segunda-feira

Oh diabo ... fiz merda em Achaffenburg


O despertador tocou eram 6.45h ... não me apetecia mesmo nada ir correr. Além de que ainda não há luz do dia sei que lá fora está um briol do caraças … e está-se tão bem no quentinho do quarto do Hotel, enfiado debaixo do édredon e ainda com soninho para gastar . Estou em Aschaffenbrug, uma pequena cidade pitoresca nas margens do rio Main a meia centena de km de Frankfurt. Cheguei há 3 dias e  tenho ido correr todos os dias pela madrugada – nos dias anteriores fui sempre às 6h da manhã e pouca luz do dia apanhei. Hoje como o dia de trabalho começa mais tarde quero aproveitar para fazer um treino mais longo e sem ter que ligar o frontal. Mas não apetece mesmo … só há uma forma .. fora da cama de rompante, direito à casa de banho, água fria pela cabeça abaixo, equipar à pressa, sair pela porta fora, por um pé na rua e ao “pipipip” do meu gps a confirmar que apanhou sinal carregar no botão do start imediatamente e colocar um pé à frente do outro um pouquinho mais rápido e cadenciado do que quando vamos a caminhar. Pronto … tás a ver Perneta de merda, não custa assim tanto … está frio? tu aqueces já … demora 2 ou 3 minutos a entrar em modo “cá fixe, ainda bem que vim” … sigaaaaa…
A primeira parte do treininho de hoje é para visitar a parte velha da cidade – já cá estive umas 3 ou 4 vezes, mas não me lembro de ter visitado esta parte durante o dia. Quero fazer os primeiros km pelo zona histórica e depois vou até lá baixo às margens do rio. A intenção é fazer 15km. 




A visita à parte histórica faz-se em pouco tempo, está tudo muito junto e chego à margem do rio Main com pouco menos de 3km. Foi bem descontraída esta primeira parte do treininho e bem agradável. Vamos à 2ª parte, junto ao rio … estou com o motor aquecido, está na hora de acelerar a mota …






Ri-te enquanto podes ó Perneta ... 


O problema é que o motor soluçou repentinamente … deu-me uma cólica tão grande como já há muito tempo não me dava … uiiiiii …. estava a ver que me borrava todo já ali e nem tempo para dizer “ai” tinha …. fiquei ali parado, melhor, paralisado, melhor ainda, petrificado à espera que a coisa passa-se … nem um mini passo arrisquei com medo que a desgraça se desse e a minha única solução seria a de me atirar às águas castanhas e lamacentas de um rio Main que deveria estar gelado como  caraças. Tal como veio a coisa tb passou … foram uns segundos de terror que pareceram uma eternidade … ensaiei uns passos tímidos de caminhada, depois a trote para depois então começar a correr mas sem acelerar muito e ir avaliando o estado da coisa. A cólica tinha ido à vidinha mas deixou-me um presente … um tijolo ao fundo das costas, a picar a porta de saída… mau … tenho que ir soltar este javali o mais rapidamente possível. 
Pergunta para um milhão?
Vou largar o tijolo na casa de banho do Hotel ou corro junto ao rio para fora da cidade para largar o javali atrás do primeiro arbusto que me aparecer??? Decidi-me pela 2ª opção – regressar ao Hotel era pelo meio da cidade e era a subir … uns 2km no mínimo. Junto ao rio sabia que daqui a 1km sairia da zona mais civilizada e havia sempre o rio para ir fazer companhia aos patinhos se não houvesse outra possibilidade. 
Lá segui pela margem direita do rio com um olho no horizonte a analisar o terreno à procura de um spot que me permitisse fazer um agachamento descansado e reservado do mundo que me rodeava. O outro olho estava atento aos sinais que o terceiro olho me ia dando – e a coisa não estava fácil, estava a picar a sério … o javali estava agressivo e queria sair. Oh diabo …

Não tardei a sair da periferia da cidade … de um lado o rio, do outro lado uns terrenos agrícolas, descampados com casas das aldeias que encostam à cidade a uns bons 200m. Entre o meu caminho e o terreno uma faixa com árvores, arvoredos e alguns arbustos … e dizem vocês … “que sorte, problema resolvido”!!!
Não caralho … nada de problema resolvido. Primeiro estes merdas destes alemães tem a puta da mania de ter tudo limpo, asseado, árvores e arbustos podados, ervas e matos desbravados de tal forma que era impossível esconder-se lá pelo meio … além disso de x em x metros havia alguém a caminhar, a passear o cãozinho e uma velha a andar de bicicleta a 5km/h para trás e para a frente. Ta que pariu lá esta merda … caralho os foda a todos ….
A situação estava a ficar mesmo perigosa … o javali estava encrespado, a esfregar aqueles pikinhos que tem no dorso na minha porta dos fundos … aquilo picava mesmo a sério … e eu lá continuava a correr em frente o melhor que podia à espera de uma oportunidade de o deixar sair.
Já não me lembro bem de tudo, acho que o aperto me limpou a memória durante aquele tempo e é evidente que não tirei fotos durante o sofrimento … estava em modo sobrevivência à procura de me aliviar do tijolo que trazia comigo e só isso contava. Mas lembro-me de passar por uma senhora com um cão (acho que era um Pastor alemão) que estava a largar um calhau na beira de um campo … que inveja senti daquele cão, conseguia sentir aquele calhau a passar as bordas do respectivo e o alivio que deveria estar a sentir … estes cães é que tem sorte L … e lembro-me de mais uma vez a velha da bicicleta passar por mim, agora de frente … 
A uns 500m vejo uma mini floresta do lado direito do caminho que vou a percorrer ... parece mais densa … ninguém por perto … será a minha salvação??? Tem que ser porque a minha porta dos fundos não aguenta muito mais tempo … o javali enervou-se e anda agora às marradas à porta que vai ceder a qualquer momento. Sinto que aquela mini floresta é a minha última salvação … são apenas 400m …

… mas são 400m complicados, porque não consigo acelerar, pelo contrário … tenho que ir a apertar as nádegas para que a desgraça não se dê antes do tempo. O meu cérebro já só pensa em mandar abrir os portões e deixar sair a horda de javalis enfurecidos. Sim, javalis no plural … só podem ser muitos, impossível ser apenas um … entro na zona da floresta, vejo um spot ideal … salvo??? …. Numa mão já levo o pacotinho de lenços – não se pode perder tempo e a outra vai a abrir os cordões das calças … isto tudo enquanto corro num estilo pouco ortodoxo de quem vai a ter espasmos de 2 em 2 segundos … ninguém à minha frente, um último olhar para trás para ver se vem alguém e ….
… puta que pariu … o caralho da velha da bicicleta vem aí outra vez, é pra aí a 356º vez … fodasse, não acredito nisto … passo o spot que tinha como ideal … o mundo desabou ali, felizmente apenas psicologicamente, a minha porta dos fundos continuava a aguentar mas sabia que era impossível muito mais tempo …. avancei uns 100m e dei a volta … voltei a passar a velha de frente sempre fixado no tal spot ideal … parecia um felino, cheio de genica a enfiar-me pelo arvoredo a dentro, no salto para trás daquele maravilhosa árvore o tempo parou … com uma mão a tirar as calças, com a outra a sacudir o lencinho de papel ao vento para o abrir, abrindo as portas e soltando ainda no ar a manada de javalis furiosos que trazia dentro de mim aterrando em agachamento perfeito ao mesmo tempo que ouvia os sinos de natal acompanhados das cantorias natalícias de um coro de anjos vestidos de rena Rodolfo.

Cá bom … ca maravilha … ca alivio … vai buscar velha da bicicleta!!! Consegui ou não consegui caralho!!! Não há hipótese, nestas merdas sou o maior, nunca perdi um duelo até hoje!!! J
Foi por um triz ...

Ó pra ele .. agora sim, dá para rir 

Quando voltei ao caminho o meu relógio marcava 6,8km … foram quase 4km de luta heróica e sofrimento atroz mas que acabou com um final feliz. Eu aliviado, os javalis livres e contentes e uma mini floresta de Achaffenburg mais adubada. É o chamado “Win-Win Situation”
O resto do treino? Maravilha, mais leve fiz uns 5km a dar-lhe bem e depois regressei ao Hotel nas calminhas. E fiz os 15km que estavam previstos J


Perneta ... desta vez safemo-nos, mas foi por pouco ..


22 comentários:

  1. Perneta a adubar a Europa desde...
    Epah já tinha saudades destas postas:)))
    Não tinha era saudades de acordar a patroa a rir, que já dormia aqui ao lado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha lá ... podes sempre aproveitar e dizer à patroa "já que estás acordada " :):)
      Abraço

      Excluir
  2. De vitória em vitória!

    Tu e as tuas histórias de javalis... :)

    Um abraço e boa estadia

    ResponderExcluir
  3. Ohhh muito bom... Não posso ler os teus post no trabalho... Devia de parecer uma maluquinha a rir às gargalhadas para o ecrã.
    Aposto que na altura não estavas a achar piada à situação.

    **

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na altura não teve piada mas depois foi um fartote de me rir ... mas já não é a primeira vez nem há-de ser a última :)

      Excluir
  4. Papiertücher

    Juro que estava à espera que alguém tivesse ficado marcado para sempre com a visão do javali, por te teres enfiado atrás da árvore e apenas teres controlado a tua fã de bicicleta.

    Ainda bem que se resolveu.

    Aqui que ninguém nos ouve ou lê, é um dos meus problemas quando faço treinos matinais em cidade (90%, portanto...), poderá haver o dia.
    Ainda me lembro de 500 metros em Monsanto e lá foi.
    Ahhh, acredites ou não, quando acabai de gastar os Papiertücher todos...pensei em ti e nestas crónicas de ahahaha.

    Abraço limpinho

    PS: Lavaste as mãos antes de voltares a tirar fotos com o telemóvel? Pois é...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acontece a todos, a malta é que não fala nestas coisas :)
      Obrigado por pensares em mim nestas alturas ... é bom saber .. bhlec ...
      Abraço

      - e não, não lavei as mãos :P

      Excluir
  5. Ri-me tanto que tive de fazer um intervalo para recuperar o fôlego!
    A palavra javali, nunca mais será a mesma!
    Boas corridas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :) ... tu vê lá, respirar é importante ;)
      Boa corridas para ti tb :)

      Excluir
  6. Magistral! Conseguiste fazer-me rir e olho que por aqui isto não esta nada fácil para isso!Está vais para os aplausos para lá no UK.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se te fiz rir já valeu a pena ter passado por isto e escrever sobre o assunto. Destaque no UK é uma grande honra.
      Forte abraço

      Excluir
  7. Porra pá... já não "te lia" há uns meses e neste regresso levo com uma história de merda... granda sina a minha!

    Abraço

    ResponderExcluir
  8. Tu simplesmente puseste num post o que acontece de forma recorrente com todos nós! De volta e meia lá temos de ir fazer merda atrás de uma árvore 😋

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro ... a quem nunca aconteceu que atira a primeira pedra :)
      Abraço

      Excluir
  9. Que mais animais terás tu dentro de ti?! :P
    Adorei, foi um fartote de riso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem queiras saber ... tb não é de estranhar, ao que como e bebo...
      Rir faz rugas ... tens que ter cuidado!!!
      beijinhos

      Excluir
  10. "Javalis!" Eheheh não lembra ao diabo!
    Como já passei pelo mesmo, li isto com empolgamento redobrado. A ler o relato dei por mim a torcer por ti muito mais do que torceria se fosse uma mera corrida...
    Em breve no meu blogue também vou servir uma mousse de javali, eheh
    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :):):) ... venha essa cultura geral :)
      Abraço

      Excluir