quarta-feira

Ultra Trail Douro e Paiva 2014 - longa jornada, tão bela como dura



2h15 da manhã de domingo e toca o despertador….já estava meio acordado…pouco mais de 2 horas de sono, ainda por cima mal dormidas…água fria pela cabeça abaixo e estou 100% desperto J
FUJAM que ele anda aí!!!

Uma malga com leite de soja, aveia e umas amêndoas são o meu primeiro pequeno-almoço do dia…equipo-me, pego na mochila e siga que cá fora já está o Badolas à minha espera para irmos até Cinfães City – logo atrás o Richard, o Nuno Lima e o Zé Alexandre. Pouco menos de uma hora depois chegamos ao destino, levantar o dorsal, ir ao café (2º pequeno almoço – uma sandocha de queijo e um café), equipar, confraternizar um pouco (– encontramos o Francisco Terra, o João Laranjeira a Anabela e o Paulo) e o 3º pequeno-almoço (mais uma sandocha de queijo e um iogurte). Não tardou apareceram os autocarros que nos levaram até à ponte de Mosteirô com o Douro como pano de fundo, cenário mais bonito que alguma vez tive como ponto de partida numa prova, ainda por cima com as cores do nascer do dia….espectáculo J


Estava bastante calmo e descontraído ali no meio daquele pelotão…seriam talvez perto de duas centenas para a Ultra…estava uma temperatura amena, muito agradável e não demorou muito a dar-se a partida, pelo meu relógio às 6.04min. Os desejos de boa sorte habituais e siga para a jornada, que se esperava longa e dura. Levava comigo um mapa de altimetria do percurso impresso e plastificado. A primeira metade do percurso seria praticamente sempre a subir, pelo que a minha ideia era de tentar gerir o esforço da melhor forma possível de maneira a desgastar-me o mínimo. Como (quase) sempre o meu relógio teima em não começar a funcionar logo desde o primeiro metro..o estranho é que é só nas provas L …desta vez não foi diferente, e apenas uns 500m depois da partida é que começou a registar os dados…

O primeiro km é dentro da localidade, por carreiros estreitos nas traseiras das casas antigas. Muita atrapalhação neste início, vários enganos no percurso, andar para a frente e para trás, confusão danada até que apareceram pessoas ligadas à organização que nos conduziram ao trilho certo….alguém tinha andado na noite anterior a trocar fitas…brincadeira de mau gosto…eu não estava muito preocupado, afinal ia em “passeio”, mas havia ali muito descontentamento entre a malta que luta pela classificação geral…
...uma palavra de apreço pelo pessoal da organização que foram incansáveis a resolver este problema. Como ia na cauda do pelotão, com esta confusão vi-me de repente no primeiro terço, mas novo engano e algumas paragens para fotos fizeram com que ficasse no meu lugar novamente, ou seja, no fim do pelotão J,  mas no meio de muitos prós que lutam por lugares na frente. Como os primeiros km foram em single-track estreitos, as ultrapassagens são muito difíceis, e como na frente iam os que normalmente vão atrás, houve muitos engarrafamentos nas transições mais técnicas e difíceis – nos primeiros 3 a 4km as paragens foram constantes. Muita reclamação por parte dos “prós”, que estavam cheios de vontade em andar e não podiam…eu ali no meio senti-me um pouco pressionado e por isso não desfrutei tanto destes trilhos espectaculares como pretendia...
...por volta do km 6 a coisa alargou um pouco e pude finalmente fazer a corrida “à minha maneira”…trilhos espectaculares sempre com o rio Bestança (considerado o rio mais límpido da europa) como “companheiro”, ora mais abaixo, ora mesmo ao lado, ora para passar por cima, ou mesmo para passar bem pelo meio com água fresquinha até à cintura que fazia a delicia do pessoal…tudo muito verde, algumas zonas nada fáceis de transpor…eu sempre com cuidado, especialmente no rio pois entre as pedras na grande maioria “seguras” e com boa aderência, havia sempre uma ou outra que eram super escorregadias (era um tipo de roleta russa de calhaus J), ideais para dar uns valentes tralhos….passamos também por muitos moínhos em granito, abandonados..um deles "furando" literalmente pelo meio, à saída do rio Bestança.,. com toda a confusão ao inicio não fazia a mínima ideia onde andariam os meus compinchas…só poderiam estar lá para a frente…
...8km – primeiro abastecimento liquido e sólido (banana, laranja e pouco mais)…a temperatura estava agradável, afinal ainda era cedo e o sol ainda não se mostrava. Neste abastecimento encontrei o João Laranjeira, a quem me juntei para fazer os km seguintes…um pouco mais à frente ia o Francisco Terra…do Zé Alexandre e do Nuno Lima nem sinal...
...até aos 16km seguiu-se a parte mais “corrivel”….mesmo com o terreno inclinado a subir, era relativamente fácil manter um passo de corrida a trote e os km iam passando a bom ritmo…pelo meio voltamos ao rio, para mais umas passagens espectaculares, até darmos de frente com um túnel….um enorme tubo de cimento (que serve para escoar melhor as águas que descem da serra)…fantástico, mas tão fantástico que me distraí e mandei o maior e mais perigoso tralho da minha ainda curta carreira no trail…vinha dentro do rio, e coloquei o pé de apoio numa rocha que tinha tanto de grande como escorregadio….e PUMBA…bati com a bacia do lado direito na rocha, meti o pé esquerdo no meio de dois paus e torci…doeu a sério esta….estava sozinho nesta fase, e tive que ficar ali algum tempo esticado por causa das dores e para  analisar os "estragos". Felizmente além de ter ficado pisado e dorido, não tinha nada mais que me impedisse de continuar sem problemas de maior. Pouco depois cheguei ao que pensava ser o abastecimento dos 16km….só água. O que estranhei.

A partir daqui e até ao próximo abastecimento (S.Pedro) entramos verdadeiramente pela Serra e começava a subir mais a sério. Deixou de haver sombra e ficamos expostos ao sol que já começava a aquecer, lentamente…“andem meus melros, vou-vos “assar”, lentamente..” dizia o sol. Também gostei muito desta parte, estava muito bem fisicamente, subia a passo mas com uma boa cadência o que me permitia estar a ultrapassar outros atletas sem grande esforço. Como estávamos a chegar a patamares mais altos, sem floresta para tapar a visão, começamos a avistar horizontes longínquos, incluindo outras serras à volta (via-se a Freita por exemplo, com a sua temida “Besta”)…muito verde, algumas casas em pedra, pelo meio alguns enormes e decorativos pedregulhos (tivemos que escalar alguns)…e ainda trilhos castanhos em terra e pedra, bem vincados que rasgavam as serras até às eólicas instaladas bem lá no ponto mais alto e onde teríamos que passar (aos 1219m). As pás das eólicas estavam completamente paradas – nem ponta de vento. Nesta fase passei o Zé Alexandre, que me disse para seguir, pois já estava bastante cansado. Antes de atacar a última subida juntou-se a nós o Rui Pinho que viria a fazer-me (excelente) companhia durante largos km antes de abalar e nunca mais o ver...mentira, voltei a vê-lo na meta, todo bem disposto J






Chegados lá acima, o meu relógio marcava sensivelmente 23km e estranhei ver um abastecimento que não estava no meu mapa. Chegado ao abastecimento começaram a perguntar com quantos km íamos….”23…porquê???”…"aqui é o abastecimento dos 29km (S.Pedro)"….fiquei pior do que estragado, tínhamos cortado caminho mas sem intenção…comecei a perceber que a grande maioria que estava no abastecimento tinha feito o mesmo….não sabia onde tinha falhado, sempre segui fitas de sinalização….pelos vistos havia uma zona com saída para esquerda (Ultra) e para a direita (30km)…supostamente alguém terá alterado esta sinalização depois dos primeiros terem passado, induzindo os restantes em erro….nestes pontos fulcrais devia haver no mínimo placas com essas indicações, se não mesmo algum elemento da organização a indicar o caminho certo aos atletas…..não sei, apenas sei que decidimos seguir o nosso caminho…pelos visto faltaram ca.6km, dos mais duros do percurso, pois incluíam a subida ao ponto mais alto de todo o percurso (quase 1300m)…nada a fazer….neste abastecimento encontrei o Nuno Lima, mesmo antes de ele voltar a partir…tinha-se juntado a um grupo e estava muito bem…

Depois de ter comido alguma fruta (melancia, laranja e banana), ter enchido o camelback e a garrafa que levava, voltei aos trilhos com o Rui Pinho, o João Oliveira e o Francisco Terra…grupo que se iria manter até ca. dos 35km…nos primeiros km a ideia de ter "encurtado" caminho andava a remoer cá dentro, eu queria mesmo fazer a totalidade, não sou de "cortar" caminho...mas depois de me convencer a mim mesmo que a culpa não era minha, decidi curtir o resto do percurso que faltava da melhor forma possível....a classificação interessa-me pouco, por isso se fosse desclassificado que se lixe....após mais uma pequena subida, entramos numa longa e massacrante descida por um estradão em terra, mas muito irregular e com muita pedra solta….como já tenho referido, as descidas são um meu grande problema devido ao meu joelho direito, e esta descida tirou-me bastante energia, pois a minha forma de correr a descer não é natural...falta amortecimento, corro descompensado e consequentemente coloco mais carga nos músculos, especialmente nas coxas….a juntar à dificuldade do declive e do piso, o sol já escaldava….no fim da descida novo pequeno abastecimento, antes de embarcar para mais uma subida dura…neste abastecimento (Paradela ca.km29km) mais uma vez fruta, batatas fritas e amendoins…estava a precisar de algo tipo bolo ou umas sandes…voltei a encher o camelback e siga ….não dava para estar ali muito tempo, aquilo estava totalmente exposto ao sol, os voluntários que estavam ali tinham criado uma espécie de tenda que lá dentro mais parecia uma sauna…fonix…valentes...não era eu que queria estar ali o dia todo…

…pouco depois estávamos a subir a sério (ca.300m em 2km)…quase sempre estradão com muita pedra…


...alguns pequenos episódios engraçados aconteceram neste troço…um touro bem “cornudo” que andava por ali à solta, mandou uns mugidos para o ar e começou a correr em direcção ao Rui Pinho que ficou ali petrificado sem saber bem o que fazer…com um bocado de sorte, levava ali um empurrão e e ia parar direitinho à meta…ó Rui, ainda ganhavas aquilo J…eu acho que o bicho teve mais medo do Rui do que ao contrário, passou-lhe à frente e pôs-se a milhas novamente (mas não passou muito longe)...


...um pouco mais acima encontrei isto que encarei como um aviso sério, tipo "portam-se mal e ficam aqui esticados" J
….estava mesmo com muito calor e a beber como um desalmado…na primeira parte da subida sentia-me bem, mas depois de meio comecei a fraquejar….valeu que lá no alto encontramos uma “praia fluvial” com uns 10m de diâmetro e fomos fazer uma crioterapia natural que me soube que nem ginjas e me recuperou os músculos…




...vinha agora mais uma descida acentuada…o piso já era um pouco melhor, mas aquilo massacrava-me bastante, principalmente os joelhos….a descer ficava sempre para trás, e depois fazia uma esforço para me recolar no grupo a subir…agora sei que foi um erro, pois despendi energia que mais à frente me fez falta…

..ca. do km 36, ia já cansado…vinha com o João e o Francisco, e ao enfrentar uma pequena mas muito inclinada subida, dou um pontapé com a biqueira do pé direito num tronco de uma árvore caída e….PIMBA, toma lá uma forte cãibra no músculo interno da coxa direita para não abusares...esta foi das fortes…parei imediatamente, massajei a zona, alonguei um pouco e tomei um Magnosan (magnésio em ampola)…disse ao João e ao Francisco para seguirem, que ficava bem e que me desenrascava…recomecei a subir, e o estranho é que nem sinal da câibra…tudo normal….aliás, até ali nem o mais pequeno indicio que poderia a vir a ter alguma…estranho…facto é que aquela paragem me deitou abaixo….não sei se foi psicológico…sei que tive de abrandar um pouco….foi a parte em que mais sofri….sozinho (ainda bem, que assim não atrapalhava ninguém), na hora de maior calor a subir até à Sra.do Castelo (ca.44km - subida de 600mD+ em pouco menos de 7km) foi um martírio autêntico, demorei 1h50min….eu que até ali vinha sempre muito motivado, mesmo em dificuldades físicas nunca tinha perdido o bom humor, estava ali já um pouco farto daquilo tudo…tentava distrair-me com as paisagens belíssimas que encontrava, mas passava o tempo a olhar para o relógio para controlar os km (neste caso eram mais os metros) que ia avançando, e que eram poucos a cada olhar…mau sinal, quando isto acontece num trail….estava na hora de apelar à minha “paciência”….mas estava difícil….o facto de ver as eólicas lá em cima, saber que era preciso chegar lá e nunca mais chegar (pareciam tão perto) era terrivel….que luta…boca sempre seca….mesmo bebendo abundantemente, passado um ou dois minutos a boca secava novamente….nunca tive falta de líquidos, mas beber água ou isotónico quente nestas alturas é horrível…mas era melhor que nada...o tipo de trilho até era dos mais fáceis de toda a prova, bastante estradão, mas sem energia e com a moral em baixo tanto faz...ainda houve um ou outra zona mais plana em que ensaiei uns passos de corrida. Chegado lá acima às eólicas (estas já rodavam, mas o vento era pouco) consegue-se avistar a Capela da Sra.do Castelo…ansiava lá chegar, para beber água fresca (aliás, só pensava em água fresca….nada de minis, queria mesmo era água)…mas para chegar à Capela (que estava ali mesmo à vista) ainda tive que percorrer uns bons 2 ou 3km, a descer e a subir num traçado aos “s”….porra…não sabem fazer linhas rectas, cara…go J


~





Quando lá cheguei nem queria acreditar…duas copadas de água fresca (que bem que soube), encher o camelback de isotónico fresco…comi uns gomos de laranja e tentei comer um queque de chocolate…mas à primeira trinca aquilo ficou tipo uma papa na boca…impossível de engolir…pedi desculpa, mas tinha que deitar aquilo ao lixo….sentei-me um pouco a descansar e entretanto chegou um outro atleta (Fernando Nunes) que estava em tão bom estado como eu J …neste abastecimento havia minis frescas, eu bem olhei para elas mas não tive coragem….não me tinha alimentado durante aquelas horas todas, acho que seria irresponsável da minha parte beber uma cerveja naquela altura…um bocadinho de bom senso o que é raro J

…”faltam 8km  e é sempre a descer” disseram-nos no abastecimento….ok…vamos a isso. Eu e o Fernando decidimos assim espontaneamente formar uma dupla que iria junta até final. Começou a descer de uma forma muito ingreme, através de campos…porra, se for sempre assim nem amanhã de manhã chego à meta…





...e mais à frente uma subida que nem lembra o diabo (120mD+ em ca.de 1km)….”ai com que então sempre a descer, não é?”….tantos nomes chamamos ao pessoal do abastecimento da Sra.do Castelo….aqueles km finais tinham muito mais descida, mas eram várias vezes intercalados por subidas curtas mas massacrantes (principalmente massacravam a mente de quem já só queria chegar ao fim). O facto de ter companhia naquela altura ajudou-me bastante…estava de rastos, mas ir ali à conversa ajudava o tempo a passar melhor. O Fernando que já não tinha acesso à distância no seu relógio perguntava-me de dois em dois minutos quanto é que faltava, e eu a fazer as contas de cabeça lá lhe ia dando as respostas que ele não queria ouvir J ...


...foi nesta fase que passou por nós o Jorge Serrazina, (um dos poucos que fez a prova completa – fala-se em apenas  ca.20 – não sei se é verdade) que seguio à vidinha dele. Os km passavam mas não havia forma de ver Cinfães o que nos deixou desconfiados…segundo o meu relógio faltavam 2km, quando entramos numa aldeia, encontramos um velhote que nos incentivou e disse “vamos lá, que já só faltam 4km e é sempre a descer”….”4km???? Foda-se…” …ainda disse ao Fernando “não pode ser, o velhote não percebe nada de distâncias, 2 ou 4 para ele é a mesma coisa”….mas não foi, o raio do velho (com o devido respeito J) tinha razão. Curiosamente, estes últimos km não me custaram tanto, foram todos feitos a correr…o que eu ansiei por uma fase onde pudesse correr durante alguns km (é que eu consigo recuperar energia a correr), a parte final é espectacular, por trilhos dentro de uma floresta, com um piso muito fofo….predomina o castanho da terra seca e de uma espécie de moliço….muito linda esta parte…ainda encontramos uma família a fazer um pique-nique e eu claro que perguntei se havia farnel que chegue para mim J …”venha, chega para todos!!!” …mas eu não lhes queria mal nenhum, havia de ser bonito, um pique-nique "pincelado" com o cheiro horrível a suor que eu transportava comigo J …”força…só faltam 2,5km”….e não é que era verdade!!….aquela malta em Cinfães sabe contar distâncias como ninguém J ...






…passado pouco tempo entramos pela periferia de Cinfães avistando a Igreja mais abaixo, uma rapariga da organização a dizer que só faltam 500m, curva à esquerda, sempre a descer ….ouço um ”força Papa Kilómetros”…é a Anabela e o Paulo (obrigado, sabe tão bem J)….
...muita gente na chegada a aplaudir os "heróis" que chegam, paro uns metros antes da meta, sacudo o pó, tiro o boné, penteio-me…afinal quero estar bonito a cortar a meta J …vejo o Zé Alexandre que filma a cena toda…lol…um palhacito (eu, não o Zé J )…enfim….ahhh…feito.



E pronto…mais uma concluída, a 5ª Ultra em pouco mais de um ano e a 3ª em 2014…nada mau para um perneta J. Cansado, mas curiosamente ainda com energia...quem diria que uns km mais atrás estava morto...estranho...acontece quase sempre, o que quer dizer que quando o corpo nos diz "desiste" não estamos no limite, está é na hora de entrar em cena a nossa mente, para nos levar mais além.

Estive ainda ali um pouco à conversa com os amigos antes de ir a um banho bem merecido. Enquanto estava a chegar lá estava a organização a entregar os prémios aos vencedores…já é pelo menos a 2ª vez que isto acontece (nos Abutres tb)…quando alguém me quiser ver a chegar numa prova qualquer, é ver a que horas é a entrega dos prémios e não deve falhar por muito J

Queria destacar e aproveitar para agradecer a presença do José Augusto Pires de Lima, um amigo do Facebook, grande caminheiro (é impressionante as jornadas deste homem a caminhar) e que também faz umas corridas envergando a camisola da SPEM EM’Força – esteve presente na prova dos 18km e tinha prometido estar na meta à minha espera, promessa essa que cumpriu. Fiquei muito sensibilizado com o gesto, pois deve ter estado ali umas horas á espera do Perneta…não é qualquer um. Não deu para grandes conversas, apenas para um abraço e um pouco de conversa, mas valeu pelo facto de nos termos conhecido pessoalmente…muito, mas muito obrigado grande José Augusto.

Um agradecimento especial ao Fernando Nunes, meu companheiro dos últimos quilómetros...assim a dois foi mais fácil.

Muitos parabéns aos meus amigos João Laranjeira (que ainda fez a Freita à duas semanas), Francisco Terra, ao Paulo Reis (para um Finisher da MDS isto é brincadeira de meninos, 34ºC..PFFF...fresquinho J). Parabéns tb ao Zé Alexandre, que teve a coragem de desistir aos 35km…há dias em que não dá para mais, mas tiramos sempre algo de positivo disto…fica a experiência e para o ano voltas e acabas o serviço. Destaque grande para o enorme Nuno Lima que fez um prova fantástica – ele corre à pouco tempo, fez a Geira e sofreu pra caraças, de tal forma que disse que não fazia mais nenhuma…como já estava inscrito nesta, disse que ia fazer só os 30km…ainda à duas semanas num treino me disse que não era maluco, que só fazia os 30km…na 6ª feira disse que ia aos 60km, começava e depois via como corria…meteu-se num grupinho porreiro e foi andando, andando e acabou em 10h10min…em grande campeão! Muitos parabéns!

Muitos parabéns igualmente ao Badolas e ao Richard pela conclusão da prova dos 30 (que teve 33km), muito dura também. Não é para qualquer um. Palavrinha de carinho especial para a Anabela que teve um dia menos bom – toca a levantar a cabeça, que daqui a pouco mais de um mês “temos” um Monte Branco para conquistar J …tu e o Paulo são o casal maravilha, a sério…vocês são um espectáculo!!!

Não tive oportunidade de conhecer o Tigas pessoalmente…sei que esteve na prova dos 30km e que a acabou (parabéns por isso tb), mas com os horários desfasados das duas provas não nos vimos. Lá terá que ficar para uma próxima oportunidade.

Quanto à prova….bem...temos aqui “material” para que esta prova seja um caso muito sério no panorama do Trail em Portugal….não falo só por mim (que conheço pouco), mas por muitas opiniões de atletas muito experientes e viajados em trail em Portugal. Grande parte do percurso é sublime, aqueles 15 primeiros kms e os 3 km finais então são qualquer coisa de espectacular, as serras fantásticas e as paisagens monumentais, trilhos diversificados de vários graus de dificuldade - temos as paisagens, temos a dureza, temos tudo. Agora é necessário aprender com os erros cometidos, um deles grave que prejudicou a prova (a falha que deu origem ao engano na Ultra). Tirando essa falha grave, penso que o resto das marcações estavam impecáveis…os problemas na fase inicial não são culpa da organização, que foi vitima de uma piada de mau gosto. Penso que também devem melhorar os abastecimentos na Ultra…líquidos não falharam (pelo menos na Ultra), mas nos sólidos senti falta de algo de mais sustento, uns bolos, umas sandes, uma sopa…a dificuldade da prova merecia isso. Quanto aos prémios, embora pessoalmente goste de ter uma camisola destas provas, também fiquei contente com o Buff oferecido. O prémio de Finisher (uma patela em cortiça) é um bocadito para o barato, mas prontos, serve…não fica é muito bem ao lado dos troféus de outras provas que recebi. Mas isto são pormenores menores…estão de parabéns, bem vi a azáfama em que andavam…além disso foi a primeira edição, temos que dar um desconto…corrigindo uns poucos de erros fica uma prova 5 estrelas. Muitos parabéns e nada de desanimar!!!


Tinha prometido fazer uns km pelo amigo blogger Artur, que estava inscrito nesta prova e não pôde vir. O prometido é devido, não foi é como gostaria…tinha preparado o seguinte de véspera, para levar e tirar uma foto no alto da Sra.do Castelo….


…mas esqueci-me do papelito no carro L…lembrei-me quando já ia a meio da prova…mas não me esqueci da promessa…a subida mais difícil para mim foi para chegar à Sra.do Castelo…esses km são para ti amigo Artur J …e se puderes, para o ano vens cá fazer esta que vale bem a pena J
Aproveito ainda para deixar um comentário sobre as minhas novas sapatilhas de trail – foi um teste e pêras e passaram com distinção. A nível dos pés apenas impecável, zero problemas…muito confortáveis, aderem bem e o tipo de pisos foi bem diversificado. Como já referido num post anterior, só nos trilhos com pedra mais pequena, sente-se bastante a dureza do piso. Apenas acho que vão durar pouco… é só um pressentimento…tirando o pó estão como novas depois da coça de ontem J
Eu gostei bastante desta prova…sofri muito, mas faz parte do meu processo de aprendizagem – cometi alguns erros, dos quais destaco o facto de não me ter alimentado bem durante a prova (tinha comprado umas barras todas xpto na Alemanha, mas como fiquei sem mala até hoje, não levei nada (além de gel), nem tinha plano b – como os abastecimentos eram muito à base de fruta, faltou ali combustível);  quando ia em grupo e perdia o contacto nas descidas, depois fazia um esforço extra nas subidas para voltar ao grupo, desgastando-me de forma desnecessária e que numa prova assim pode ser “fatal” … de resto acho que estive bem J Tive muita pena de não fazer a distância toda (não ia ser fácil, mas eu conseguia nem que demorasse as 16horas limite e fosse de gatas), mas a responsabilidade não é minha...tenho visto alguma indignação de atletas que fizeram mais 6km e ficaram na classificação atrás de atletas que fizeram menos como eu. Compreendo a frustração e também acho injusto para quem corre por uma boa classificação...da minha parte, estou de consciência tranquila, e cabe à organização elaborar a classificação da forma como acharem correcto...por mim está tudo bem, seja lá como decidirem.
Para finalmente acabar esta posta, e não chatear mais quem conseguio chegar até aqui (ler isto é o equivalente a fazer a UTDP sem enganos no percurso), apenas algumas curiosidades pós-prova.

Perdi ca.3kg ...o meu peso habitual anda por volta dos 82kg....pesei-me na 2ª feira de manhã, já depois do pequeno-almoço....já não via um 7 talvez à quase 20 anos. Entretanto já recuperei quase 2.

Além da rodela de cortiça, tive outros prémios Finisher todos catita...além do tradicional empeno, destaco entre outros o céu da boca todo rebentado que me provocava dores sempre que a comida era mais seca (tipo pão) - entretanto já tou bom desta parte - um sempre estético pózinho preto que se entranhou nas unhas das mãos e dos pés, e mesmo após não sei quantas lavagens teima em não sair totalmente, e aínda um belo de um bronzeado entre onde acaba o calção e começa a meia de compressão, no pescoço onde a camisola não "pega", no braço esquerdo todo menos na zona onde uso o relógio e também nos braços até onde começa a T-Shirt....acho que este ano não vou à praia J



... e pronto...lá saiu mais um testamento....sorry J


40 comentários:

  1. Campeão, parabéns pela prova!
    Se não tivesses tirado tantas fotos, tinhas ganho bastante tempo mas terias-nos privado deste Post portentoso!
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Paulo....é verdade, as fotos atrasam-me, especialmente nos single-tracks. Por outro lado permitem-me descansar o que às vezes dá jeito. Mas no fim, isso interessa-me pouco...se faço 10h15 em vez de 10h40...que se dane :)
      Abraço

      P.S. Nesta tirei à volta de 300 fotos :)

      Excluir
  2. Parabéns Carlos por esta difícil prova!
    Compreendo como deves ter ficado ao aperceberes-te do corte de 6 kms. Mesmo sem culpa, eu também ficaria doente com isso, mas parece que foi a esmagadora maioria do pessoal, tudo bem.
    Curioso esse controlo do peso perdido.

    Um abraço e, nunca é demais repetir, PARABÉNS Papa Ultras!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado João. A história do prova encurtada ensombrou um pouco a Ultra...mas pronto, foi assim, nada a fazer.
      Entretanto já recuperei 2kg....1kg ficou pela serra de Montemuro, mas eu vou recupera-lo :)
      Grande abraço

      Excluir
  3. Bom relato, como sempre! Já tinha visto as fotos no teu facebook e estranhei logo aqueles engarrafamentos no inicio. Sei que é normal, mas aquilo chateia um bocado. Ainda por cima com essa confusão de fitas nos primeiros quilómetros. Pelo que tenho lido por aí, foi uma boa prova para quem foi com o teu espírito e má para os prós. Enfim, é como dizes, para o ano certamente vão corrigir muitos erros! O pior é que parece que tanto no caso do inicio como naquela divisão dos 60/30 foram alterações feitas por maldade!

    Foi mais uma bela aventura que partilhaste connosco. Qual é a próxima? Será aquela prova cujas inscrições abriram ontem, que tem uma distancia profética de 3 dígitos e que tem lugar numa serra perto de Coimbra? :)

    Ah! Gostei do pormenor de sacudir o pó antes de cruzar a meta ehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é...são brincadeiras de mau gosto....um engano lá em cima na serra pode ser perigoso. Imagina, com aquele calor, um atleta já com pouca água perde-se...é num instante que desidrata...e agora tenta ligar para a organização a explicar onde estás? Tb já ouvi dizer que existem rebanhos de ovelhas/carneiros que comem as fitas....mas neste caso não foi, porque houve sempre fitas...foi sabotagem de certeza. Eu gostei mesmo muito.
      Quanto à próxima...eu andava de olho na UTAX para fazer os 100km, mas deixei a decisão final para depois da UTDP e deu para ver que ainda não estou preparado...não quer dizer que num dia bom não pudesse acabar, mas acho que preciso de mais treino, e neste momento não tenho tempo para isso. Agora vou voltar à estrada, tenho 2 Maratonas no programa, mas antes do fim do ano ainda devo fazer mais uma Ultra, talvez volte a Barcelos para a UTAM, que terá sido provavelmente a prova que eu gostei mais de fazer até hoje.
      Abraço

      Excluir
  4. Espectacular!
    Como entendo a tua frustração pelos 6 km a menos! Já me perdi várias vezes mas deu sempre distancia a mais! Se fosse a menos ficava mesmo muito chateado mas que fazer!...
    Olha que essa praga de trocarem a sinalização das provas de trail, infelizmente, já vem da década de 90 do século passado (!) e complica muito a vida aos organizadores pois se nos pontos mais problemáticos é possível meter malta da organização é impossível policiar toda a marcação de um percurso!
    Muitos, muitos parabéns és um campeão duplo! Tanto corres bem como relatas as aventuras de forma excelente. Para quem adora estás provas mas já não tem "esqueleto" para as "loucuras" é um prazer enorme ler o que escreves!
    Posso confessar-te que acho que a Blogosfera Corredora tem dois magistrais cronistas de ultra trail o MESTRE Joaquim Adelino e tu! Mas com és algumas (coisa pouca :) ) primaveras mais novo que ele um dia ainda vai chegar a MESTRE!
    Forte abraço CAMPEÃO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Jorge, muito lisonjeado com as tuas palavras, mas exageradas :)
      Pois, como pioneiro nestas andanças, e com o espirito da verdade desportiva consegues compreender o que senti. Mas como não tivemos culpa, atenua um pouco a coisa embora fique sempre um sabor amargo. A organização não tem culpa, que andem por aí uns idiotas a divertir-se com estas coisas de trocar fitas, que podem por a vida das pessoas em jogo. No entanto, a organização falhou, pq supostamente o engano foi numa bifurcação (entre os da Ultra e do Trail Longo), onde devia haver uma placa se não mesmo uma pessoa a encaminhar os atletas. Falhar todos falhamos, foi a primeira edição e é como digo, se corrigirem estes poucos erros, podes crer que é uma prova do melhor.
      Grande abraço

      Excluir
  5. Parabéns! Belo relato, que faz reviver a prova. Obrigado pela companhia, que gostava de ter mantido até final, mas naquela longa descida decidi correr e nunca mais vos vi.
    Quando ganhares mais experiência, vais reparar que, nestas provas, o ideal é não pensar nos km nem no tempo, ir encontrando uns e outros sem te deteres com nenhum, e no final tens mais uma mão cheia de amigos. A partir daí, nas provas seguintes, tudo passa melhor.
    Grande abraço e até ao próximo empeno! ;)
    P.S. - Eu tenho sempre um excelente prémio de finisher. Nos últimos 2 meses, entre as 100 milhas, a Freita, o UTDP e os imensos treinos, sinto-me como as cobras a escamar, mas no meu caso só saem unhas dos pés. Nesta prova foram 2, depois de 4 nas 100 milhas e Freita. Já nem ligo ao "moreno à trolha".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Rui, obrigado e retribuo os parabéns. É sempre um gosto muito grande palmilhar alguns km contigo, pois é diversão garantida e ainda vou aprendendo alguma coisa. Quanto aos km e tempo tens toda a razão....já estou muito melhor, agora olho mais para o relógio quando começo a entrar na fase do desespero :).
      Aquele abraço e até um dia destas algures por aí...e manda aí uma crónica à Rui Pinho sobre esta prova.

      P.S. Quanto às unhas, não te preocupes...2+4=6 ....ainda te restam 4, e a vantagem é que o pó não se entranha tanto :)

      Excluir
  6. Muitos Parabéns por mais uma ultra! E que grande relato! (mas como é que esta malta consegue fazer relatos destes em 2 dias...inveja...) Eu estou um pouco mal habituado porque em ambos os trails mais longos que fiz tive sempre companhia o que ajuda bastante. É com os erros que vamos evoluindo e o facto de os identificares ajuda-te a ti e a quem lê os Papa km! Para a próxima em vez te gastares tempo a coreografar a chegada pensa mas é num plano b para a alimentação! :P
    Grande abraço e boa recuperação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Rui. Tem que ser logo de seguida para me lembrar das coisas....as muitas fotos tb ajudam (foram quase 300). Eu gosto de companhia, mas tb gosto mesmo muito quando ando por ali sozinho, km e km....especialmente quando ainda tenho forças :)
      Pois...um dos motivos porque coloco informação sobre os meus erros é mesmo essa, para que outros possam usar. E mesmo para eu, quando reler, me lembrar de os corrigir.
      A chegada não foi coreografada, foi espontânea :) ...quanto à falta do plano b, foi excesso de confiança...
      Abraço

      Excluir
  7. Em primeiro lugar, parabéns pela excelente prova! O teu sentimento foi semelhante ao meu. Esta prova testou (e bem) o nosso lado psicológica, bem mais do que o físico! Apesar de tudo, penso que no futuro vamos agradecer ter passado por esta experiência! O caminho é longo...:P

    Um forte abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado João e retribuo os parabéns. Aproveito para agradecer a companhia durante tantos km...é muito bem ter pessoas por perto que comungam dos mesmo espirito nestas aventuras.
      O caminho é longo.... ;)
      Abraço

      Excluir
  8. Tudo muito bom, o texto óptimo, paisagens formidáveis, mas o que gosto mesmo mesmo mesmo é da tua cara às 2h! heheheh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehe....tou giro não tou...foi imediatamente após me ter levantado :) ...obrigado.
      Beijinhos

      Excluir
  9. Vou comentar por pontos para ser mais fácil.
    1- Muitos parabéns pela prova e por este excelente relato
    2- Pena mesmo não nos termos encontrado, mas a minha chegada também foi atribulada, com 1 amigo em ombros e ia ao Centro de Saúde logo de seguida (depois de levar soro, ficou como novo). :)
    3- Caí exactamente na mesma zona antes do túnel, talvez até na mesma pedra (pelo menos só apanhei aquela como escorregadia).
    4- Partilho a opinião dos fracos abastecimentos, e alguns pormenores na sinalização (para além de sugerir a diferença de cores nas fitas das diferentes distâncias, não seria mal pensado colocar um voluntário nos pontos de separação entre os 18/30/60km.
    5- Concordo também que afinando alguns destes pormenores, esta tem todas condições para ser uma prova de topo no trail nacional.

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado e parabéns pela tua prova. Olha, fazendo as contas aos tempos (fui ver o teu), até que nem chegamos assim tão desfasados como eu pensava. Eu pensei que à hora que eu cheguei já tivesses a milhas. Fica para uma próxima.
      Aquela pedra era do cara...go....um gajo todo contente a olhar para o túnel e zás...catrapum.
      Ainda bem que o vosso colega ficou bem...sabes que na noite anterior beber uma cervejita não faz mal nenhum, agora uma grade desidrata :)
      Aquele abraço

      Excluir
  10. Muito bom post, ao ler revi outra vez a prova por completo, foi como se estivesse a fazê-la novamente mas sem o empeno final. Lol
    Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Nelson e parabéns pela tua prova. Obrigado tb pela visita a esta cantinho.
      Aquele abraço

      Excluir
  11. Bem, parece que fiz a Ultra contigo, obrigada! Em algumas partes comecei mesmo a suar e tudo, do calor, xiça!! ;)
    Muitos parabéns, Carlos, pela prova, por manteres o humor nas fases más e saberes relativizar e ver o que é mais importante: aproveitar o "estares ali", teres a oportunidade de viver aquilo. Muito bom mesmo!
    Beijinhos!
    PS: Para mim as provas também têm de ser sempre com base nessa "banda sonora"... ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Rute, e ficas a dever-me esta...é que assim é mais uma Ultra no teu currículo...ok...uma mini e tamos quites :)
      Sabes que uma das minhas principais "defesas" é o humor....não podemos levar a vida demasiado a sério, nem a nós próprios, e é isso que tento fazer, tb nas Ultras....para chegar a bom porto...e tenho conseguido :)
      Beijinhos

      P.S. ainda bem que também tens esse espirito ;)

      Excluir
  12. Muito bom... estas experiencias são marcantes. E exaustão e o Êxtase de mãos dadas.

    ResponderExcluir
  13. Parabéns galego! Espirito de sofrimento é uma característica da malta do norte! Boa recuperação! Este fim‑de‑semana eu o Rui Soeiro temos preparado um empeno jeitoso em Sintra. Será a nossa vez de sofrer! Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Mouro! Olha que até tinha bastante malta do sul, pelo que essa característica de sofrimento é transversal a todos.
      Abraço e muita força para a V/ grande aventura por terras de Sintra.

      Excluir
  14. Parabéns pelo brilhantismo nesta prova, amigo. Meu carinho.

    ResponderExcluir
  15. Obrigado Carlos por mais está viagem que proporcionaste. Mais uma vez parabéns pela prova.
    Obrigado pelas palavras a meu respeito.
    Pelos relatos que tenho lido acerca desta prova, as opiniões são unânimes e vão de encontro aquilo que também acho, apesar dos erros da organização, está prova tem tudo para ser única e de referência como outras já conquistaram o direito de o serem.
    Se há prova onde, pelo que vejo, muita gente tirou muitas ilações para o futuro, foi esta. Desde a organização, por ti e no que me toca, foi a prova, até a data, onde retirei o maior número de questões que no futuro irão ser fundamentais na gestão de uma prova com esta dureza.
    PS: estou a perder a vergonha de ocupar um bocadinho aqui do teu canto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Zé :) ....vingas-te na Serra D'Arga!!! ...ahhh ..... e gosto de ter ver por aqui a perder a vergonha ;)
      Abraço

      Excluir
  16. Olá, Carlos!

    Antes demais a minhas desculpas pelos erros cometidos nesta prova! Prometo que serão colmatados em 2015!!! Contudo devo dizer, que alguém armado em espertinho pregou-nos 2 partidas desagradáveis, uma foi logo em Boassas e outra na separação do Longo com o Ultra. Nesta última podia ter evitado colocando um voluntário lá. Mas mesmo que tivesse colocado indicações (placas), quem fez o trabalhinho acabaria por as retirar. Ou seja 2 erros em 116 km de percursos, tornaram-se muito desagradáveis para os meus amigos e colegas do trail running!

    Apesar destas situações, fico extremamente satisfeito com o resultado final! Vejo que todos os participantes ficaram deliciados com os percursos! São duros? Sim, são! E muito duros! Mas consegui fazer uma coisa… a beleza dos percursos sobreposeram-se à dureza! Penso que é isto que nós trails runners procuramos!

    Apesar das críticas, todos me dão força para melhorar este UTDP! Prometo, que o farei!!! Não desisto!! Quero o UTDP no mapa!!

    Espero ver-vos novamente em 2015!!

    Um grande abraço para todos!! Até breve!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá André,
      antes de mais não é preciso pedir desculpa por nada. O facto de vocês, organização, assumirem os erros e encararem algumas das criticas de forma construtiva já é sinal de humildade e grandeza, e que de certeza cai muito bem junto de todos os envolvidos ....infelizmente nem sempre é assim.
      Quanto aos erros, aconteceram, paciência...agora é corrigir o pouco que há a corrigir para tornar a V/ prova ainda melhor, e passar a ser uma referência a nível nacional, pois tem condições para isso. Talvez agora, com todo este feedback positivo possam ter mais credibilidade junto de possíveis patrocinadores de forma a ter mais apoios para as próximas edições.
      Não liguem a algumas criticas feitas só por criticar que andam por aí, façam como estão fazer, encarando as criticas que são feitas de forma construtiva. que visam ajudar-vos a melhorar....vocês foram incansáveis e estão de parabéns!!
      Em 2015, se eu puder, estarei de novo à partida para fazer um trail perfeito, quem sabe fazer os 6km que me faltaram esta ano :)
      Grande abraço e até um dia, algures por aí

      Excluir
  17. Grande Carlos...
    ...tal como te disse antes: "fiz mesmo esta prova" !!

    Tal é a categoria da tua escrita e a maneira simplesmente fantástica , como descreves o que foi essa tua aventura !! ;)

    Nem tenho mais palavras para te dizer o que me diverti e até o que quase suei ao ler o teu relato !! :D
    Grandes paisagens , e belas fotos !

    ehehhe...de mais , só te posso agradecer a subida á "Sra.do Castelo" ! Confesso que a mim não me custou nadinha ! eheheh :P
    obrigado por te lembrares aqui do velhote ! :D

    1972 Rules !! ...e não é pouco !
    estes velhotes , coxos , pernetas e por aí adiante... , mas são rijos e duros cumó aço !! ;)


    aquele abraço
    boa recuperação e boas futuras provas
    Artur

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Artur. Aquele abraço e força aí pra este fim de semana

      Excluir
  18. Só agora tive tempo de ler este relato com a calma que ele merece. Este relato deu-me o que esta prova não me conseguiu dar: o sonho. Consegui sonhar que estive lá, consegui perceber algumas das angústias e das alegrias que viveste.
    É sempre um prazer encontrar-te, Carlos. O mundo do trail ganha muito em ter uma pessoa como tu. És um exemplo e uma inspiração de alguém que trabalha e tem uma vida atarefada, conjuga a família com os treinos... E ainda faz provas com este nível de dificuldade e termina-as.
    Muito orgulho em conhecer-te.
    O finisher da MDS manda dizer que entre esta prova e a etapa dos 81km no deserto... Está com dúvidas qual foi a pior. :)))
    Beijinhos meus, abraços dele e até um dia destes num trilho por aí.

    P.S - Não desistas do sonho dos 3 dígitos. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eh pá...até estou com a lágrima no canto do olho...muito obrigado :)
      O finisher da MDS é um espectáculo (ok...tu tb :D)...podes crer que é em pessoas "normais" como ele que me inspiro.
      Beijinhos grandes, manda um abraço aí ao Paul Michel e até um dia destes

      P.S. Eu não desisto dos 3 dígitos, um dia vou fazê-los, mas não será à "ceguinho"...tenho que me preparar melhor, e nesta fase da minha vida não tenho tempo para isso....mas tb ainda sou um "jovem"...tenho tempo :)

      Excluir
  19. ESPECTÁCULO! não tenho muito mais a dizer! até tens comentários da organização ;)
    olha, outro assunto: o sunnto compraste online? estou a pensar no 2 R (ainda não preciso de 50h de bateria :)) mas os preços são bem mais interessantes online mas tenho algum receio em lojas que não conheço.
    Aquele Abraço

    ResponderExcluir
  20. Obrigado Hélder Jorge..andavas desaparecido!! Até estava com saudades tuas :)
    Não comprei o meu Suunto online, embora fosse 20 € mais barato, achei melhor comprar numa loja, pois com o valor envolvido, se houver algum problema quero ter uma cara à minha frente para reclamar :) ...se te interessa, estou bastante satisfeito com a minha maquineta, são boas maquinas, dão muita informação (mais do que aqui o morcão sabe interpretar)...e ainda por cima são giros e dá para andar no dia a dia com eles como relógio normal. São é carotes, mas tb em principio é um investimento para uns anitos ;)
    Aquele abraço

    ResponderExcluir
  21. Com bastante atraso cá venho, tal como prometi, ler o testamento :)
    E adorei Carlos!
    Tu consegues transportar-nos para estes sítios magníficos não só através das fotos, como através da tua escrita bastante engraçada e fácil de ler.

    Já vais com 5 ultras em cima? Caramba!!!!! Mas muitas mais virão!

    Força para as próximas aventuras!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tás sempre a tempo...obrigado :)
      Beijinhos

      Excluir