sábado

Como recuperar da Maratona do Porto - by Perneta-Mor



Naturalmente conhecem o „olha para o que digo não olhes para o que eu faço” … aqui no meu caso é um bocadinho diferente, é mais “ não olhes para o que digo nem para o que eu faço” J
Ora vamos lá colocar um bocadinho de ciência Perneta neste blogue …
A recuperação começa logo após cortar a meta ... no meu caso, estive primeiro uns bons 10 minutos com a cabeça encostada ao gradeamento a “suar dos olhos”. Há que vazar completamente o sal que temos dentro de nós, e toda a gente sabe que as lágrimas são salgadas … uma espécie de reset salino…
Logo de seguida fui ter com os amigos para meter umas bejecas no bucho … no meu caso, que sou um menino, foi apenas uma .. já os prós tipo o Luís Lobo e o Filipe Fontes consta-se que já iam em meia dúzia delas – facto é que já tinham chegado quase à uma hora. Não, por mais que possa parecer que a bejeca nos sabe bem e é motivo para convívio, a ideia da cerveja é mesmo repor os sais perdidos durante a corrida.
não me canso desta foto...
O que se come no próprio dia da Maratona é muito importante. No meu caso, depois de uma prova importante dá-me sempre vontade de comer porcarias. Mas eu, como atleta que leva estas coisas mesmo à risca e com uma vontade férrea em fazer as coisas bem … ok, não consigo resistir … a culpa é do Luís Lobo … ficou comigo para almoçar e fomos comer um hamburger ali pela Feira, com direito a tudo a que tenho direito (batatas-fritas, bacon., ovo estrelado e os molhos todos e mais alguns) … mas bebi água! Mentira … não bebi nada, quer dizer não bebi nada de água, bebi outra cerveja. Mas ao jantar ia portar-me bem, tinha a ideia firme de ir ao Amândios à Francesinha.
Com o Luís Lobo entregue ao outro Luís, ao Trigo, para o levar para Lisboa – agora é que estou para aqui a pensar – fonix um é Lobo e o outro é Trigo (devem ter a mania, não podiam ter nomes normais tipo Silva, Costa ou Cardoso … manias) – eram 16h e fui para casa tomar um banhinho, mesmo sem ser preciso – tinha tomado banho na 3ª feira antes e não estava assim tão mal-cheiroso que precisasse de desgastar a pele novamente … mas pronto, gajos asseados são assim.  O sofá chamava por mim, mas havia uma casa para arrumar, um pandemónio que tinha ficado da farra do jantar do dia anterior. Duas máquinas de louça e mais uns quantos afazeres depois estava pronto para o sofá … seriam 18.30h … entretanto tinha recebido um convite do Zé Alexandre para jantar em casa dele … fonix, já não dá para descansar … o bom é que já não vou comer nenhuma porcaria, não é hoje que vou à francesinha … ainda deu para colocar 15 minutinhos de gelo no joelho do “mantorras” que tal como previsto estava uma lástima e teimava em não dobrar totalmente…
Ao jantar nada de porcarias, francesinha nem vê-la …. foi pizza e bolo de chocolate … antes umas tostas com um paté de delicias que estava uma delicia (não resisti a esta chalaça) regadas com cevada J Obrigado Zé, Ana e restante família …

Chegar a casa quase às 23h, estava estafado mas ainda não fui dormir. Convém não ceder ao corpo … mostrar-lhe quem é que manda. No fundo estás a treinar para aquelas situações em que o corpo quer desistir e a cabeça entra ao comando. Era isso e o facto de ter que preparar a minha mala para mais uma viagem até à Alemanha no dia seguinte. Sem stress, afinal tinha uma noite inteira pela frente.
Eram 3 da manhã e tocava o despertador – maravilha, dormi que nem uma pedra – pena terem sido apenas 5 minutos (foram 3 horas, mas pareceram 5 minutos) … que moca!!! Aconselho toda a gente a marcar uma viagem de avião no dia seguinte a uma Maratona, se possível logo no primeiro voo da manhã, daqueles às 6 da matina. É mesmo muito bom, especialmente se de 6ª para sábado tiverem dormido 4 horas e de sábado para domingo 5h. Mais treino de resistência.
Quando digo para ser uma viagem de avião tem um motivo, ou dois. É giro ir ali umas horas com as pernas dobradas num espaço acanhado, especialmente quando tens 1,85m e pernas até ao cú – isto é mentira, porque eu sou como a Maria Leal, não tenho cú – por isso não posso ter pernas até ao cú, no máximo posso ter pernas até ao sítio onde deveria estar o cú. Mas tem uma vantagem de não ter cú … não tenho medo J … e canto e danço melhor que a Maria Leal, só não tenho as unhas de águia, porque perdi-as nas corridas J … onde é que eu ia? Ahhh … pois, aviões … eu desta vez até nem me posso queixar muito, pois voei na Lufthansa (viva o luxo) que tem um bocadito mais de espaço para as pernas, e além disso os acessos aos aviões são feitos por mangas, tanto na entrada como na saída. Se puderem marquem uma low-cost – pode ser qualquer uma (Ryanair, Transavia, Easyjet ou os autocarros da Feirense) … além do espaço mais reduzido no interior, têm que se deslocar a “butes” até ao avião e mais giro, entrar e sair do avião por aquelas escadinhas estreitas e inclinadas … é um riso, para quem assiste … palavra de Perneta J

Chegando ao destino, no meu caso era Berlim, aconselho a ir imediatamente comer qualquer coisa, de preferência algo característico do país que visitam. Alemanha = Salsicha … a famosa “Currywurst” não escapou aqui ao vosso amigo … nada de especial, uma salsicha cortada às rodelas, a nadar dentro de um mar de Ketchup com caril, acompanhada com uma Montanha de batatas fritas. Não precisam de dizer nada, eu sei …



Na 2ª feira tinha as pernas feitas num oito, mas o pior era o meu joelho que doía pra caraças, não dobrava e estava sem forças. Tudo normal portanto. Não corri … mas fiz reforço muscular – andamos com uns 250Kg de amostras no carro, e a cada visita a clientes era preciso descarregar, carregar para dentro das lojas, e voltar a carregar. Eu sou tenrinho, por isso tinha ajuda de dois marmanjos … para os duros aconselho a fazerem isto sozinhos. Foram duas visitas e uma viagem até Dresden. Ao jantar portei-me bem … bifinho (proteína) com alguns acompanhamentos saudáveis e cevada, sempre cevada … que querem? Perdi muitos minerais, tenho que os repor …

que dupla ....
Na 3ª feira já estava bem melhor do joelho … já não tinha grandes dores, já dobrava e tinha força. Ele, o joelho “mantorras” tem vida própria e nem vale a pena contrariar. É ele que manda lá em casa. Depois de mais uns treininhos de reforço muscular, chegados ao Hotel em Dresden, estava na hora de voltar às corridas, com a companhia do colega Marco. 1 horinha de corrida descontraída a visitar a cidade, tirar umas fotos e coisa e tal – adoro este tipo de visitas a cidades e Dresden é lindíssima. Para limpar bem o ácido lácteo das pernas aconselho a subir escadarias … tipo Rocky Perneta Balboa … funciona …
video















Como fui correr achei que tinha direito a comer uma porcaria … e se fosse Pizza? Vamos a isso, mas tem que ser pequena ….
Antes

Depois

E sim, aqueles copos altos são de cevada … os alemães só podem ser doidos, não tem finos ou minis, um gajo tem que beber no mínimo meio litro de cada vez, um sacrifício J
4ª feira foi um dia importante. Depois de mais um exercício de força muscular durante a manhã, a tarde foi passada com o cliente mais importante que tenho  – correu muito bem, mas acabou tarde, e com uma viagem até Leipzig não deu para correr. Mas deu para uma jantarada habitual com os colegas, um buffet que não era mau de todo. O problema é que fomos para o bar do Hotel festejar e a coisa descambou um bocadinho – digamos que consegui chegar ao quarto, entrar e deitar-me até que o despertador me acordou na manhã seguinte.

Na 5ª feira separei-me da malta, fiz uma viagem de 500km da parte da manhã, fui entregar um material da parte da tarde e o dia acabou um bocadinho mais cedo do que o habitual. Fiquei em Klingenberg que já conheço bem e decidi ir explorar uns trilhos que tinha descoberto aquando da última vez que ali tinha estado. Problema é que era fim do dia e não sabia quanto tempo ainda tinha de luz do dia – a intenção era subir ao Castelo, e depois a uma torre que dizem ter uma vista esplendorosa … já lá tinha subido 3 vezes e dei sempre com o nariz na porta, ou seja, está sempre fechada. E voltei aos filmes, a Gopro já funciona … vejam lá se foi desta que consegui ir ao cimo da torre …

1h15 de corrida com quase 400mD+ … o ideal para uma boa recuperação da Maratona. Aconselho a fazerem mais desnível ainda – eu sou tenrinho, tem que ser pouco.
Na 6ª feira foi dia de voltar a Portugal. As pernas já estavam em estado bem razoável, ou seja, o programa de recuperação estava a funcionar. Foi um dia passado entre auto-estradas, aeroportos e aviões. Saí de Klingenberg eram 9h da manhã, cheguei à Feira eram quase 19h da tarde. Cansadito … e o que se faz quando se está cansado? Isso, vai-se correr … era dia de trilhos nocturnos com a malta de Sanguedo, com o tradicional convívio no final – foi dia de magusto e acho que bebi um copito de jeropiga a mais J


Hoje acordei cedo para o meu primo Pedro me “aturar” numa corridinha por Santa Maria da Feira … Europarque, Castelo da Feira, Parte Velha da Cidade … tudo muito descontraído. Maravilha!!!




E pronto … foi isto … acabaram-se as corridas desta semana e a recuperação está feita, à Perneta, mas feita J … a vocês aconselho a irem correr logo à noite novamente, talvez uma series ou um Fartlek e amanhã de manhã levantem-se cedo e façam um longo de 30km. Eu não posso, sou dos tenrinhos.

Só falta dizer uma coisa ... nos próximos meses ou até anos, nada de provas muito duras ou longas ... apenas umas corriditas para descontrair a musculatura. No meu caso vou a estas antes de embarcar nas S.Silvestres:

dia 27 deste mês ... vou à distância maior 

e na semana seguinte esta para chegar à dezena em Maratonas

E não se esqueçam “não olhem ao que digo nem ao que faço” …

10 comentários:

  1. Muito bom! Tudo! Adorei o video do Treino de "recuperação" :)

    ResponderExcluir
  2. Eh eh eh eh eh

    Este é daqueles artigos que tenho dificuldade em comentar pois não paro de rir!

    Eh eh eh eh eh

    Quando estás com a veia humorística, és imparável! :)

    Um abraço e está descansado que não tento imitar o que fazes, caso contrário pesava 120 kg e fazia 15 ao km!

    ResponderExcluir
  3. E pronto já tenho a Maria a reclamar que tou a fazer muito barulho e não a deixo dormir, e não é do ressonar é de não parar de rir!
    No meio disto tudo só reparei que nas fotos das pizzas no antes e depois a caneca de cerveja continua cheia, claramente que era ainda a mesma :)
    E confessa lá, há quanto tempo é que não vais à nutricionista? Eheh
    Abraço e continua a seguir estes planos exigentes e rigorosos... pelos vistos resultam ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehe ... se te puserem as malas à porta eu não quero saber :)
      Quanto à cerveja é sempre a mesma, aliás eu nunca as bebo, é só para dar uma de "Bad Boy" ;)
      Nutricionista? Já nem me lembro, talvez um ano ... mas quando for tou lixado, é que ela é minha amiga no FB ... tenho a secreta esperança que ela não veja :)
      Abraço

      Excluir
  4. Certo e um compêndio interessante do que não se faz mas no fim apenas fica isto: o cartaz do trail de Foz Côa é com uma sapatilha de estrada.
    Quanto às fotos da recuperção já sei que são treta e edição da net, que o teu smartphone xpto não tira fotos.
    É desta que vais à Maratona dos duros??
    Pelo que li, para quem já fez a do Porto 3 vezes aquilo é canja...
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Reparas em cada coisa ...
      Tudo montagens e roubadas da net ... pffff
      Parece que é mesmo desta ... mas ao contrária da do Porto, não vou para ganhar desta vez. Vou com o Filipe Fontes azucrinar a a cabeça à malta.
      Abraço

      Excluir
  5. Só uma queixa: acho que desta vez puseste poucas fotos de comida... :P
    Gostei de ver que também usas um batonzinho para correr! Acho que um carmim te favorecia... :D
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hmmm... tens razão. Da próxima ... prometo :P
      Claro que uso batonzinho, com o frio e vento que estava era obrigatório, e vá, uma corzinha até que me favorece. Só não uso saia porque não me favorece, tenho a coxa muito fina :P
      Beijinhos

      Excluir