem bom … agora é recuperar isso até ao fim … fácil J

Uns 200m a seguir ao controle um placa a indicar a entrada num trilho a descer … qualquer coisa “Escalada” … ó diabo… queres ver???   Hmm… “desce bastante, mas não é nada de outro mundo” … ao inicio até se descia bem mas depois … agora vem  a parte mais técnica do percurso, single-tracks, a descer bastante, muita pedra e socalcos onde é preciso saltar … mau … isto para o meu joelhinho não é nada bom … e não tarda o meu amigo “Mantorras” começa a chiar … obriga-me a parar de vez em quando por uns segundos … “Merda… espero que não seja sempre deste tipo de trilhos” … finalmente trilhos menos inclinados e não tão técnicos onde consigo correr … mas a dor no joelho está presente, é ligeira mas está lá … ca.km 16 entramos numa aldeia (Cabril, acho eu), percorremos as ruas estreitas empedradas … muito barulho feito por pequenos grupos de habitantes que se juntaram para aplaudir e incentivar os atletas … muito bom, agradeço o apoio que sabe que nem ginjas …. e ali está o 2º abastecimento …. Tiro o camelbak para encher o depósito … um dos voluntários que me está a ajudar consegue meter 1,5ltr no meu depósito …. Foi quanto eu bebi durante a primeira metade da prova (mais uns copos de água no 1º abastecimento e agora neste tb) … está muito calor (penso que terá chegado perto dos 40 ºC), aproveito para me refrescar, na cara, pescoço, pernas e braços … não como nada … tinha decidido tentar fazer a prova apenas com gel (tomei 3) e uns frutos secos que levava comigo … quando faço treinos longos tem sido mais que suficiente (muitas vezes não como nada) … agradeço mais uma vez os incentivos e siga que se faz tarde …. acelero aproveitando que é alcatrão e a descer, mas um pouco mais abaixo dá-me um esticão do joelho tipo aviso … ao subir uns poucos degraus não tenho força na perna direita e do mesmo lado doe-me as costas … xiiii… tou todo lixado … ainda por cima o calor começa a fazer mossa a sério … bebo muito, mas a boca fica seca quase instantaneamente ….dos 16 quase até aos 20km vou passar um mau bocado … o percurso é giro, quase sempre em single-track, na tal levada, mais plano ou a descer, interrompido por uma ou outra rampa que nunca consigo fazer a correr … estas rampas são feitas sempre a passo, e muitas vezes até com paragens … é durante esta fase que sinto alguns arrepios de frio, mesmo com uns 30 e tais graus de temperatura … queres ver? Desidratação??? Mesmo tendo bebido tanto isotónico e água?? … fui andando até que tive um arrepio um pouco mais forte … decidi parar um pouco numa sombra, saquei de uns frutos secos e de umas bagas de goji que comi, tomei um gel e bebi isotónico … segui caminho e os calafrios foram à vidinha deles … estava muito cansado, as pernas tinham força mas o resto do corpo não … aquele calor estava a dar cabo de mim …. aproveitava os riachos para me refrescar o que funcionava às mil maravilhas… dava-me “pica” para os próximos 5 a 10 minutos … o joelho estava melhor, só o sentia a falhar a subir os socalcos que me apareciam pela frente …as 3h estavam fora do alcance … lembrei-me do boost final na Geira Romana deste ano … “se tiver um boost destes ainda chego lá perto” J

… foi com essa esperança e motivação que cheguei ao último abastecimento dos 23km …nos últimos 3 km tinha conseguido entrar num ritmo constante, embora forçado (entre 5 e 5,30min/km) e tinha ultrapassado uns 5 ou 6 colegas… voltei a encher o camelbak e comi umas batatas fritas … um bocadinho de sal para o que der e vier J … saio logo atrás da 2ª mulher (a 1ª tinha passado por mim na minha pior fase) …. o percurso até final continuará pela mesma levada junto ao rio (Unhais???), com curvas e contra-curvas, praticamente sempre plano …. O ritmo vai rápido, o calor continua a sufocar-me mas vou numa fase boa, motivado e com um objectivo claro na minha cabeça … 3h15min … vou sozinho, uma descida, acelero, passo uma ponte, estou no meio de uns campos agrícolas e tento avistar uma fita … mas nada …. ando ali ás voltas até que ouço alguém chamar por mim mais acima … “não acredito!!! Foda-se…”  … enganei-me no percurso …ia tão distraído nas minhas contas de cabeça que não reparei numa fita (e numa seta desenhada no chão) … culpa minha … fiz mais 1km, metade dele a subir para voltar ao trilho certo … aquilo deitou-me abaixo… lá se foram as 3h15 … o regresso ao trilho foi feito a passo muiitooo lento … ia vendo lá em cima o pessoal a passar … todos aqueles que eu tinha passado com tanto esforço estavam agora novamente à minha frente … sinceramente desanimei um pouco, e aquele cansaço que me ia no corpo venceu a batalha contra o meu cérebro …. os pouco mais de 4km até final foram bem penosos … a “neura” passou-me depressa, como quase sempre, mas não consegui arranjar mais nenhum estratagema  para me motivar a ir mais rápido …. Corri em boa parte, mas também caminhei bastante …. O engraçado é que havia ali uns 3 ou 4 colegas num espaço de 300 metros que iam como eu, e íamos passando uns pelos outros conforme íamos correndo ou caminhando … até dava para rir … e foi com um deles que fiz o último km, já avistando o Hotel da Pampilhosa… ele só dizia que iria parar no primeiro café que lhe aparecesse à frente… mas não apareceu nenhum J e lá cortamos a meta juntos, a correr …. na meta a Anabela e o Paulo à minha espera, assim como os Pernetas que já tinham acabado a prova. Precisei de 3h41min para finalizar os 30km (no meu caso quase 31) do Trail da Pampilhosa deste ano, sem dúvida o melhor das 3 edições que se fizeram até à data – fiquei no lugar 57 (entre 117 atletas que finalizaram) e 22º no meu escalão (em 40). Foi uma aventura bastante dura, não pelo percurso, não pelo desnível, mas sim pelo muito calor que se fez sentir durante quase toda a prova. Depois de trocar algumas impressões com outros colegas que chegaram antes de mim, fiquei a saber que todos sofremos do mesmo mal J … depois de ter feito o percurso todo fico com a certeza que é à minha medida, e que as 3h são possíveis caso o astro perneta se alinhe com a estrela do coxo J …. apenas digo que fiquei satisfeito com a prova deste ano, finalmente percorremos um percurso para fazer jus à zona.

Sentei-me num palco que estava ali montado na zona de chegada, que fazia uma sombra maravilhosa, ainda por cima corria uma brisa fresca que era uma delicia … “vai um mergulho?” pergunta o Filipe (que já tinha ido a banhos de rio com o Nuno) … “claro que sim, à mais de 5km que não penso noutra coisa” … levanto-me e estou com as pernas perras… “tchiii, como tu estás ó Perneta” …. Satisfaz-me ver que grandes atletas como o Nuno Silva tb tem um andar novo J … acho que é a primeira vez que o vejo neste estado (nem na Maratona de Madrid que acabou abaixo das 3h) … mas não era apenas empeno, ao km 12 teve um problema muscular que o obrigou a refrear o andamento … mesmo assim fez 12º … são máquinas de outro calibre J

… os mergulhos nas águas frias do rio Unhais, ali bem no centro da Vila de Pampilhosa tem que obrigatoriamente fazer parte da prova… no primeiro ano houve banho de rio, o ano passado não por ser em Junho e este ano voltou a haver para fazer as delicias dos guerreiros que acabam de chegar ao fim de uma dura aventura … aos poucos e poucos iam chegando os Pernetas todos, mais uma vez sem excepção, todos finalizaram com maior ou menor dificuldade … ao fim de uns mergulhos e de umas braçadas estava como novo … já não sentia dificuldades a andar, e até o joelho não se queixava, nem a subir as escadas para voltar ao carro e mudar de roupa … perfeito J

Depois foi seguir para o quartel dos Bombeiros onde se realizaram mais uma vez os comes e bebes … nós a chegar e a entrega de prémios a decorrer … é o primeiro ano em que não levamos nenhum caneco… queremos lá saber … bora mas é comer aquele porco assado com arroz de feijão que estava uma delicia … eu acho que não era da fome que tinha, eu acho que estava mesmo bom … tudo regado com umas quantas “mines” como manda a tradição, com o alto patrocínio dos anfitriões Anabela&Paulo e tb do Carlos Teixeira que veio para Pampilhosa munido de um geleira cheiinho delas J … a sobremesa veio de Canedo, dois bolinhos (um de iogurte, outro de laranja), feitos pela minha Inês e pela minha sogrinha J … o cumbibio habitual e que já é tradição, cafezinho no centro da Vila e já passa das 17h … nem se dá pelo tempo passar … é domingo, e ainda temos quase 3h de carro para voltar a casa … não apetece, muito menos com aquele calor abafado que está … apetece é continuar ali sentado à sombra de umas árvores a beber umas frescas e na converseta … mas temos que voltar … amanhã será dia de trabalho para a maior parte, e aqui o Perneta, embora de férias, vai levantar-se às 4h para viajar até ao sul do país para uns dias de descanso antes de voltar ao trabalho dia 17…



 
Carlos & Carlos .... que dupla especialista das descidas ... um Perneta, o outro Trambolho ... venho o diabo e escolha :)



 
… o regresso corre sem sobressaltos, mesmo cansados a conversa vai animada, quase sempre em torno do que nos levou a mais esta aventura … a corrida J … a opinião é unânime, valeu muito a pena, e para o ano voltaremos J

Quanto à organização que tanto critiquei nas duas edições anteriores, deu um salto qualitativo enorme. Percurso 5 estrelas (finalmente), relativamente acessível, abastecimentos mais que suficientes, simpatia do pessoal sem reparos, o apoio popular em alguns pontos do percurso foi muito bom… a sinalização é suficiente (o meu engano foi culpa minha a 100%), penso que uma cor de fitas mais garridas seria melhor, mas não é nada de grave.  Nada tenho a apontar da minha parte, já o Nuno Lima (chegou com 4h e alguns minutos)  disse que já não havia água no abastecimento dos 23km quando ele lá passou .. espero que tenha sido só naquele momento e que a tenham reposto … já a caminhada ou Mini Trail 7km parece que não correu tão bem … pelos vistos foi tipo “visita guiada” com um guia …. Houve confusão com o percurso, não distribuíram água nenhuma, a impressão que ficou a quem participou da nossa equipa, é que aquilo foi feito apenas para encher o programa … a melhorar, porque além de terem pago como os outros, é aqui que estão os futuros atletas para as distâncias maiores :)

Mas volto a dizer, que no geral foi muito bom. Excelente Trail, bons abastecimentos, uma camisola técnica como prémio + comes e bebes no fim … tudo por 8 € … parece impossível, não é? Parabéns á organização.

Uma palavrinha de grande apreço para o incansável Carlos Teixeira, que juntamente com a Anabela, colocou esta coisa de corrermos neste Trail pela EM Força da SPEM em movimento. Foi bonito ver a onda vermelha que se formou, e o resultado, alem dos km acumulados na conta da SPEM, nas camisolas adquiridas, foi o conseguir-se ainda angariar ca. 100 € para a Associação – o meu muito obrigado tb a todos que contribuíram.

Agradecimento final para a Anabela e Paulo …. vocês sabem que são os maiores aqui para a malta não sabem? J … até fico com ciúmes, mas pronto… é assim J … obrigado por tudo, e já sabem … Pernetas 3 (em principio dia 1de Maio de 2016) … e para o ano aí estaremos novamente, desta vez para recuperar algum Caneco que é nosso JJJ
E agora o vídeo ... 9 minutinhos "apenas" ... é melhor irem buscar um balde de pipocas ;)

quarta-feira

Passadiços do Paiva - o Perneta foi e gostou


Hein??? F%$&&-se, ca%/(%-lho, JÁaaaa?!?!?! Ainda agora adormeci… J
 
 
 Estava na hora de levantar … hoje era dia de ir aos Passadiços do Paiva … desde que aquilo inaugurou que tinha vontade de ir ver como era, se possível fazê-lo a correr … devo ser um dos poucos que ainda não esteve lá … é novidade, é fora do comum, inserido numa zona lindíssima e de borla … aliado ao bom tempo que faz à semanas estão reunidas as condições para as autênticas romarias a que se tem assistido … eu mesmo, à pouco mais de uma semana tinha passado numa das entradas do Passadiço, um domingo ca.10h30, e vi com os próprios olhos a confusão que era … nãaaa … nada disso … o Perneta não quer confusões, o Perneta quer desfrutar do Passadiço … só há uma forma … levantar (muito) cedo, começar o mais tardar às 7h, ir e voltar para estar de regresso quando as excursões começarem a chegar … e como estou de férias hoje seria o dia ... daí o levantar a horas pornográficas J

Ás 6h estava na Corga de Lobão, ponto de encontro com o Pedro que ia comigo. O Pedro é um primo meu, a quem ando a tentar incutir o “bichinho” da corrida – a coisa está bem encaminhada, o bichinho ainda não “ferrou” a 100% mas vamos com calma …. além de mais um companheiro de corridas, se o Pedro aderir tem outra vantagem … ele tem praticamente dois metros de altura, juntando-o ao Zé Alexandre, ao Nuno Lima e ao meu irmão (que tb anda a correr regularmente), se a coisa der para a batatada estou safo … haverá sempre um “armário” para me esconder atrás e esperar até que a coisa passe JJJ … ainda tenho o Pires para entrar nesta equipinha … 2m e qualquer coisa … este caso está mais complicado, mas eu não desisto J

Cafézinho na Vila de Arouca, e siga para a Praia Fluvial de Areinho, onde se situa uma das duas entradas nos Passadiços (a outra é na Espiunca). Decidimos por este lado, porque o Pedro já tinha feito o outro lado dos Passadiços à umas semanas atrás – assim ficava a conhecer este lado. A mim tanto me fazia, sempre tinha a ideia firme de ir e voltar … eramos os únicos naquela hora …

… 7h04min… sigaaa…. um bocadinho de caminhos em terra e lá estava ele, o Passadiço, novo em folha … pouco depois já se via na encosta da serra os primeiros degraus para subir … são umas poucas centenas de degraus, que me põe logo a caminhar (ensaiei uns passos de corrida, mas desisti rapidamente da ideia) … quando chegas ao fim dos degraus, levas com mais caminho em terra, muito inclinado para conquistar o cimo da serra … violenta esta entrada … para terem uma ideia, são 100m D+ no primeiro km …

 
olhó Joelho direito Perneta!!! ... põe-te aos saltos e depois diz que o café tem formigas :)


 
uma dupla que mais parece uma tripla ... ainda todos sorridentes, coitados :)
 
 





 

… continuam os caminhos em terra até que chegamos a uma das melhores partes do percurso … uma enorme escadaria, a serpentear pela serra abaixo …. Aqui já vou sozinho … o Pedro tinha-me dito para seguir, que iria ao ritmo dele e que nos encontraríamos na volta, algures … a descer todos os santos ajudam, menos quem é Perneta … mas o joelho direito portou-se bem desta vez … tb ajuda o facto de estar constantemente a parar para tirar fotos …

… aliás, no percurso de ida, o parar para admirar a beleza das paisagens que nos são oferecidas e registar o momento com fotos, é uma constante … a “viagem” de ida pode considerar-se uma corrida turística … a volta já seria diferente …
 
 
…descida a escadaria sem fim, dá-se inicio a uma viagem de vários quilómetros (penso que 5 ou 6) em Passadiço de Madeira no lado esquerdo do rio, por entre as gargantas que rasgam o caminho entre serras, estendendo o tapete para que o Rio Paiva passe … os caudais andam fracos … mesmo assim ainda dá para ver algumas zonas com rápidos e tb algumas cascatas tímidas … os passadiços correm numa cota baixa, de forma ondulada, ora sobe, ora desce … sempre do lado esquerdo do rio … a altura em relação ao rio vai variando, nunca chegando a descer à cota do rio, embora existam zonas onde é possível aceder ao rio, como por exemplo na Praia do Vau (sensivelmente a meio), onde existe um pequeno bar que estava encerrado à hora que passei …






 

 


 
… um pouco antes da Praia do Vau fui experimentar a famosa ponte suspensa … entre outras proibições, não se podia correr … mesmo que o quisesse fazer na mesma teria desistido logo … aquilo fazia um efeito suspensão … estranho J

 
video
 
… quando faltava ca. de 1km para chegar à Praia Fluvial de Espiunca encontro as primeiras pessoas em sentido contrário … até Espiunca contei 6 pessoas no total e já seriam quase 8.30h … tirando nos primeiros dois km em que tive a companhia do Pedro, em todo o resto do percurso de ida fui eu, o rio Paiva, as serras, a vegetação e os pássaros de diferentes espécies que pareciam cantar à desgarrada à minha passagem … estão a ver porque me levantei tão cedo? … vale a pena J







… cheguei a Espiunca e o relógio marcava quase 9km … hora de fazer um pequeno abastecimento … demorei 1h26min para chegar aqui … uma breve analise ao percurso feito … hmm … 240mD+? … a não ser ao inicio nem dei por ele J




 
se estiverem por esta zona tem que ir a Alvarenga comer o bife (Arouquesa) ... o bife passa o bordo do prato, e não é o prato que é pequeno :)


 
... abastecimento do Perneta ...

 
Táxi??? Nã ... deixem estar, que vou a pé ;)



… guardei o tlm e estava na hora de regressar pelo mesmo percurso … agora ia ser em modo treino, sem exagerar … e assim foi … imprimi um ritmo certinho e os km começam a passar rapidamente …. aqui dou-me conta como tudo é muito próximo …. Já começo a sentir algum cansaço … embora o percurso seja ondulado, neste sentido sobe muito mais … não é muita inclinação mas mói … vou tão distraído com o desfrutar desta corrida que me esqueci completamente dos últimos km que me esperam … quando começo a avistar ao longe os passadiços a começar a inclinar mais a sério lembro-me da escadaria que ainda terei de subir … 

…chego à fundo das escadas e paro pela primeira vez no regresso … uma golada de isotónico e saco de telemóvel para fazer um pequeno filme … saiu isto … JJJ
video
 
… desculpem lá qualquer coisinha, mas foi o que saiu … mas lá continuei a bom ritmo por ali acima, ofegante e a caminhar é certo, mas sem paragens … o joelho à “Mantorras” queixava-se um pouco mas ignorei e lá cheguei cá acima …. desde que o passadiço começou a inclinar mais a sério até ao cima da escadaria sobe-se 160m D+, em apenas 800m de distância … não é fácil J … siga para os últimos 2,5km do percurso, que incluem uma descida acentuada em caminho de terra e aquela escadaria inicial mas agora a descer … 2h28min e 17,6km depois estava a chegar ao carro onde já estava o meu primo à minha espera … 550m D+ e 1000 degraus depois … mesmo a “brincar” a coisa é durinha e um excelente treino…

… a ideia inicial era de dar um mergulho no rio e de beber uma mine no bar da Praia do Areinho – mas como às 10.30 o bar continuava fechado, nem mine nem mergulho L …. vamos mas é embora ….
Resumindo, gostei muito … está tudo impecável, ainda é novo (espero que assim se mantenha durante muitos anos) … este passadiço é uma excelente ideia e uma bela obra, que permite a qualquer comum mortal aceder a estas zonas maravilhosas com algum conforto. Toda a envolvência é apaixonante para quem gosta de natureza … durante o percurso encontramos várias placas informativas sobre a Biologia e Geologia existente neste local … mas atenção – não é um percurso fácil (na minha opinião mais fácil do sentido Areinho-Espiunca do que ao contrário) para quem não pratica desporto regularmente … não esquecer dos cuidados básicos – levar líquidos, alimentos, protector solar, chapéu, roupa e calçado adequado … existem telefones SOS espalhados pelo percurso, e tb existe a possibilidade de “abandonar” a viagem a meio, junto da Praia do Vau … tanto em Espiunca como no Areinho existe ainda a possibilidade de chamar um táxi para fazer o transfer, resolvendo o problema de voltar à outra ponta de entrada onde se deixa o carro. Tudo organizado portanto J

Para a malta que corre, é sem dúvida um percurso interessante, não só pela envolvência, mas pelo percurso durinho, com desnível e escadas (muitas). Dá um belo treino. Vale a pena fazê-lo pelo menos uma vez. Quanto a mim, de certeza que voltarei – se para correr ou apenas desfrutar com família e amigos não sei – para treinar não necessito de percorrer 1h de carro para lá e outra para cá, para ter acesso a estes desníveis – já aquela escadaria toda vale a pena para quem estiver a treinar para uma prova mais exigente (MIUT?!?!?) … fazer umas repetições ali deve dar direito a um andar novo, de certeza absoluta… J

Venham experimentar …vão gostar de certeza J